Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Telemóveis > Tecnologia Móvel No Aprender

Tecnologia Móvel No Aprender

Categoria: Telemóveis
Visitas: 4
Tecnologia Móvel No Aprender

O mundo tornou-se móvel e a educação nas escolas precisa seguir o mesmo ritmo. Afinal, o aprendizado teve uma mudança evolutiva, dinâmica e radical tornando, o celular e seus recursos, algo de suma importância.

As possibilidades de utilização de telemóveis para que os alunos se envolvam nas atividades disciplinares são infinitas! Desde as redes sociais, os aplicativos, os recursos de gravações, áudios, GPS, enfim, toda essa gama de entretenimento pode ser um bom aliado para o professor ensinar o conteúdo na linguagem que eles entendem muito bem!

Segue abaixo algumas atividades multidisciplinares em que o professor pode utilizar na sala de aula para que o conteúdo chame a atenção dos alunos, através destes dispositivos móveis, e que os levem a participarem com grande alegria e prazer. Certamente, a recusa não existirá!

O departamento de geografia da Priory School, Portsmouth tem liderado o uso de dispositivos móveis na aprendizagem. Ao longo dos anos foi criado e liderado pelo chefe do departamento, David Rogers, atividades para que os alunos pudessem usar dispositivos móveis na aprendizagem. Ele foi testado pelo departamento de geografia que confirmou grande sucesso com os alunos tornando-os ativos com a sua aprendizagem nas mais diferentes disciplinas.

Alguns dos exemplos do uso de dispositivos móveis variam de simplesmente tirar fotos e vídeos para compartilhar em sala de aula ou gravação de trabalhos em casa, para a criação de podcasts de revisão ou animações.

O que será apresentado em sala de aula é a escolha do aluno. Dessa forma, incentiva-o a aprendizagem independente e permite que ele escolha qual abordagem irá apresentar para a classe. Assim, descobre-se que incentivando o uso de dispositivos móveis, isso permite que os alunos acessem recursos dos mais variados. Por exemplo, os estudantes podem ter acesso à internet para pesquisas (como blogs do departamento e o facebook da escola).

No trabalho de campo, por exemplo, os alunos podem gravar imagens, vídeos, sons, fazer anotações, usar a tecnologia GPS e software de mapeamento para registrar informações essenciais para a disciplina. Na escola, usam-se celulares para gravar o trabalho, por exemplo, os estudantes usam giz em torno da escola para deixar mensagens ou símbolos referentes a espaços sociais e mensagens de guerrilha, em seguida, usa os celulares para tirar fotografias ou gravar vídeos ou entrevistas discutindo seu trabalho, que poderia, então, ser compartilhada com a classe. O foco é a aprendizagem, a discussão sobre o que ganharam com essa atividade, e não no dispositivo.

Atividade onde os alunos investigam lugares secretos na escola - eles têm que encontrar um espaço, e descobrir provas ou indícios sobre esse espaço para compartilhar com os outros. Muitos usam seus celulares para gravar pistas de som ou de imagem para compartilhar.

Os alunos usam telefones celulares regularmente nas aulas para acessar notícias da língua estrangeira atual e outros materiais autênticos da web que pode ser usado imediatamente para informar discussões em grupo e expressar a escrita. Outros recursos de aprendizagem de línguas valiosos, tais como dicionários on-line, também estão a apenas alguns segundos de distância.

Fotos e vídeos tirados com telefones celulares na sala de aula são compartilhados imediatamente com estudantes que usam blogs, mídias sociais ou ferramentas como o Evernote para acesso posterior.

Além disso, uma grande variedade de podcasts de língua estrangeira e outros recursos estão disponíveis para os alunos fazerem o download e acessarem num horário e lugar mais convenientes.


Rafaela Coronel

Título: Tecnologia Móvel No Aprender

Autor: Rafaela Coronel (todos os textos)

Visitas: 4

377 

Comentários - Tecnologia Móvel No Aprender

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os 10 melhores queijos holandeses

Ler próximo texto...

Tema: Alimentação
Os 10 melhores queijos holandeses\"Rua
Os holandeses são conhecidos como “cabeças de queijo”. A partir daí, podemos notar e concluir que não são apenas amantes de queijo, mas também grandes produtores.
O queijo está presente na Holanda há milhares de anos, desde os tempos de Júlio César, que ficou encantado com os queijos que encontrou no local. Desde então, os queijos holandeses dividem espaço com as flores como símbolo da cultura da Holanda, gerando a maior parte do combustível econômico do país.

Os holandeses fabricam 650 milhões de quilos de queijo por ano, exportando dois terços desse volume para outros países. São os maiores exportadores de queijo do mundo.
Além disso, cada cidadão da Holanda come por ano, em média, 15 quilos de queijo.

Conheça os 10 melhores tipos de queijos holandeses:

1- Queijo Gouda
O queijo recebe o nome da cidade onde é produzido e é responsável por dois terços de toda a produção de queijos da Holanda. É o mais famoso e copiado no mundo.
Trata-se de um queijo macio e cremoso, em formato circular, com os famosos furinhos no meio. Pode-se encontrar variações no tempero, como especiarias e ervas finas. Possui um nível elevado de gordura de 48%, mas que garante o sabor único, úmido e macio do queijo. É considerado um dos melhores queijos do mundo.

2- Queijo Edam
É facilmente reconhecido por possuir no seu interior a coloração amarelo claro e camadas vermelhas ou alaranjadas nas partes mais externas. Possui um sabor picante e é mais seco se comparado com o tipo Gouda. Por esses motivos, possui menos gordura, 40%.

3- Queijo Leiden
Possui menor teor de gordura em comparação com os anteriores por se tratar de leite coado na fabricação do queijo. É mais firme e robusto, com consistência mais rígida. Pode conter especiarias em seu interior. Possui maturação mais prolongada e é prensado, o que o torna mais firme. Além de conter pimenta cominho na preparação da sua massa, dando um sabor mais do que especial ao queijo.

4- Queijo Maasdammer
Queijo com sabor de nozes fabricado na cidade de Maasdam. Também possui os famosos buracos no seu interior e um sabor peculiar e distinto. Possui estrutura firme, consistente, devido a sua cura precoce, de aproximadamente quatro semanas.

5- Queijo Cablanca
Esse queijo de cabra é classificado de duas maneiras: um tipo é fresco e mole, mais suave e cremoso; o outro é semiduro e curado, semelhante ao aspecto dos queijos gouda.
Os primeiros possuem sabor agradável e leve, por serem mais frescos. Enquanto os segundos possuem sabor mais forte e cítrico.

6- Queijo Boerenkaas

Queijo feito essencialmente de forma artesanal, o que o torna um queijo único e exclusivo, além de mais caro que os demais. Pelo menos metade do leite utilizado na fabricação desse queijo deve ser originário de vacas que são criadas na própria fazenda produtora. Além disso, o restante do leite utilizado não pode ser proveniente de mais do que duas fazendas diferentes e próximas ao local original de produção do queijo.

7- Queijo Defumado
Esse tipo de queijo é um pouco diferente dos demais. É fabricado e praticamente finalizado, após isso, é derretido e novamente prensado em formato de embutidos. É geralmente vendido por fatia, em formato de linguiça.

8- Queijo de cravo da Frísia
É um queijo preparado de leite desnatado na região da Frísia.
Além do cominho, leva na fabricação da sua massa pitadas de cravo. Isso garante a esse queijo um sabor forte, seco e rústico. Sua consistência é firme.



9- Queijo Parrano
É um queijo de vaca que possui um sabor que combina com doces aromas.
É um queijo feito nos moldes dos queijos italianos, parecido com a textura do parmesão. Por isso mesmo, é bastante usado na gastronomia italiana.

10 – Queijo Graskaas

Esse queijo é especial pois é feito a partir do primeiro leite produzido pelas vacas após retornarem da pastagem, depois de passarem o inverno trancadas nos celeiros.

Pesquisar mais textos:

Filipe Mixa

Título:Os 10 melhores queijos holandeses

Autor:Filipe Mixa(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios