Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Arte > Chauvet, Cosquer e Foz Côa - Arte Rupestre

Chauvet, Cosquer e Foz Côa - Arte Rupestre

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Arte
Visitas: 30
Comentários: 6
Chauvet, Cosquer e Foz Côa - Arte Rupestre

Chauvet, Cosquer e Côa vieram dar algo novo ao entendimento da arte Paleolítica Europeia. O estudo da evolução da arte parietal baseou-se por muito tempo na análise estilística das representações, ou na datação de vestígios encontrados na proximidade das paredes decoradas e supostamente contemporâneos dos desenhos.

A datação através do método do carbono 14 veio dar á cronologia estilística uma diferente distribuição no tempo e com isso criar também algumas questões relativamente a esse facto, poder-se-ia continuar a fazer datações “concretas” comparando estilos, por parecenças?

Este método de datação por carbono 14 veio provar que essa linearidade de estilos, até então utilizada para datações, não era assim tão fidedigna quanto se poderia julgar. A descoberta destas três grutas, Cosquer em meados de 1991, Chauvet e Côa no ano de 1994 abalaram a comunidade científica, criando uma controvérsia enorme no que dizia respeito á autenticidade da arte, e idade das mesmas o que por consequência pôs em causa o conhecimento da arte Paleolítica. O vale do Côa fez também com que a arte das cavernas fosse sentida como uma actividade excepcional limitada quer no espaço quer no tempo comparada com a arte ao ar livre.

A gruta de Chauvet está localizada no sul de França mais precisamente em Vallon-Pont-d'Arc. Nela foram descobertas inúmeras pinturas rupestres no ano de 1994 por Jean-Marie Chauvet e dois amigos, Eliette Brunel e Christian Hillaire, pelo que em sua homenagem se passou a chamar por gruta de Chauvet.

Através da datação por carbono 14 foi possível datar directamente as descobertas arqueológicas nomeadamente o complexo de desenhos, pinturas e gravuras desta gruta. O uso do carbono 14 recuou a data de surgimento da arte das cavernas, que se julgava ter a mesma datação de Lascaux - as imagens de Chauvet são cerca de 10 mil anos mais velhas do que se imaginava (datadas de 30,340 até 32,410). Conhecida como a nova Lascaux, nela foram encontradas cerca de quatrocentas figuras de animais, isoladas ou reunidas em grandes composições.

Esses animais, frequentemente representados em movimento, distinguem-se pelo seu naturalismo e dinamismo. A natureza dos animais representados e as técnicas utilizadas tornam essas figuras singulares. Os mais abundantes são os rinocerontes, os leões e os mamutes bem como também aparece representadas corujas, panteras e uma possível hiena.

Contudo, essas espécies são relativamente raras na arte paleolítica europeia e ao contrário do que acontece na pintura magdalenense, os cavalos e os auroques aparecem em pouca quantidade. A arte que aparece nesta gruta mostra uma reprodução da perspectiva espacial de diferentes formas, o esfumado e o recorte, pouco frequentes na arte paleolítica, mostrando já alguma “sofisticação” destas técnicas, bem como também um cuidado muito particular no que diz respeito á preparação da superfície utilizada para as pinturas (para conseguirem modular contrastes e luminosidade), o que indica uma certa deliberação anterior á realização da obra. Não só estes factos impediram que se pudessem fazer datações em Chauvet com base no estilismo das gravuras bem como a abundância das mesmas existentes nesta gruta. A coerência da arte presente nas paredes de Chauvet deve-se às técnicas utilizadas e aos temas representados.

A Gruta de Cosquer está localizada na base de uma falésia do Cabo de Morgiou, faz parte integrante do maciço costeiro das Calanques de La Triperie, entre as localidades de Les Goudes e Cassis, junto à cidade de Marselha, no Sudeste de França. Mais de dois terços das galerias da gruta estão submersas. Nela foram encontradas mais de quatrocentas representações. No que diz respeito à pintura foram utilizados dois pigmentos naturais, o carvão, utilizado como “lápis” quer através da técnica de pulverização, e a argila vermelha utilizada também através deste último método.

A nível das representações existentes nesta gruta estão presentes figuras zoomórficas (onde se reconhecem diferentes espécies como cabras, bovinos, bisontes, auroques entre outros), figuras antropomorfias, sinais abstractos e/ou estruturados e um conjunto de figuras indeterminadas.

As gravuras de Foz Côa estendem-se ao longo de vários quilómetros na margem do rio Côa no distrito da Guarda em Portugal, formando o maior complexo de arte rupestre paleolítica ao ar livre do mundo. As gravuras que se encontram em Foz Côa são a sua maioria representações animais, embora também exista representações humanas e “abstractas”. Neste complexo a maioria das gravuras estão datadas do Paleolítico superior, mas existem também pinturas e gravuras do Neolítico e Calcolítico e gravuras da Idade do Ferro e algumas representações da época moderna e contemporânea. Contudo uma grande parte dessas representações são do periodo Solutrense e Magdalenense. Contudo o vale do Côa passou por alguns “problemas” quer no processo para a não construção de uma barragem naquele local (e que iria “destruir” as representações ali existentes) quer no que diz respeito á datação das suas obras durante o mesmo. Os quais foram “resolvidos” após a descoberta uma habitação com centenas de artefactos um metro abaixo da areia, descoberta essa que foi atribuída ao Gravetense.

O que veio provar que ao contrário do que alguns supuseram o vale não era tão recente quanto se julgou e que no Paleolítico superior o mesmo tinha sido habitado. As figuras representadas no vale do Côa foram realizadas por picotagem, incisão filiforme, abrasão ou raspagem ou por combinações destas técnicas. Em alguns exemplares de pintura estão presentes alguns ocres vermelhos e amarelos (e provavelmente existiriam muitos mais que desapareceram pela erosão). Nas gravuras os animais aparecem isolados ou em associação, constituindo autênticos painéis. As representações de animais podem sobrepor-se mais ou menos densamente, como podem também estar bem individualizadas, as suas representações são bastante naturalistas. Algumas das características das representações animais parecem-se com algumas das figuras que podemos encontrar em Cosquer do período Solutrense.

Chaveut, Cosquer e o Vale do Côa foram grandes descobertas que possibilitaram uma visão mais alargada do que se conhecia da arte Paleolítica até então. Algumas das questões que se colocavam até à data das suas descobertas foram resolvidas pelo menos em parte com a ajuda destes locais e de tudo o que neles foi encontrado. Cosquer ajudou na melhor compreensão da teoria dos stencils de dedos incompletos. Côa permitiu a comparação da arte ao ar livre com a arte das grutas e Chauvet veio mostrar que a arte das cavernas era bem mais antiga do que aquilo que se julgava.

Os três Cs’ (Chaveut, Cosquer e Côa) tal como Jean Clottes definiu mostram ao contrário do que acontece por vezes, que podemos ser surpreendidos por descobertas fantásticas e que as mesmas vêm por vezes por em causa coisas que foram dadas como garantidas por muito tempo.


Sónia Henriques

Título: Chauvet, Cosquer e Foz Côa - Arte Rupestre

Autor: Sónia Henriques (todos os textos)

Visitas: 30

798 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 6 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãoto maria

    12-05-2014 às 23:52:35

    Finalmente entendi porque o meu pai falava das gravuras de Foz Côa , só hoje ao ler este texto é que entendi, muito obrigado, adorei os detalhes, a forma descretiva da escrita e o seu conhecimento. Parabens!

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãotulio

    28-01-2013 às 19:51:05

    me ajudou muito no trabalho da escola obriago, galera

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãopatricia

    28-10-2012 às 16:53:18

    muito, muito interessante

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDeni

    23-10-2012 às 21:56:35

    muito bom

    ¬ Responder
  • Sónia HenriquesSónia Henriques

    24-10-2012 às 21:54:31

    Obrigado!

    ¬ Responder
  • Sónia HenriquesSónia Henriques

    23-10-2012 às 21:36:26

    Deixe o seu comentário! Obrigado

    ¬ Responder

Comentários - Chauvet, Cosquer e Foz Côa - Arte Rupestre

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Saiba como consertar seu fone de ouvido

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Electrodomésticos
Saiba como consertar seu fone de ouvido\"Rua
É quase certo que, se não forem todas as pessoas, boa parte delas já tiveram problemas com os fones de ouvido e trocaram-nos, pelo menos uma vez na vida. Há casos que são necessárias várias trocas. Por ser um dispositivo sensível e pequeno, um manuseio incorreto ou peças de má qualidade, interfere na vida útil dos fones de ouvido. Seja um chiado, mau contato no cabo ou um lado que parou de funcionar, quase sempre ocorre.
Isso acaba gerando um gasto, às vezes não planejado. O custo é bem pequeno, porém, se for somado todos os fones já adquiridos, pode ser um valor razoável. A manutenção não é tão cara, mas exige um pouco de dedicação. Se você já não aguenta mais comprar essas pequenas peças que estragam o tempo todo, aprenda como arrumar o seu e livre-se desse problema.

Materiais necessários
Esse artigo irá tratar de três tipos possíveis de manutenção: troca do pino, conserto de mau contato e o reparo dos cabos conectados aos fones. Segue a lista de equipamentos necessários:
- Alicate de bico ou corte com área específica para cortar;
- Estilete;
- Lixa;
- Ferro de solda;
- Estanho para solda;
- Conector P2 estéreo e Fita isolante.




Conector do fone de ouvido: Troca
1 - Com o alicate, corte o cabo onde está o conector;
Nessa etapa, não corte muito próximo ao conector porque o mau contato pode estar na parte flexível do cabo. Também não corte tão longe para não diminuir muito o tamanho.
2 - Com bastante cuidado, utilize o estilete para desencapar o cabo;
Se você aplicar muita força nesse passo, pode danificar os fios ou até se machucar.
3 - Dois fios, correspondente aos fones, estarão visíveis. Peque-os e, com cuidado, tire a capa deles com o estilete;
Existem alguns modelos de fones que não tem capa protetora, apresentando três ou quatro fios. Caso seja o seu caso, veja o passo a seguir.
4 - Utilize a lixa para remover a proteção dos cabos encapados;
5 - Ligue o ferro de solda à tomada;
6 - Passe os fios pela capa do novo conector;
7 - Caso seu fone possua dois fios-terra, torça os dois juntos;
8 - Com o estanho e o ferro de solda, grude os cabos no conector;
Antes de realizar esse paço, verifique a ordem correta dos conectores (fone direito e esquerdo). Se você não tiver certeza, veja no outro conector a ordem correta para soldar os fios.
9 - O fio-terra deve ser soldado no buraco central do conector;
10 - Coloque a capa do conector nele e teste seu fone!

Problema de mau contato: Conserto
Agora, você aprenderá a consertar um cabo com mau contato. É recomendado trocar o cabo todo, pois não se sabe onde exatamente está o mau contato e se é somente naquele ponto.
1 - Com o alicate, corte o cabo próximo ao fone;
2 - Com bastante cuidado, utilize o estilete para desencapar o cabo que resta no fone;
3 - Dois fios, correspondente aos fones, estarão visíveis. Peque-os e, com cuidado, tire a capa deles com o estilete;
4 - Utilize a lixa para remover a proteção dos cabos encapados;
5 - Ligue o ferro de solda à tomada;
6 - Utilizando o estanho, solde os fios do cabo novo no que está com o fone;
7 - Com a fita isolante, encape os remendos realizados;
8 - Utiliza a fita isolante para encapar a parte remendada e teste seu fone!

Defeitos nos contatos dos alto-falantes: Arrumando
Agora, você verá como é simples realizar a manutenção nos fones. Confira os passos a seguir.
1 - Ligue o ferro de solda à tomada;
2 - Abra o fone de ouvido;
Nesse item, verifique se o fone não possui parafusos para evitar danos a ele ao abri-lo. Lembre-se de como você abriu para poder fechar depois.
3 - Apenas com o ferro de solda, aqueça onde os cabos estão conectados para derreter a solda e retirar os fios;
4 - Corte a parte dos fios que estão com mau contato;
5 - Com o estanho e o ferro de solta, grude os fios do cabo nos fones;
6 - Monte o fone de volta e teste-o!

No corpo da matéria, há um vídeo feito pela equipe do Baixaki que pode auxiliar você. Gostou das dicas? Comente!

Pesquisar mais textos:

Lucas Souza

Título:Saiba como consertar seu fone de ouvido

Autor:Lucas Souza(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    16-04-2014 às 18:40:31

    Muito valiosa todas as dicas, gostei muito e detalhou muito bem. Obrigada! Parabéns pelo texto!

    A equipa da Rua Direita

    ¬ Responder
  • Vitoria Ribeiro 12-09-2013 às 08:40:23

    Esta com dificuldade em consertar seu fone de ouvido, mesmo com as explicações acima? Consertamos para você! Temos loja física no Centro do Rio de Janeiro, recebemos e enviamos para todo o BRASIL - - 21-25071518 Vitoria Ribeiro

    ¬ Responder
  • João 08-09-2013 às 02:07:31

    Tenho um Headfone Beats Solo HD vermelho e o arco quebrou bem no lado direito no suporte dobrável do fone, Alguem sabe aonde compro esse arco? Moro em Curitiba.

    ¬ Responder
  • mariel 27-01-2016 às 20:30:21

    Conseguiu, João? Estou com o mesmo problema.

    ¬ Responder
  • André 21-07-2013 às 20:00:44

    Comprei um daqueles fones com entrada para cartao de memoria. dos modelos que encaixam na orelha, porem um dos lados foi quebrado. saberiam irformar se existe peca de reposicao, preciso apenas do encaixe da orelha, paguei R$50,00 e vou perder todoo fone por uma unica peça quebrada. MRH-8806Q NIA

    ¬ Responder
  • joaoa 19-06-2013 às 13:31:56

    tenho um skullcandy navigator, e o lado esquerdo do arco quebrou , a 'caixa' esta solta, tem como consertar??

    ¬ Responder
  • sidney 02-04-2013 às 09:18:23

    Qual o endereço da loja? Tenho um fone Philips HLS 8800 e o cabo arrebento e quero consrtalo.

    ¬ Responder
  • Vc é Plagiador 18-02-2013 às 15:19:44

    Engraçado, tu pega a matéria do Baixaki e cola aqui no site.

    ¬ Responder
  • Daniel 27-02-2013 às 12:00:11

    Copiou na cara dura!

    ¬ Responder
  • Marcelo 26-01-2013 às 08:27:20

    VC ESTA COM DIFICULDADE EM CONSERTAR SEU FONE OUVIDO, MESMO COM AS EXPLICAÇÕES ACIMA? CONSERTAMOS PARA VC! TEMOS LOJA FÍSICA NO CENTRO DO RIO DE JANEIRO, RECEBEMOS E ENVIAMOS PARA TODO O BRASIL -2125071518 . BEATS BY, SONY, PHILLIPS, COBY ENTRE OUTROS

    ¬ Responder
  • Renildo 19-08-2014 às 20:58:42

    VOCE TEM COMO CONSERTAR UM ARCO DO BEATES ORIGINAL?..ELE QUEBROU BEM NO CENTRO..SE TEM COMO CONSERTAR, ME MANDE ENDEREÇO OU EMAIL PRA CONTATO...POR FAVOR..MORO EM BRASILIA..SE TIVER ASSISTENCIA TECNICA POR AQUI PRECISO TELEFONE OU ENDEREÇO..

    ¬ Responder
  • Amparo 07-09-2014 às 14:09:59

    Renildo, Vc conseguiu trocar o arco do beats? estou com o mesmo problema. Tb moro em BSB. Peço me orientar.
    Amparo

    ¬ Responder
  • Daiany Nascimento 17-09-2012 às 12:37:14

    Gostei do texto. Sou fã dos artigos publicados pelos autores do ruadireta.com devido à variedade de temas que posso encontrar, além de que a maioria deles são muito ricos em conteúdo, como este! Parabéns autor pela sua dedicação, saiba que as dicas que encontrei aqui poderão me ajudar muito, pois precisava mesmo saber como consertar meu Fone De Ouvido. Espero por novidades, pois sempre estou à procura de novos conhecimentos. Muito obrigada e Boa escrita!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios