Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Mais eu me mordo de ciúmes!!!

Mais eu me mordo de ciúmes!!!

Categoria: Outros
Mais eu me mordo de ciúmes!!!

Nos dias de hoje as relações estão cada vez mais fluídas e complicadas. No entanto existem meios de se manter uma boa relação, mesmo nesses dias conturbados e modernos, das redes sociais e aplicativos de encontros que aparentemente existem somente para causar ciúmes entre os casais. Seguem nesse artigo 10 dicas para controlar os ciúmes e viver em pleno amor.

1- Confiar.
A primeira dica é a base na verdade de qualquer relacionamento, seja ele moderno ou não. É preciso que haja confiança. Lembre sempre. Confiança! Mesmo que você esteja longe do seu parceiro/parceira, você deve confiar nele (a).

2- Dar liberdade.
Depois que você conseguiu ter um pouquinho de confiança pelo menos siga para o seguinte passo. De liberdade ao seu parceiro. Pois quanto mais liberdade você der, mais confiança você terá. E de quebra você ainda terá mais liberdade também o que ajuda a evitar ataques de ciúmes reciprocamente.

3- Estar à vontade.
É muito bom para a sua relação quando os dois sentem-se confortáveis um com o outro, pois quando se está à vontade, significa que existe a confiança mútua que é mais que simples confiança, e que é o melhor remédio para o ciúme.

4- Conversar.
Outro ponto extremamente necessário é o diálogo contínuo e constante. Ajuda a evitar ciúmes e ainda é bom para manter o casal afinado qual aos gostos um do outro. E esse ponto ainda se aplica quando houver uma situação de ciúme. Pergunte, converse com seu companheiro para não dar ouvidos a fofocas que só trazem coisas ruins.
5- Conhecer.

Saiba quem são os amigos de seu namorado, seja amiga deles também. Conheça e vá aos lugares que o seu parceiro gosta. Descubra os costumes e hábitos favoritos dela para que invés de ciúme você sinta segurança, pense no que ele gosta de fazer quando não está com você. Isso tudo ajudará você a ficar mais tranquila e ajuda a diminuir o ciúme.

6- Sentir-se seguro/segura.
Esteja em paz com o seu eu interior. E tenha segurança em si mesmo. Pois a insegurança é a maior aliada do ciúme. Troque pensamentos como: “ Ela vai me deixar”, por “ Ela está comigo e comigo irá ficar, por que gosta de mim!”. Evite pensamentos negativos sobre o seu parceiro, pense que em todos os momentos ele estará pensando em você. Com isso ele nem terá tempo para fazer qualquer coisa que te desagrade ou que seja motivos para ciúmes. Sentir segurança em si mesmo é igual a não sentir ciúmes.

7- Confiar em si mesmo/mesma.
Seja responsável para com o seu parceiro. Muito se diz que quem sente muito ciúme é por que está fazendo coisa errada. E nisso tem um pouco de verdade. Se você não está traindo, por que achar que ele está? Confie nos seus atos para poder confiar nos atos dos outros.

8- Confessar seus sentimentos.
Abra o seu coração, mas sem agressividades. Diga ao seu amor o quanto você a ama e que, por isso gostaria de estar mais presente na vida dela, ou dele, quando se está na defensiva é mais fácil de tratar com situações de ciúme exagerado.

9- Assumir o ciúme para controlá-lo.
Assuma para si mesmo e para sua companheira que você sente ciúmes e que isso é um bom sinal, quando não é exagerado, pois significa que você gosta dela e tem medo de perdê-la. Então peça ajuda e acabem com o ciúme juntos. Podem deixar um pouquinho apenas para demonstrar que a paixão nunca se apagou.

10- Amar-se acima de tudo.
Ame-se antes de começar qualquer relacionamento, e saiba onde você está se metendo quando iniciar um namoro. A relação a dois, nem sempre é harmônica, mas com o tempo e o amor pode ser maravilhosa, contudo lembre-se de continuar se amando quando já estiver na relação e se perceber que está sendo enganado ou enganada, parta para outra. Nunca se machuque para permanecer em uma relação que não lhe faz bem.


Jhon Erik Voese

Título: Mais eu me mordo de ciúmes!!!

Autor: Jhon Erik Voese (todos os textos)

Visitas: 0

5 

Comentários - Mais eu me mordo de ciúmes!!!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios