Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > NÓS TEMOS A FORÇA E NÃO O HE-MAN

NÓS TEMOS A FORÇA E NÃO O HE-MAN

Categoria: Outros
NÓS TEMOS A FORÇA E NÃO O HE-MAN

Nesse dia 08 do mês de Março, especialmente dedicado à mulher, só gostaria de lembrar a todos que somos boa parte do apoio, na verdade somos ao menos 80% da alavanca que movem o mundo e induzem os homens a tomarem decisões para o bem ou para o mal. Somente os narcisistas, os machistas, misóginos desdenham de nós, de nossa causa, de nossos conflitos e conselhos, no geral, temos bastante autonomia sobre qualquer assunto e podemos reverter ideias ou ideais na direção de um bem comum. Não se trata de sedução ou manipulação feminina, trata-se de estratégia; uma mulher inteligente sabe bem onde e quando pode e deve empregar sua mente, seu humor, seu rancor, sua dor.

As mulheres em suas lutas são geradoras de novos modos de se pensar e comportar; graças a nosso gênio criativo salvamos vidas; embora muito dessa força, gênio, inteligência, tenha sido revertida para o mal... As mulheres foram o sustentáculo do 3o. Reich, que só as usou e abusou, e muitas, por livre e espontânea vontade, cooperaram para o crescimento da Alemanha Nazista; para Hitler e seus demais comandados, as mulheres eram buchas de canhão; eram seres para serem mimados e quando cansados do brinquedo, descartados; mas, foram também as mulheres, que reconstruíram essa mesma Alemanha completamente destruída no pós-guerra.

Por isso, sabemos, temos nossos próprios interesses, razões e meios para tomar nossas próprias decisões sem depender de homem algum; tomamos decisões e fazemos aquilo que achamos necessário. Fazemos hoje, fazemos agora e faremos sempre.Temos uma essência adormecida e a alma pela metade… A alma é um constante fazer, um constante criar... Essência desperta, evolução concluída!

Mulher no canto
Mulher encanto
Mulher desencanto
Mulher espanto
Mulher nem tanto

Mulher ingrata
Mulher grata
Mulher gata
Mulher rata
Mulher cheia de graça
Mulher desgraçada
Mulher descabelada
Mulher desengonçada

Mulher distante
Mulher amante
Mulher cortante
Mulher tratante
Mulher irritante
Mulher fascinante
Mulher mutante

Mulher forte
Mulher fraca
Mulher primeira
Mulher segunda
Mulher terceira
Mulher caseira
Mulher altaneira
Mulher festeira
Mulher brincadeira

Mulher velha
Mulher sábia
Mulher fada
Mulher chata
Mulher amada
Mulher bala
Mulher pacata
Mulher mal-amada

Mulher sofrida
Mulher vadia
Mulher da vida
Mulher cantiga
Mulher poesia

Mulher demente
Mulher presente
Mulher ausente
Mulher doente

Mulher boa
Mulher boba
Mulher “loira”
Mulher à toa

Mulher nova
Mulher formosa
Mulher gostosa
Mulher fogosa
Mulher aurora
Mulher da hora

Mulher nobreza
Pura certeza
Vestida de mistério
Revestida de grandeza
Despida de sutilezas

Mulher vento
Mulher terra
Mulher fogo
Mulher água

Tempestade que desaba
Noites tormentosas
Dias de calmaria
Dias de bonança
Amargas / doces lembranças
Mulher esperança / refúgio
Do homem fraco / forte / rico / pobre
Vil / apaixonado / poderoso / inconstante
Que mesmo falho / medroso / fervoroso / vacilante
Não deixa de ser nunca o pai / o filho / o amante.


Sayonara Melo

Título: NÓS TEMOS A FORÇA E NÃO O HE-MAN

Autor: Sayonara Melo (todos os textos)

Visitas: 0

0 

Comentários - NÓS TEMOS A FORÇA E NÃO O HE-MAN

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um caminho para curar o transtorno alimentar

Ler próximo texto...

Tema: Saúde
Um caminho para curar o transtorno alimentar\"Rua
De acordo com um relatório divulgado em novembro de 2014 pelo Comitê Permanente sobre o Status da Mulher, entre 600 mil a um milhão de canadenses cumprem os critérios diagnósticos para um transtorno alimentar em um dado momento. Problemas de saúde mental com ramificações físicas graves, anorexia e bulimia são difíceis de tratar.

Os programas públicos de internação frequentemente não admitem pacientes até que estejam em condição de risco de vida, e muitos respondem mal à abordagem em grupo. As clínicas privadas costumam ter listas de espera épicas e custos altos: um quarto custa de US$ 305 a US$ 360 por dia.


Corinne lutou juntamente com seus pais contra a bulimia e anorexia por mais de cinco anos. Duffy e Terry, pais de Corinne, encontraram uma clínica na Virgínia. Hoje, aos 24 anos, ela é saudável e está cursando mestrado em Colorado. Ela e seus pais acreditam que a abordagem holística, o foco individualizado e a estrutura imersiva de seu tratamento foram fundamentais para sua recuperação.

Eles sabem que tinham acesso a recursos exclusivos. "Tivemos sorte", diz Duffy. "Podíamos pagar por tudo." Mas muitos não podem.
A luta desta família levou-os a refletir sobre o problema nos Estados Unidos. Em 2013, eles fundaram a Water Stone Clinic, um centro privado de transtornos alimentares em Toronto. Eles fazem yoga, terapia de arte e participam na preparação de refeições, construindo habilidades na vida real com uma equipe de apoio empática. Os programas funcionam nos dias da semana das 8h às 14h, e até agora, não tem lista de espera. Porém essa abordagem é onerosa: aproximadamente US$ 650 por dia.

A família criou a Fundação Water Stone - uma instituição de caridade que fornece ajuda a pacientes que não podem pagar o tratamento. Os candidatos são avaliados por dois comitês que tomam uma decisão baseada na necessidade clínica e financeira. David Choo Chong foi o primeiro a se beneficiar da fundação. Ele havia tentado muitos programas, mas nenhum foi bem sucedido. A fundação pagou metade do tratamento. Dois anos depois, Choo Chong, feliz e estável diz "Water Stone me ajudou a encontrar quem eu sou".

Pesquisar mais textos:

Roberta Darc

Título:Um caminho para curar o transtorno alimentar

Autor:Roberta Darc(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios