Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Biografias > D. Leonor de Lencastre, uma rainha portuguesa

D. Leonor de Lencastre, uma rainha portuguesa

Categoria: Biografias
Visitas: 6
D. Leonor de Lencastre, uma rainha portuguesa

D. Leonor de Lencastre nasceu a 5 de Maio de 1458, em Beja, filha do infante D. Fernando, Duque de Viseu, irmão de D. Afonso V, e de D. Beatriz, sobrinho do rei D. Duarte. D. Leonor, ao contrário de outras rainhas, era portuguesa, cognominada como D. Leonor de Portugal. Descendia de D. João I, o Mestre de Avis, irmão D. Fernando, e de D. Filipa de Lencastre, a respectiva mulher e rainha.

Casou em 1471 com D. João II de Portugal, que subiu ao trono aos 26 anos, após a morte do seu pai a 28 de Agosto de 1481. D. Leonor tinha apenas 13 anos, mas o futuro reserva-se auspicioso como rainha de Portugal. A 18 de Junho de de 1475, D. Leonor teve o seu primeiro filho, Afonso, nos Paços da Alcáçova. Oito anos depois, em 1483, D. Leonor presenteia o reino com o seu segundo filho, que veio a falecer num parto complicado.

Como era costume na época, D. Leonor de Lencastre teve que suportar a dor de ver crescer o filho bastardo do rei com D. Ana Mendonça, dama de D. Joana, a Excelente Senhora. D. Jorge nasceu a 12 de Agosto de 1481 em Abrantes. Quando o príncipe Afonso morreu com 16 anos nas caçadas em Santarém, D. Jorge foi o escolhido pelo pai para ocupar o trono quando a hora chegasse. Procurou legitimar o filho, o que veio agravar a situação conjugal dos monarcas.

Esta situação não era nova, pelo contrário, aconteceu a D. João I, filho de D. Pedro I e de Teresa Lourenço, a amante conhecida que se seguiu no historial do rei após a morte de D. Inês de Castro. Infelizmente, para pai e filho, D. Leonor de Lencastre pedido do rei, sendo uma grande afronta para ela como mãe, que acabara de perder o seu único filho e legitimo rei da Dinastia de Avis. Conta as estórias que a situação entre o casal ficara tão mal, que D. João II chegava a tratar mal a rainha em público.

Confrontado com um dilema, D. João III opta por nomear D. Manuel o seu sucessor ao trono, mas deixa claro, que caso D. Manuel não tenha filhos, D. Jorge deve sucede-lo.

D. Leonor faleceu a 17 de Novembro de 1525, aos 67 anos.


Daniela Vicente

Título: D. Leonor de Lencastre, uma rainha portuguesa

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 6

721 

Comentários - D. Leonor de Lencastre, uma rainha portuguesa

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um sinal de compromisso

Ler próximo texto...

Tema: Jóias Relógios
Um sinal de compromisso\"Rua
Exibir uma aliança de compromisso é, frequentemente, motivo de orgulho e, quando se olha para ela, vai-se rodando-a no dedo e fica-se com aquela expressão ridícula na cara.

Uma questão se coloca: qual a razão de estas alianças de compromisso serem tão fininhas: será porque os seus principais clientes, os jovens, são sujeitos de poucas posses (tendendo as mesadas a emagrecer ainda mais com a crise generalizada) ou porque esse compromisso, não obstante a paixão arrebatadora, é frágil e inseguro?

Sim, porque aqui há que fazer cálculos matemáticos: x compromissos vezes y alianças…com um orçamento limitado sobre um fundo sentimental infinito…

Depois, importa perpassar os tipos destas alianças. Há as provisórias, que duram em média quinze dias; há as voadoras, que atravessam os ares à velocidade da luz quando a coisa dá para o torto; há as que insistem em cair do dedo, sobretudo em momentos em que ter um compromisso se revela extremamente inoportuno; e depois há as residentes, que uma vez entradas não tornam a sair.

Os pombos-correios usam anilhas onde figuram códigos que os identificam. Talvez não fosse completamente descabido fazer umas inscrições deste género em algumas alianças de compromisso por aí…

Só para ajudar os mais esquecidos a recordarem a que “pombal” pertencem.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Um sinal de compromisso

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    22-09-2014 às 05:46:10

    Um sinal de amor e lealdade perpétua! Adoro ver os vários modelos de aliança! Vale a pena escolher uma bem bonita!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios