Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Evite complicações com prisão de ventre

Evite complicações com prisão de ventre

Categoria: Saúde
Visitas: 2
Evite complicações com prisão de ventre

Saiba você como fugir dos problemas causados pela prisão de ventre e outras doenças intestinais. A prevenção é o melhor remédio, você já parou para pensar que esse simples ditado popular, que por sinal é bastante utilizado, pode remeter a um questionamento muito mais amplo? Se possível prevenir, o que fazer então para não passar pelos transtornos que uma doença pode causar? O primeiro passo é conhecer afundo o seu organismo e entender que ele trabalha em equilíbrio. Isso quer dizer que se uma função é comprometida haverá conseqüências negativas nas demais. Sendo assim, quando o intestino deixa de trabalhar como deveria, algumas doenças podem surgi como resposta. Em outros casos são as doenças que impedem o bom funcionamento desses órgãos. Conheça agora alguns distúrbios do aparelho digestivo.

Apendicite é uma doença caracteriza por uma inflamação no apêndice, que é um saco delgado na extremidade do intestino grosso, ao lado direito do abdômen. Por ser a terminação do intestino grosso, apendicite não desempenha nenhuma função importante no organismo. Porém, ela pode inflamar romper-se causar infecções e, em alguns casos, levar a morte se não tratada a tempo. A inflamação pode ser desencadeada por uma infecção viral do tubo digestivo ou quando o orifício do apêndice é tapado pelo conteúdo intestinal. Seus principais sintomas são dor do lado direito do abdômen, vômitos, prisão de ventre aguda ou diarréia e febre. O diagnostico é feito com base nos sintomas, exames físicos, laboratoriais e de imagens ultra-som e tomografia, e o tratamento é cirúrgico. Mas como a apendicite é considerada uma doença de emergência, por que em poucos dias pode levar o paciente a morte se não tratada a tempo, ao primeiro sinal deve buscar ajuda medica.

Doenças hemorroidárias: as hemorróidas são veias localizadas na região anal que podem se dilatar e inflamar quando há intensivo esforço para evacuar. A idade avançada, a gravidez ou mesmo alterações no ânus são outros fatores que desencadeiam o problema. Os principais sintomas são sangramento, dor local, e nódulos decorrentes da coagulação sangüínea nas veias. Manter a regularidade intestinal com uma dieta balanceada ricas em fibras e água, e a pratica de exercícios físicos são atitudes ideais, para prevenir a inflamação e o desconforto causado pelas hemorróidas. O tratamento tem como objetivos aliviar os sintomas. Os banho e assento e medicação própria são os mais recomendados. As cirurgias também são uma possibilidade, já que removem as veias.

Waldiney Melo

Título: Evite complicações com prisão de ventre

Autor: Waldiney (todos os textos)

Visitas: 2

807 

Comentários - Evite complicações com prisão de ventre

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Manutenção Automovel

Ler próximo texto...

Tema: Automóveis
Manutenção Automovel\"Rua
Faça você mesmo a revisão do seu automóvel e poupe dinheiro em oficinas. Primeiro verifique com a ajuda de outra pessoa a iluminação exterior. Uma pessoa fica no interior do carro e liga as luzes, verifique á frente os mínimos, os médios, os máximos e os piscas. Depois atrás verifique os mínimos os stop a marcha atrás e o farol de nevoeiro.

A seguir verifique a iluminação do interior do veículo e do painel de instrumentos e a afinação do travão de mão.

Agora está na hora de verificar os filtros de ar, gasóleo e habitáculo. Dependendo da utilização eles podem fazer em média 40.00km, se estiverem sujos substitua-os por novos.

A seguir vem a mudança do óleo este em geral pode-se retirar pelo bujão de vazamento do cárter, convém substituir a anilha e o filtro de óleo. O óleo novo deve respeitar as especificações do fabricante, verificar no livro de manual de utilizador do veículo os litros de óleo do motor. Meter o óleo novo pelo bucal superior do motor com a ajuda de um funil, o nível do óleo não pode ultrapassar o máximo. Se não sabe a quantidade de óleo deite 4 litros e depois verifique o nível pela vareta de verificação de nível e vá deitando até chegar ao nível certo.

Agora é preciso verificar as pastilhas de travões, hoje em dia como quase todos os veículos têm jantes especiais consegue verificar sem desmontar as rodas. Substituir se necessário as pastilhas, ao desmontar repare como desmonta para depois voltar a montar tudo de novo. Por fim verifique a pressão dos pneus com um manómetro, a pressão indicada varia de carro pra carro se não sabe a pressão indicada ponha 2.2bar que é em média a pressão que todos utilizam.

Convém dizer que qualquer material que precise basta procurar numa loja de peças auto próxima de si ou então encomendar via net pois existem vários sites especializados em peças e materiais de manutenção auto. Vai ver que não custa nada se eu aprendi você também pode aprender e além disso fica a conhecer melhor o seu carro.

Com isto tudo pode poupar em média 200€ por cada revisão.
Obrigado e até a próxima.

Outros textos do autor:
Manutenção Automovel

Pesquisar mais textos:

Vendas Online

Título:Manutenção Automovel

Autor:Vendas Online(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    17-06-2014 às 04:55:10

    Há inúmeros benefícios para fazer a manutenção do automóvel, pois isso garante melhor preservação do veículo e se prolonga o uso por muitos e muitos anos.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios