Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Biografias > Madre Teresa de Calcutá

Madre Teresa de Calcutá

Categoria: Biografias
Madre Teresa de Calcutá

Agnes Gonxha Bojaxhiu, nome verdadeiro de Madre Teresa de Calcutá, nasceu a 27 de Agosto de 1910 em Skopje, foi uma missionária católica albanesa, nascida na Republica da Macedónia e naturalizada indiana.

Foi beatificada pela Igreja Católica.
O reconhecimento do mundo pelo seu trabalho concretizou-se com o Templeton Prize, em 1973 e com o Nobel da Paz, no dia 17 de Outubro de 1979. Faleceu aos 87 anos em 1997.

Em 1931 partiu para a Índia, para Darjeeling, onde fez formação religiosa no colégio das Irmãs de Loreto. A 24 de Maio de 1931 tomou o nome de “Teresa” enveredando pela via religiosa e emitiu os votos temporários de pobreza, castidade e obediência. Adoptou o nome Teresa em honra de uma missionária francesa, Teresa de Lisieux, padroeira das missionárias.

De Darjeeling foi para Calcutá, onde durante os anos 30 e 40 deu aulas de geografia no colégio bengalês de Sta Mary.
Saiu do colégio e tirou um curso básico de enfermagem que viria a ser um pilar muito importante na sua tarefa pelo mundo.

Em 1948, criou as Missionárias da Caridade, uma congregação de caridade, depois de dois anos de insistência junto do Papa Pio XII. Esta Ordem cujo objectivo era ensinar as crianças pobres a ler, tinha como cores o branco por significar a pureza e o azul por ser a cor da Virgem Maria. Por princípio, adoptou o abandono de todos os bens materiais.

A 21 de Dezembro de 1948, passou a ter nacionalidade indiana. Dois anos depois, começou a empenhar-se no auxílio de doentes com lepra. Em 1965, o Papa Paulo VI colocou sob controlo do papado a sua congregação, passando a ter autorização para a expansão a outros países.

Tratado como um funeral de Estado, vários foram os representantes do mundo que quiseram estar presentes para prestar a sua homenagem. As televisões do mundo inteiro transmitiram ao vivo durante uma semana, os milhões que queriam vê-la no estádio Netaji. No dia 19 de Outubro de 2003, o Papa João Paulo II beatificou Madre Teresa.

Um de seus pensamentos mais marcantes foi: “Não usemos bombas nem armas para conquistar o mundo. Usemos o amor e a compaixão. A paz começa com um sorriso”.


Bruno Jorge

Título: Madre Teresa de Calcutá

Autor: Bruno Jorge (todos os textos)

Visitas: 0

627 

Comentários - Madre Teresa de Calcutá

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um sinal de compromisso

Ler próximo texto...

Tema: Jóias Relógios
Um sinal de compromisso\"Rua
Exibir uma aliança de compromisso é, frequentemente, motivo de orgulho e, quando se olha para ela, vai-se rodando-a no dedo e fica-se com aquela expressão ridícula na cara.

Uma questão se coloca: qual a razão de estas alianças de compromisso serem tão fininhas: será porque os seus principais clientes, os jovens, são sujeitos de poucas posses (tendendo as mesadas a emagrecer ainda mais com a crise generalizada) ou porque esse compromisso, não obstante a paixão arrebatadora, é frágil e inseguro?

Sim, porque aqui há que fazer cálculos matemáticos: x compromissos vezes y alianças…com um orçamento limitado sobre um fundo sentimental infinito…

Depois, importa perpassar os tipos destas alianças. Há as provisórias, que duram em média quinze dias; há as voadoras, que atravessam os ares à velocidade da luz quando a coisa dá para o torto; há as que insistem em cair do dedo, sobretudo em momentos em que ter um compromisso se revela extremamente inoportuno; e depois há as residentes, que uma vez entradas não tornam a sair.

Os pombos-correios usam anilhas onde figuram códigos que os identificam. Talvez não fosse completamente descabido fazer umas inscrições deste género em algumas alianças de compromisso por aí…

Só para ajudar os mais esquecidos a recordarem a que “pombal” pertencem.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Um sinal de compromisso

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    22-09-2014 às 05:46:10

    Um sinal de amor e lealdade perpétua! Adoro ver os vários modelos de aliança! Vale a pena escolher uma bem bonita!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios