Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Telemóveis > Como escolher o melhor tarifário para o telemóvel

Como escolher o melhor tarifário para o telemóvel

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Telemóveis
Comentários: 2
Como escolher o melhor tarifário para o telemóvel

As ofertas de planos tarifários para telemóvel são cada vez mais vastas, tendo cada operadora mais de uma dezena de opções. A definição da tarifa mais conveniente e económica depende do modo como se usa o telefone, em termos de horários, duração e destino das chamadas, e também de se ter preferido faturação ao minuto ou ao segundo, carregamentos obrigatórios ou não, etcétera.

A escolha de um tarifário móvel não é simples, até porque as escolha são muitas e em constante atualização. A Internet explica e simplifica algumas destas propostas, organizando a classificação sob diversos aspetos, mas nem sempre é fácil o cliente encaixar-se numa delas.

Um fator potencialmente decisivo é o facto de a maioria das comunicações se efetuar, ou não, para a mesma rede, uma vez que os preços para a mesma rede são bastante mais aprazíveis. Efetuar 70 por cento das chamadas móveis dentro da própria rede com um tarifário feito quase à medida, é passível de conduzir a uma poupança a rondar os 500 euros por ano! Recorrer às faturas detalhadas pode ajudar nesta tarefa, assim como para perceber que percentagem de chamadas é feita para um grupo restrito de pessoas. É que existem tarifários especialmente concebidos para quem fala principalmente para até um determinado número de contactos. Fora deste leque pré-escolhido, porém, as taxas apresentam-se pouco convidativas.

Os tarifários pré-pagos são outra boa eleição. Saem, regra geral, mais baratos, para além de permitirem um melhor controlo dos gastos. Os pós-pagos, com minutos de conversação e mensagens escrita incluídas, apenas compensam no caso de se utilizar grandemente cada um destes serviços. Esta relação contratual com o operador, que pressupõe o débito de uma mensalidade fixa, dá ao consumidor direito a algumas propostas do seu interesse. Certos tarifários pós-pagos aparecem sob a forma de pacotes de minutos. Calcular a média de minutos mensais auxilia o discernimento. O valor total não serve de muito, pois é possível que os preços por minuto sejam diferenciados.

A propósito, é útil ressaltar que a taxação ao segundo é mais cara do que ao minuto, ainda que não se abuse do telemóvel.

Os tarifários com condições especiais entre comunidades ou grupos devem ser contratados somente se 60 a 80 por cento das comunicações se realizarem para números aderentes.

Depois de ter uma ideia de qual o perfil de consumo em que se insere, o cliente pode consultar a Internet para esclarecer dúvidas que tenha e fica, simultaneamente, mais preparado para colocar ao seu operador as perguntas corretas e poder decidir com pleno conhecimento de causa.

De salientar que, em qualquer situação, a redução ao mínimo de serviços adicionais às comunicações básicas é um fator importante de diminuição (ou não acréscimo) de custos.


Maria Bijóias

Título: Como escolher o melhor tarifário para o telemóvel

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

708 

Imagem por: anne.oeldorfhirsch

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Rafaela CoronelRafaela

    09-11-2014 às 03:08:45

    É bom controlar mesmo essas tarifas, pois acabam por prejudicar o bolso no fim do mês. Sugiro o plano controle, pois dá pra nos colocar limites de gastos.

    ¬ Responder
  • Sofia NunesSofia Nunes

    15-09-2012 às 13:51:02

    Escolher bem o tarifário, reduzindo assim os custos das comunicações, torna-se uma necessidade, uma vez que vivemos tempos em que sentimos ser imperativo poupar em todas as dimensões da nossa vida. Estranhamente ou não, as redes mais conhecidas e difundidas, e portanto as que têm maior adesão por parte do consumidor, nunca são as mais baratas ou as que apresentam custos mais competitivos. É, assim, necessário apostar na poupança, não nos deixando cegar pela publicidade.

    ¬ Responder

Comentários - Como escolher o melhor tarifário para o telemóvel

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Informática
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?\"Rua
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Bom, Não é de hoje que tecnologia vem surpreendendo a todos nós com grandes revoluções e os custos que diminuem cada vez mais.
Hoje em dia é comum ver crianças com smarthphones com tecnologia que a 10 anos atrás nem o celular mais moderno e caro do mercado tinha.
Com isso surgiram sugiram vários profetas da tecnologia e visionários, tentando prever qual será o próximo passo.

E os filmes retratam bem esse tema e usam essa formula que atrai a curiosidade das pessoas.
Exemplos:

Minority report - A nova lei de 2002 (Imagem)

Transcendence de 2014

Em Transcendence um tema mais conspiratório, onde um ser humano transcende a uma consciência artificial e assim se torna imortal e com infinita capacidade de aprendizagem.
Vale a pena ver tanto um quanto o outro filme. Algumas tecnologias de Minority Report, como utilizar computadores com as mãos (caso do kinect do Xbox 360 e One) e carros dirigidos automaticamente, já parecem bem mais próximo do que as tecnologias vistas em Transcendence, pois o foco principal do mesmo ainda é um tema que a humanidade engatinha, que é o cérebro humano, a máquina mais complexa conhecida até o momento.

Eu particularmente, acredito que em alguns anos teremos realmente, carros pilotados automaticamente, devido ao investimento de gigantes como o Google e o Baidu nessa tecnologia.

Também acho que o inicio da colonização de Marte, vai trazer grandes conquistas para humanidade, porém grandes desafios, desafios esses que vão nos obrigar a evoluir rapidamente nossa tecnologia e nossa forma de encarar a exploração espacial, não como um gasto, mas sim como um investimento necessário a toda humanidade e a perpetuação da sua existência.

A única salvação verdadeira para humanidade e para o planeta terra, é que seja possível o ser humano habitar outros planetas, seja localizando planetas parecidos com a terra ou mudando planetas sem condições para a vida em planetas habitáveis e isso só será possível com gente morando nesses planetas, como será o caso do Marte. O ser humano com a sua engenhosidade, aprendeu a mudar o ambiente a sua volta e assim deixou de ser nômade e da mesma forma teremos que aprender a mudar os mundos, sistemas, galáxias e o universo a nossa volta.

Espero que tenham gostado do meu primeiro texto.
Obrigado à todos!
Até a Próxima!


Pesquisar mais textos:

Érico da Silva Kaercher

Título:Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Autor:Érico da Kaercher(todos os textos)

Imagem por: anne.oeldorfhirsch

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios