Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Arte > Quem ia à escola no Egito?

Quem ia à escola no Egito?

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Arte
Quem ia à escola no Egito?

No antigo Egito, tal como em outras civilizações, nem todos podiam ir à escola.
Assim, a escola dos egípcios, destinava-se apenas aos filhos da elite governante, isto é, de altos funcionários, sacerdotes e escribas.

Com efeito, eram estes que sucediam aos pais na profissão. No entanto, a maioria deles era analfabeta e as escolas funcionavam dentro dos templos e nalguns departamentos da administração.

Sómente os rapazes e as raparigas entre os cinco e doze anos, podiam frequentar a escola, onde aprendiam a a escrever, contar, fazer cópias e ditados. Inicialmente a escrita egípcia chamava-se hieroglífica e era composta de de cerca de 750 sinais.

Os materiais que utilizavam na escola incluíam dois godés, um para tinta preta e outro para tinta vermelha, um cálamo de junco para escrever e tabuinhas enceradas ou uma paleta, como suporte.

O papiro só era usado depois de dominarem bem a escrita,em virtude de ser um material caro.
A escola deveria ser muito diciplinada, deste modo recorriam a castigos corporais para todos obedecerem às regras.

Nem todos prosseguiam os estudos, a não ser alguns, que continuavam depois dos dezasseis anos.

Mas o ensino, no Egito procurava apenas responder às necessidades da administração do reino.
Na verdade, no Egito ainda não existia a ciência tal como nós a concebemos hoje. Os conhecimentos foram-se impondo como forma de responder às necessidades do quotidiano e da religião.

Desenvolveram a astronomia que surgiu como uma necessidade da construção de pirâmides e templos. Estas porêm eram orientadas pelos quatro pontos cardeais, uma vez que eles já tinham determinado o polo norte e conheciam estrelas, constelações e planetas.

Como ainda não havia relógios, mediam as horas com recurso a relógios de sol. A medicina também teve que evoluir graças à mumificação, que que permitiu conhecer melhor os órgãos e o corpo humano.

Mas , as doenças eram ainda atribuídas a causas religiosas, como o mau olhado ou um castigo divino. Os médicos eram escribas ou sacerdotes, em virtude de serem considerados mágicos. Eram eles que tratabvam de feridas, dentes, fraturas, medicamentos e otras coisas relacionadas com a doença.

A matemática também evoluiu, pois procurava responder a problemas ligados à administração e à arquitetura, registo de propriedades, cálculo das colheitas e dos impostos, construção de templos e túmulos.

Os egípcios usavam já o sistema decimal, as quatro operações da adição, subtração, multiplicação divisão e frações simples.


Teresa Maria Batista Gil

Título: Quem ia à escola no Egito?

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 0

708 

Comentários - Quem ia à escola no Egito?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios