Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Desporto > Lance fora a preguiça!

Lance fora a preguiça!

Categoria: Desporto
Lance fora a preguiça!

Se fosse realizada uma estatística geral, mesmo depois de tantas e tão eloquentes dissertações acerca da necessidade e dos benefícios do exercício físico, certamente o resultado final médio, com o cruzamento de diversas variáveis, tendo por palco cenários diversos, apontaria para uma grande fatia da população a praticar, como desporto mais radical, o levantamento do comando da televisão… Ah! E a mudança das respectivas pilhas quando, de meses a meses, esgotam a sua carga, claro! Então o pestanejar não queima calorias?
Bom, isso depende do peso das pestanas… E da velocidade do acto…
E da sua intensidade… E do maior ou menor esforço… Seja como for, o que é facto é que se a gordura fosse físico, o porco seria atleta!

Neste hipotético estudo, uma das perguntas poderia ser: «Que exercício faz?» A resposta, franca, directa e sem rodeios, resumir-se-ia a uma palavra: «Nenhum…» A questão seguinte: «Quantas vezes por semana?», teria na frequência exacerbada o seu ex-libris: «Todos os dias!» A seguir um plano desportivo tão rigoroso e exigente nunca se poderá vir a escutar o que a mulher do Einstein lhe disse quando o viu a fazer ginástica: «Que físico!» Naturalmente que esta observação decorreria da sua paixão pelo marido, e não se sabe se ela se estaria a referir à boa forma dele ou ao seu trabalho científico no domínio da Física.

Independentemente, o que importa é mexer-se, nem que seja a subir e descer escadas. Há pessoas que chegam ao cúmulo de quase entrar com o carro no café, que fica a 200 ou 300 metros de casa! Por ridículo que possa parecer, gastam mais nesta viagem disparatada do que no consumo de alguma bebida. Até por aqui é despropositado. E depois, como estão cansados de não se mover, quando chegam novamente ao sofá, refastelam-se para descansar como se há dias não se sentassem. Isto denota o ponto de entorpecimento dos músculos, articulações, capacidade respiratória, etcétera. Como tudo, o corpo também precisa de movimento, sob pena de “colar” as “juntas”, como num automóvel…

Para praticar algum desporto não é necessário possuir “pé-de-atleta” nem andar com “uma perna às costas” (o que poderia oferecer algum perigo, nomeadamente em casos de carência de equilíbrio…), nem envergar umas sapatilhas XPTO ou um equipamento de marca mundialmente consagrada. O único requisito é o desejo de estar bem, de ser saudável, de desafiar os próprios limites, de experimentar uma nova liberdade, de se sentir vivo!

Maria Bijóias

Título: Lance fora a preguiça!

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

613 

Comentários - Lance fora a preguiça!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios