Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Biografias > D. Pedro II, o Pacífico

D. Pedro II, o Pacífico

Categoria: Biografias
Visitas: 12
D. Pedro II, o Pacífico

Filho de D. João IV e de D. Luísa de Gusmão, D. Pedro II nasceu a 26 de Abril de 1648, em Lisboa. Foi o último filho do casal, e, como tal, tudo fazia prever que nunca chegaria a rei. Contudo, com a morte do príncipe D. Teodósio em 1653, e com a deficiência perturbadora do irmão D. Afonso, coube a D. Pedro afirmar Portugal face à superioridade espanhola em território português durante 60 anos.

D. Afonso VI só governou de 1662 a 1667, dando lugar ao seu irmão, D. Pedro II, que também ficou com a sua mulher, D. Maria Francisca Isabel de Sabóia (filha de Carlos de Sabóia e de Isabel de Nemours), casando-se com esta a 28 de Março de 1668. Com a morte do seu irmão, a 12 de Setembro de 1683, D. Pedro foi aclamado rei. Deste primeiro casamento, teve apenas uma filha, Isabel Luísa Josefa, de saúde frágil.

Volta, novamente, a casar, a 22 de Maio de de 1687, com D. Maria Sofia Isabel de Neuburgo, filha de Filipe Guilherme, duque de Baviera-Neuburgo, e de Isabel Amália Madalena de Hesse-Darmstadt. Chegou a Portugal a 11 de Setembro do mesmo ano. Deste casamento, D. Pedro II assegurou, decididamente, a sua descendência com sete filhos: D. João que morreu 18 dias depois do nascimento, D. João, futuro D. João V, D. Francisco, D. António, D. Teresa, D. Manuel e D. Francisca. Pelo caminho, ainda teve três filhos bastardos: D. Luísa (Maria da Cruz Mascarenhas), D. Miguel (filho da sua amante preferida, D. Ana Armanda du Vergé) e D. José (filho de D. Francisca Clara da Silva). Das relações extraconjugais do marido, D. Maria Sofia não gostava nada, chegando mesmo a queixar-se à sua família em cartas. O rei apanhou, inclusive, doenças infecciosas das suas amantes, o que não ajudou a situação do casal.

D. Maria Sofia faleceu a 4 de Agosto de 1699, vítima de uma doença infecciosa para uns, e de uma erisipela para outros (infecção cutânea). D. Pedro II faleceu a 9 de Dezembro de 1706, em Lisboa, deixando o trono ao seu descendente, rei absoluto por excelência, D. João V.

Daniela Vicente

Título: D. Pedro II, o Pacífico

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 12

674 

Comentários - D. Pedro II, o Pacífico

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como fazer disfarces de Carnaval

Ler próximo texto...

Tema: Vestuário
Como fazer disfarces de Carnaval\"Rua
O ano começa e depressa chega uma data muito ansiada principalmente pelos mais jovens: o desejado Carnaval!

Esta é uma data que os pequenos adoram e deliram com as fantasias. O problema maior é a despesa que os disfarces representam e no ano seguinte já não usarão o mesmo disfarce ou, no caso dos mais pequenos, já não lhes serve.
O melhor nesta data é mesmo reciclar e aprender a fazer disfarces caseiros utilizando truques mais económicos e materiais reciclados para preparar as fantasias dos pequenitos!

Uma sugestão para os meninos é o traje de pirata que pode facilmente ser criado a partir de peças que tenha em casa. Procure uma camisa de tamanho grande e, de preferência, de cor branca com folhos. Se não tiver uma camisa com estas características facilmente encontrará um modelo destes no guarda-vestidos de alguma familiar, talvez da avó.

Precisará de um colete preto. Na falta do colete pode utilizar um casaco preto que esteja curto, rasgue as mangas pelas costuras dos ombros. As calças devem ser velhas e pretas para poderem ser cortadas na zona das pernas para envelhecer a peça. Coloque um lenço preto ou vermelho na cabeça do menino e, de seguida, com um elástico preto e um pouco de velcro tape um dos olhos.

Para as meninas não faltam ideias originais para fazer disfarces bonitos e especiais para este dia. Uma ideia original é a fantasia de Flinstone. É muito fácil e prática de fazer e fica um disfarce muito bonito. Comece por arranjar um pedaço de tecido branco. Coloque o tecido em volta do corpo como uma toalha de banho e depois amarre num dos braços fazendo uma alça. Depois corte as pontas em ziguezague mantendo um lado mais comprido que o outro. Amarre o cabelo da menina todo no cimo da cabeça, como se estivesse a fazer um rabo-de-cavalo mas alteie-o mais. Com o auxílio de um pente frise o cabelo, pegando nas pontas e passando o pente em sentido contrário até que fique todo despenteado. Numa loja de disfarces compre um osso de plástico e prenda na fita da criança.

Pegue nos materiais, puxe pela imaginação e ponha mãos ao trabalho!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Como fazer disfarces de Carnaval

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    09-06-2014 às 04:01:21

    Não em carnaval, mas em bailes de fantasia, sempre usei o TNT. Eles são ótimos para trabalhar o corte, para costurar e deixa bem bonito!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios