Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Jóias Relógios > Relógios de cuco

Relógios de cuco

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Jóias Relógios
Visitas: 28
Comentários: 2
Relógios de cuco

Os relógios de cuco são um tipo de relógio tradicionalmente regulado por um pêndulo que, além de dar horas, como um relógio normal solta um pequeno cuco, tornando-se o seu chamamento audível.

Este relógio é diferente dos outros e funciona graças a uma série de componentes externos que, juntos ejetam o cuco e reproduzem o seu som de forma sincronizada com os ponteiros do mostrador.

O relógio de cuco já está atualmente na sua forma moderna e diversificou-se em três tipos principais.

O primeiro tipo é pois, considerado o mais tradicional, tendo sido criado na zona da floresta Negra e é o mais valioso devido à qualidade do fabrico dos relógios de cuco da região.
Estes são totalmente mecãnicos, e é necessário dar-lhes corda frequentemente, e funciona graças a pesos pendurados sob o relógio.

Consideram-se dois tipos distintos de mecanismos, com efeito, de um dia e de oito dias.
O segundo tipo de relógio é o chamado chalé, inventado no final do século XIX, na Suiça.
estes relógios assemelham-se a chalés de madeira e usam sistemas mecânicos ou de quartzo, consoante a sua qualidade.

Além disso este relógio inclui um mecanismo que consta de um oscilador eletrónico que é regulado por um cristal de quartzo, com o oscilador a criar um sinal com uma frequência muito precisa. Funciona a pilhas e dispensa cordas e pesos.

Os relógios de chalé diferem das variantes Floresta Negra por terem, habitualmente, outras figuras além da tradicional ave, como lenhadores e criadas.

Contudo, a mais recente variante destes relógios de cuco é o de quartzo moderno.

O motivo é que tendem a ser mais contidos em design e têm mecanismos internos não tradicionais, como por exemplo os relógios de quartzo modernos que produzem o seu circular eletrónicamente, através de uma gravação digital, ao invés dos tradicionais sistemas de fole duplo.

O interior do relógio contêm pesos, correntes, um pêndulo, na parte da frente.
Da parte de trás, contêm uma ave, martelo, assobios e um mecanismo que consiste numa série de engrenagens que controlam o martelo, nomeadamente os assobios e ejeção da ave.
Na verdade a atribuição da criação dos tão célebres relógios de cuco foi atribuída ao matemático grego Ctesíbio.

Ainda hoje são um grande sucesso e alvo de coleçções por parte de muita gente.


Teresa Maria Batista Gil

Título: Relógios de cuco

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 28

798 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Luene ZarcoLuene

    20-09-2014 às 13:45:48

    Tão bom ter esse relógio de cuco em casa! Achei muito interessante e genial. Adorei o texto!

    ¬ Responder
  • SophiaSophia

    09-05-2014 às 16:04:18

    Que lindo esse relógio de cuco! Ainda não havia escutado sobre ele, adorei o texto que me fez conhecê-lo.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Relógios de cuco

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um caminho para curar o transtorno alimentar

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Saúde
Um caminho para curar o transtorno alimentar\"Rua
De acordo com um relatório divulgado em novembro de 2014 pelo Comitê Permanente sobre o Status da Mulher, entre 600 mil a um milhão de canadenses cumprem os critérios diagnósticos para um transtorno alimentar em um dado momento. Problemas de saúde mental com ramificações físicas graves, anorexia e bulimia são difíceis de tratar.

Os programas públicos de internação frequentemente não admitem pacientes até que estejam em condição de risco de vida, e muitos respondem mal à abordagem em grupo. As clínicas privadas costumam ter listas de espera épicas e custos altos: um quarto custa de US$ 305 a US$ 360 por dia.


Corinne lutou juntamente com seus pais contra a bulimia e anorexia por mais de cinco anos. Duffy e Terry, pais de Corinne, encontraram uma clínica na Virgínia. Hoje, aos 24 anos, ela é saudável e está cursando mestrado em Colorado. Ela e seus pais acreditam que a abordagem holística, o foco individualizado e a estrutura imersiva de seu tratamento foram fundamentais para sua recuperação.

Eles sabem que tinham acesso a recursos exclusivos. "Tivemos sorte", diz Duffy. "Podíamos pagar por tudo." Mas muitos não podem.
A luta desta família levou-os a refletir sobre o problema nos Estados Unidos. Em 2013, eles fundaram a Water Stone Clinic, um centro privado de transtornos alimentares em Toronto. Eles fazem yoga, terapia de arte e participam na preparação de refeições, construindo habilidades na vida real com uma equipe de apoio empática. Os programas funcionam nos dias da semana das 8h às 14h, e até agora, não tem lista de espera. Porém essa abordagem é onerosa: aproximadamente US$ 650 por dia.

A família criou a Fundação Water Stone - uma instituição de caridade que fornece ajuda a pacientes que não podem pagar o tratamento. Os candidatos são avaliados por dois comitês que tomam uma decisão baseada na necessidade clínica e financeira. David Choo Chong foi o primeiro a se beneficiar da fundação. Ele havia tentado muitos programas, mas nenhum foi bem sucedido. A fundação pagou metade do tratamento. Dois anos depois, Choo Chong, feliz e estável diz "Water Stone me ajudou a encontrar quem eu sou".

Pesquisar mais textos:

Roberta Darc

Título:Um caminho para curar o transtorno alimentar

Autor:Roberta Darc(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios