Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Arte > O despoletar de dúvidas na arte

O despoletar de dúvidas na arte

Categoria: Arte
Visitas: 4
O despoletar de dúvidas na arte

As quatro tábuas de Tavira do século XVI, agrupadas em dois dípticos são de autor desconhecido, mas da escola portuguesa do século XVI. Estas foram descobertas por José António Pinheiro e Rosa, em 1945, na ermida de S. Pedro perto de Tavira, quando este andava a recolher informação para o inventário artístico da região. No entanto, era evidente que a obra não tinha sido executada para a ermida de S. Pedro, mas para Igreja de Santa Maria de Tavira. As quatro pinturas têm 1,60 de altura e 0,3 de largura e representam S. Vicente, S. João Batista, S. Pedro e um Santo Bispo, que mais tarde julgou-se ser S. Brás. Pensa-se que as pinturas quinhentistas foram executadas no período de 1518 a 1534. Alberto Sousa viu a obra e ficou muito agradado, o que levou este a aconselhar José António Pinheiro e Rosa a divulgá-las. A 14 de Agosto de 1949, este divulga as tábuas de Tavira em artigo, no jornal Novidades. A 19 de Agosto do mesmo ano envia uma cópia do artigo a João Couto, director do MNAA.

Na segunda metade do século XX, as tábuas entraram no Museu Nacional de Arte Antiga para serem restauradas, pois estavam em muito mau estado. Aqui, são radiografadas nesse mesmo ano para se proceder à sua restauração com segurança. No entanto, as radiografias não deram muita informação. Também submetidas, provavelmente, à luz rasante, as pinturas revelaram alguns relevos. Com fortes suspeitas de pinturas subjacentes começa-se a fazer o levantamento de camadas de pintura e, assim, surgem pinturas quatrocentistas. Esta situação levou a um impasse: manter as pinturas quinhentistas ou removê-las e tornar visíveis as pinturas quatrocentistas. É necessário salientar as limitações por parte do raio X em dar informação sobre as quatro tábuas de Tavira, o que é bastante frustrante para os historiadores de arte, que consideram o raio X um dos melhores métodos para analisar as obras de arte de forma simples.

Em 1955, surge, novamente interesse por estas pinturas, o que vai levar a várias radiografias até à década de 60. Ao contrário do que tinha acontecido quando foram descobertas e observadas no Museu Nacional de Arte Antiga, as radiografias permitiam uma melhor interpretação, pois mostraram a pintura quatrocentista.

Em 1961, chega-se à conclusão que se deve proceder ao levantamento completo da pintura quinhentista e deixar exposta a pintura quatrocentista, argumentando que a sabedoria do pintor da obra tinha sido ignorada e que as obras do século XV tinham melhor qualidade. No entanto, não se sabe bem porquê, só as pinturas de S. Pedro e S. João sofreram o processo de remoção das pinturas quinhentistas.

Daniela Vicente

Título: O despoletar de dúvidas na arte

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 4

619 

Comentários - O despoletar de dúvidas na arte

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O que é uma Open House?

Ler próximo texto...

Tema: Imóveis Venda
O que é uma Open House?\"Rua
Este é um tema que vem pôr muito a lindo o trabalho de alguns mediadores imobiliários e do seu trabalho.

Quando temos um imóvel para vender, muitos são os métodos a utilizar e os meios que nos levam até eles para termos o nosso objetivo cumprido – A venda da Casa.
Quando entregamos o nosso imóvel para que uma mediadora o comercialize, alguns aspetos têm de ser tidos em conta, como a legalidade da empresa e quem será a pessoa responsável pela divulgação da sua casa, mas a ansia de vermos o negócio concretizado é tanta, que muitas vezes nos escapa a forma como fazem a referida divulgação e publicidade do imóvel.

Entre anúncios na internet e as conhecidas folhas nas montras dos estabelecimentos autorizados, muitas mediadoras optam por fazer uma ação que está agora muito em voga que é uma Open House. Mas afinal, o que é isto de nome estrangeiro que tanto se vê pelas ruas e em folhetos de anúncio?

Ora bem, a designação em Português é muito simples – Casa Aberta. E na realidade, uma Open House é isso mesmo. Abrir uma Casa para que todos a possam ver. NO entanto, requerem-se alguns aspetos que as mediadoras normalmente preveem, mas que é fundamental que o proprietário do imóvel também tenha consciência e conhecimento.

Por norma as imobiliárias só fazem este tipo de intervenção e ação em imóveis que têm como exclusivo, isto é, quando é uma só determinada mediadora, a autorizada a poder comercializar o imóvel.

Em segundo lugar, este tipo de ação de destaque requer à mediadora custos com tempo, recursos humanos e financeiros.
A mediadora começa por marcar um dia próprio que por norma é datado para um feriado ou fim de semana. Faz então publicidade local através de folhetos e flyres anunciando a Open House, o dia e a hora, tal como o local. Muito provavelmente serão tiradas fotografias ao seu imóvel.

Através de redes sociais também poderão ser divulgadas as ações.
No dia da Open House, o local será indicado com publicidade da sua casa e da imobiliária e começarão a aparecer visitas ao imóvel.

Sugiro que não tenha mobiliário e muito menos valores em casa. O ideal será o imóvel estar desocupado de todos e quaisquer bens, por uma questão de segurança, mas também porque as áreas parecerão maiores e isso com toda a certeza ajuda à venda.

A imobiliária será responsável pela limpeza e trato do imóvel, pelo que se ocorrerem danos, serão eles os responsáveis.
Neste tipo de ações, é normal que a concorrência das imobiliárias apareça e faça parcerias que para si só trará vantagens.

Uma Open House pode não ser uma ação de destaque em Portugal, mas por exemplo nos Estados Unidos, é o normal e mais agradável. Os clientes não se sentem pressionados como numa visita normal e os negócios concretizam-se com muito mais rapidez e naturalidade.

Pesquisar mais textos:

Carla Horta

Título:O que é uma Open House?

Autor:Carla Horta(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios