Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Alimentação > Vai um sushi?

Vai um sushi?

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Alimentação
Vai um sushi?

Quando ouvem falar de sushi muitas pessoas imediatamente o associam e referem-se ao sushi como sendo simplesmente peixe cru. Ora, esta conceção está completamente errada. O prato em que o sushi é servido por si só é denominado de sashimi.

No sushi o peixe é apenas e só um dos vários ingredientes que podem ser adicionados, e não o “ingrediente central”.

O sushi é um prato tradicional do Japão e que já existe há muitos séculos, sendo que nos últimos tempos tem-se tornado numa das grandes coqueluches da culinária moderna.

Este prato já existe há mais de um milénio e o seu ingrediente principal é o arroz. Além do mais, é precisamente a textura e a consistência do arroz que torna o sushi melhor ou pior. Os grãos de arroz são cozidos e depois misturados com sal, açúcar e vinagre especial de arroz, nas doses certas. No entanto, existem por todo o mundo várias receitas e maneiras diferentes de fazer sushi e no próprio Japão o sushi é feito de maneira diferente consoante cada região. Por exemplo, em Osaka o sushi normalmente leva pepino e outros vegetais, e também pode conter ervas enroladas com arroz e algas marinhas frescas.

Apesar de o peixe não ser o ingrediente central no sushi, é um elemento importante e por isso para se conseguir confecionar um bom sushi é essencial usar peixe fresco.

O sushi tanto pode ser comido com pauzinhos como com as mãos. Uma regra a ter em conta, quando pedir sushi num restaurante, é que nunca deve ensopar o arroz no molho, uma vez que isso é considerado como sendo um insulto ao chef.

Os Japoneses não têm por hábito fazer sushi em casa, uma vez que consideram que apenas um chef especialista consegue fazer um bom sushi. Por outro lado, no Japão existem tantos sítios para se ir comer um bom sushi, que não se justifica estar a confecioná-lo em casa.

O sushi também apresenta grandes benefícios em termos de saúde uma vez que é muito rico em vitaminas e pobre em gorduras saturadas. Além disso alguns dos peixes usados na confeção do sushi são muito ricos em ómega 3, o que ajuda na prevenção de doenças cardiovasculares e artrite. Além de saboroso também faz bem à saúde!


Carlos Vieira

Título: Vai um sushi?

Autor: Carlos Vieira (todos os textos)

Visitas: 0

771 

Imagem por: » Zitona «

Comentários - Vai um sushi?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

A arte de trabalhar a madeira

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Serviços Construção
A arte de trabalhar a madeira\"Rua
A carpintaria constitui, digamos assim, a arte de trabalhar a madeira. É claro que, de acordo com o produto final, se percebe bem que uns carpinteiros são mais artistas do que outros…

Às vezes nem se trata tanto dos pormenores, mas mesmo de desvirtuar o que era a ideia inicial e constava da encomenda. Mal comparado, quase se assemelha à situação daquela aspirante a costureira que pretendia fazer uma camisola para o marido e, no fim, saíram umas calças!

Na construção civil, a madeira é utilizada para diversos fins, temporários ou definitivos. Na forma vitalícia (esperam os clientes!) incluem-se estruturas de cobertura, esquadrias (portas e janelas), forros, pisos e edifícios pré-fabricados.

Quase todos os tipos de madeira podem ser empregues na fabricação de móveis, mas alguns são preferidos pela sua beleza, durabilidade e utilidade. É conveniente conhecer as características básicas de todas as madeiras, como a solidez, a textura e a côr.

Ser capaz de identificar o género de madeira usado na mobília lá de casa pode ajudar a determinar o seu real valor. Imagine-se a possibilidade de uma cómoda velha, que estava prestes a engrossar o entulho para a recolha de lixo, ter sido feita com o que hoje se considera uma madeira rara.

É praticamente equivalente a um bilhete premiado do Euromilhões, dado que se possui uma autêntica relíquia! Nestes casos, a carpintaria entra na área do restauro e da recuperação. Afinal, nem tudo o que é velho se deita fora…

Por outro lado, as madeiras com textura mais fraca são frequentemente manchadas para ganhar personalidade. Aqui há que remover completamente o acabamento para se confirmar a verdadeira natureza da madeira.

É assim também com muita gente: tirando a capa, mostram-se autenticamente. Mas destes, nem um artificie com “bicho-carpinteiro” consegue fazer nada…!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:A arte de trabalhar a madeira

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: » Zitona «

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    23-09-2014 às 13:23:35

    Uma excelente técnica que penso ser muito bonito e sofisticado. A arte de trabalhar madeira está sempre em desenvolvimento e crescimento.

    ¬ Responder
  • Rua DireitaRua Direita

    01-06-2014 às 05:18:46

    É ótimo o trabalho com a madeira. Pode-se perceber grandes obras que se faz com ela. Realmente, é uma verdadeira arte!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios