Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Cuidado com a automedicação

Cuidado com a automedicação

Categoria: Saúde
Visitas: 2
Comentários: 3
Cuidado com a automedicação

Atualmente o mundo inteiro se preocupa com a qualidade de vida. Isso têm sido abordados diariamente, atualmente vários conselhos são dados para que possamos melhorá-la. Mais saiba que uma boa qualidade de vida sempre envolve muitos aspectos, primeiro como prevenir, segundo como tratá-lo, terceiro bem-estar pessoal, e social, e profissional. Tendo a saúde o papel mais importante é tanto na melhoria da qualidade de vida como na manutenção, saiba que também é evidente que os medicamentos são um dos fatores essencial, para aqueles que sofrem por determinada doenças, mais saiba que para usar medicamentos tem que ter certos cuidados e utilizá-lo corretamente e pode muito auxiliar no monitoramento da nossa saúde.

Sendo assim falaremos de um tema muito importante, que é medicamentos, e sua qualidade de vida e a sua automedicação. Saiba que a automedicação tem sido muito debatida nos últimos anos e que é bastante freqüente no cotidiano das pessoas. Para se definir corretamente a automedicação que é bastante freqüente nas pessoas, saiba que é quando o indivíduo reconhece os seus sintomas e identifica sua própria doença e ele mesmo tenta tratá-la. É também considerada ainda a automedicação, quando uma pessoa é medicada por outras pessoas que não seja habilitada para prescrever os medicamentos como amigos e familiares.

Saiba que este processo de automedicação pode se bastante danoso a saúde de quem pratica tal coisa, já se sabe que de um modo geral o consumidor não tem experiência e conhecimentos necessários para distinguir distúrbios, ou avaliar sua gravidade e escolher o mais adequado entre os outros recursos terapêuticos disponíveis. Saiba que os riscos do processo de automedicação são os seguintes: diagnosticar incorretamente o seu distúrbio, escolher uma terapia inadequada, mais saiba que um medicamento utilizado inadequadamente pode mascara a doença e retardar o reconhecimento da mesma, e com isso pode agravar o distúrbio da doença, com a administração incorreta do medicamento, como por exemplo, uso de dosagem insuficiente ou excessiva, utilização do medicamento por período curto ou prolongado, e risco de dependência, ou possibilidade de efeitos indesejados graves, incapacidade de reconhecer riscos farmacológicos especiais, ou desconhecimento de possíveis interações com outros medicamentos, há também possibilidade de reações alérgicas por falha na identificação dos nomes comerciais que contêm o componente capaz de desenvolver a reação alérgica.

Sendo assim, para evitar todos esses riscos e, portanto para manter a saúde e uma boa qualidade de vida, saiba que é bom evitar a automedicação, é bom sempre pedir a orientação de um profissional da saúde e lembre-se que medicamento são produtos importantes para a sua saúde, mas também são produtos de risco.

Waldiney Melo

Título: Cuidado com a automedicação

Autor: Waldiney (todos os textos)

Visitas: 2

771 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Daniela VicenteDaniela Vicente

    14-09-2012 às 20:54:19

    prefira ser cliente habitual de uma farmácia, pois assim vai ter acesso a pessoas que conhecem o seu historial e podem disponibilizar-se mais rapidamente para ajudar no que for preciso. são obrigados a informá-lo sobre os medicamentos e se está a fazer alguma medicação errada. evite os dias e as horas da semana em que as farmácias tendem a encher para ter ao seu dispor um serviço mais personalizado e cuidadoso.

    ¬ Responder
  • Daniela VicenteDaniela Vicente

    14-09-2012 às 20:15:18

    os antidepressivos acompanhados por anti-histamínicos dão origem a uma sobreposição. aumenta a duração e intensidade dos efeitos secundários dos anti-histamínicos. pode, por exemplo, adormecer ao volante. a combinação de antidepressivos com medicamentos de venda livre também pode causar danos.

    ¬ Responder
  • Valmir RodriguesValmir Rodrigues

    13-10-2009 às 13:37:21

    Concordo plenamente, que a autonedicação é um perigo para a população. Muitos não se preocupam nem um pouco com o que está dispensando para o seu cliente. É necessário um trabalho educativo para a população e um maior investimento na base, ou seja, junto a classe médica, maior investimento por parte do governo no que diz respeito ao atendimento e acompanhamento dos pacientes, sendo assim: mais postos de atendimento e mais profissionais de saúde capacitados para tal finalidade, saúde com qualidade.

    ¬ Responder

Comentários - Cuidado com a automedicação

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como fazer disfarces de Carnaval

Ler próximo texto...

Tema: Vestuário
Como fazer disfarces de Carnaval\"Rua
O ano começa e depressa chega uma data muito ansiada principalmente pelos mais jovens: o desejado Carnaval!

Esta é uma data que os pequenos adoram e deliram com as fantasias. O problema maior é a despesa que os disfarces representam e no ano seguinte já não usarão o mesmo disfarce ou, no caso dos mais pequenos, já não lhes serve.
O melhor nesta data é mesmo reciclar e aprender a fazer disfarces caseiros utilizando truques mais económicos e materiais reciclados para preparar as fantasias dos pequenitos!

Uma sugestão para os meninos é o traje de pirata que pode facilmente ser criado a partir de peças que tenha em casa. Procure uma camisa de tamanho grande e, de preferência, de cor branca com folhos. Se não tiver uma camisa com estas características facilmente encontrará um modelo destes no guarda-vestidos de alguma familiar, talvez da avó.

Precisará de um colete preto. Na falta do colete pode utilizar um casaco preto que esteja curto, rasgue as mangas pelas costuras dos ombros. As calças devem ser velhas e pretas para poderem ser cortadas na zona das pernas para envelhecer a peça. Coloque um lenço preto ou vermelho na cabeça do menino e, de seguida, com um elástico preto e um pouco de velcro tape um dos olhos.

Para as meninas não faltam ideias originais para fazer disfarces bonitos e especiais para este dia. Uma ideia original é a fantasia de Flinstone. É muito fácil e prática de fazer e fica um disfarce muito bonito. Comece por arranjar um pedaço de tecido branco. Coloque o tecido em volta do corpo como uma toalha de banho e depois amarre num dos braços fazendo uma alça. Depois corte as pontas em ziguezague mantendo um lado mais comprido que o outro. Amarre o cabelo da menina todo no cimo da cabeça, como se estivesse a fazer um rabo-de-cavalo mas alteie-o mais. Com o auxílio de um pente frise o cabelo, pegando nas pontas e passando o pente em sentido contrário até que fique todo despenteado. Numa loja de disfarces compre um osso de plástico e prenda na fita da criança.

Pegue nos materiais, puxe pela imaginação e ponha mãos ao trabalho!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Como fazer disfarces de Carnaval

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    09-06-2014 às 04:01:21

    Não em carnaval, mas em bailes de fantasia, sempre usei o TNT. Eles são ótimos para trabalhar o corte, para costurar e deixa bem bonito!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios