Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > O vírus de hepatite

O vírus de hepatite

Categoria: Saúde
Visitas: 2
Comentários: 1
O vírus de hepatite

É chegado o verão, e com ele as praias ficam lotadas de pessoas a se expor em um sol escaldante, e com isso as barracas que oferece refrigerante e copos cheios de água e gelo para refrescar, as cervejas em lata com aquele balde cheio de gelo, mais saiba que por trás de tudo isso há um vírus que fica rondando neste verão, muitos não se preocupa com isso, ou nem imaginam, mais eles estão no mar que as vezes é poluído ou no gelo que você consumiu no copo com água, ou na latinha de refrigerante que você colocou na boca que não foi lavada devidamente, mais saiba que este vírus é muito perigoso, é o vírus da hepatite A, este vírus dentro de um copo com água logo ao beber ele se instala no fígado, onde indiretamente faz aquele estrago, as crianças entre 5 a 10 anos é a maior vitima, porque será que os adultos não são? Porque as crianças ficam mais tempo na água e bebe água com mais freqüência, por não se preocupar com higiene, já o adulto é mais cauteloso.

Sabemos que a principio não é causa de grande preocupação já que existe a vacina da hepatite, mas nem todos têm esse acesso, pois ela não faz parte do calendário oficial de imunização determinado pelo ministério da saúde, e com isso muita gente fica sem esse acesso, essa vacina é cara e só em clinicas particulares, e muitas clinicas também não sabe da existência delas.sabendo portanto que esta vacina não esta incluída no rol determinado pelo governo os hepatologistas falam que é muito insensato.

Saiba que as maiores ocorrência é no Brasil, a estimativa oficial é 130 casos por ano em cada 100 mil brasileiros. Nem todos ficam doentes mais às vezes a criança é contraída e nem fica sabendo, só posteriormente é que se sabe devido alguma outra situação e são submetidos a exames e se constata que infectado pelo vírus da hepatite. Pedimos aqui mais rigor nos próximos banhos de mar, latinhas de refrigerantes e cervejas, e cuidado com a água e gelo consumido durante o verão.

Sabemos que em Israel a entrada da imunização no calendário de vacinação levou uma queda de 95% da doença. E nos Estados Unidos despencaram 76%. Nos dois programas só bebês entre 1 e 2 anos foram vacinados, mas a incidência diminuiu em todas as faixas etárias, provavelmente por ser a criança um armazenadores de vírus que depois de infectadas, elas se multiplica e cai no ambiente pelas fezes. É importante saber que apesar dos imunizantes serem eficaz ainda não foi oficializado só porque não haver muitos casos de mortalidade afirma os infectologistas, pois somente 5% dos casos é que evolui para uma hepatite fulminante. A causa seria uma hiper-reação dos anticorpos que atacam o fígado infectado, o órgão vai à bancarrota e, para salvar a vida somente um transplante.

Waldiney Melo

Título: O vírus de hepatite

Autor: Waldiney (todos os textos)

Visitas: 2

625 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • FlaviaFlavia

    25-07-2011 às 21:29:06

    eu preciso bem declarado quanto tempo o vírus dura em nosso corpo
    Se alguem puder postar por favor é pro meu curso!
    Obrigado!

    ¬ Responder

Comentários - O vírus de hepatite

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios