Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Arte > Início à Galeria Borghese: as sete salas

Início à Galeria Borghese: as sete salas

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Arte
Visitas: 4
Início à Galeria Borghese: as sete salas

A coleção Borghese deve-se ao cardeal Scipione, uma personagem dedicada à recolha de obras de arte, hoje reunidas na Galeria Borghese, em Roma. Quando o seu tio subiu ao trono pontífice, a sua coleção de arte aumentou consideravelmente. Encarregue de algumas escavações arqueológicas pelo Papa, deu-lhe a oportunidade de ficar com muitos achados da Roma antiga. Também o Papa mandou construir uma residência para receber a sua enorme coleção de arte, que serviria também como residência diplomática. Ficou concluída em 1633, sendo remodelada ao logo do tempo pelos vários descendentes.

Na primeira sala encontramos uma série de esculturas e relevos embutidos na parede. Destaca-se a escultura de Paolina Bonaparte idealizada como Vénus, realizada por Antonio Canova. A escultura chama-se Paolina como Vénus Vencedora.

Na segunda sala, designada Sala do Sol, devido à pintura na abóboda desta, onde se vê a queda do filho de Apolo, punido pelo grande Júpiter por ter conduzido de forma incorreta a carruagem do Sol, causando malefícios; ou Sala de Hércules, pelos sarcófagos decorados com cenas dos infortúnios de Hércules. Na sala podemos ver uma estátua de Bernini encomendada por Scipione em 1623. Destacamos ainda a pintura de Annibale Carraci, Sansão aprisionado e a Andrómeda libertado por Perseus, de Rutilio Manetti, de 1612.

Na terceira sala, de Apolo e Dafne, podemos ver a pintura de Dosso Dossi, Apolo e Dafne, uma história mitológica numa tela. Apolo e Dafne continuam representados numa escultura de Bernini e na pintura do teto realizada por Pietro Angelini.

A sala quatro é dos Imperadores, pois tem vários bustos de imperadores romanos. Na parede estão embutidas estátuas antigas. O Rapto da Prosérpina de Gian Lorenzo Bernini destaca-se aos nossos olhos, assim como todas as esculturas de Bernini. Esta obra foi encomendada por Scipione para pertencer ao leque de obras na sua casa. Aqui encontram-se dois bronzes: o Touro Farnese de Antonio Susini e Neptuno com Golfinho de Bernini.

Pela sala cinco vemos a estátua do Hermafrodita adormecida, do século II d. C. Passamos para a Sala VI, de Eneias e Anquises, onde nos deparamos com uma estátua de Bernini, designada Eneias e Anquises. A sala sete chama-se egípcia e tem uma estátua romana, o Sátiro sobre um golfinho.


Daniela Vicente

Título: Início à Galeria Borghese: as sete salas

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 4

641 

Comentários - Início à Galeria Borghese: as sete salas

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Informática
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?\"Rua
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Bom, Não é de hoje que tecnologia vem surpreendendo a todos nós com grandes revoluções e os custos que diminuem cada vez mais.
Hoje em dia é comum ver crianças com smarthphones com tecnologia que a 10 anos atrás nem o celular mais moderno e caro do mercado tinha.
Com isso surgiram sugiram vários profetas da tecnologia e visionários, tentando prever qual será o próximo passo.

E os filmes retratam bem esse tema e usam essa formula que atrai a curiosidade das pessoas.
Exemplos:

Minority report - A nova lei de 2002 (Imagem)

Transcendence de 2014

Em Transcendence um tema mais conspiratório, onde um ser humano transcende a uma consciência artificial e assim se torna imortal e com infinita capacidade de aprendizagem.
Vale a pena ver tanto um quanto o outro filme. Algumas tecnologias de Minority Report, como utilizar computadores com as mãos (caso do kinect do Xbox 360 e One) e carros dirigidos automaticamente, já parecem bem mais próximo do que as tecnologias vistas em Transcendence, pois o foco principal do mesmo ainda é um tema que a humanidade engatinha, que é o cérebro humano, a máquina mais complexa conhecida até o momento.

Eu particularmente, acredito que em alguns anos teremos realmente, carros pilotados automaticamente, devido ao investimento de gigantes como o Google e o Baidu nessa tecnologia.

Também acho que o inicio da colonização de Marte, vai trazer grandes conquistas para humanidade, porém grandes desafios, desafios esses que vão nos obrigar a evoluir rapidamente nossa tecnologia e nossa forma de encarar a exploração espacial, não como um gasto, mas sim como um investimento necessário a toda humanidade e a perpetuação da sua existência.

A única salvação verdadeira para humanidade e para o planeta terra, é que seja possível o ser humano habitar outros planetas, seja localizando planetas parecidos com a terra ou mudando planetas sem condições para a vida em planetas habitáveis e isso só será possível com gente morando nesses planetas, como será o caso do Marte. O ser humano com a sua engenhosidade, aprendeu a mudar o ambiente a sua volta e assim deixou de ser nômade e da mesma forma teremos que aprender a mudar os mundos, sistemas, galáxias e o universo a nossa volta.

Espero que tenham gostado do meu primeiro texto.
Obrigado à todos!
Até a Próxima!


Pesquisar mais textos:

Érico da Silva Kaercher

Título:Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Autor:Érico da Kaercher(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios