Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Antiguidades > Como Recuperar Antiguidades

Como Recuperar Antiguidades

Categoria: Antiguidades
Visitas: 25
Como Recuperar Antiguidades

O restauro das peças antigas é uma arte muito especializada. Assim, se possui alguma peça antiga valiosa que precisa de ser limpa ou restaurada, entregue-a a um restaurador profissional. Se não tem a certeza do valor da peça, poderá pedir uma avaliação a um antiquário de confiança que seja entendido nesse ramo de negócio (mobiliário, pratas antigas, porcelanas, pintura, tapetes persas, jóias, relógios, etc).

Há, no entanto, alguns trabalhos que pode fazer em casa sem grande risco, desde que respeite algumas regras simples e que as peças não sejam especialmente valiosas.

Limpar e dar brilho a móveis antigos



Os móveis cobertos com uma camada de sujidade acumulada ao longo dos anos podem ser limpos com uma solução de uma parte de óleo de linhaça, uma parte de vinagre e uma parte de terebintina, a que se adiciona uma quarta parte de óleo de linhaça, uma parte de vinagre e uma parte de terebintina, a que se adiciona uma quarta parte de álcool desnaturado. Agite bem a mistura antes de usar e aplique com um pano macio.

Uma das belezas dos móveis antigos é a patina que a madeira adquire com o tempo, que não é o mesmo que a sujidade e não deve ser retirada. Dê brilho aos móveis folheados e polidos com um creme especial para móveis e aos móveis encerados com uma cera adquirida no comércio; pode também preparar uma cera especial para móveis derretendo 30 g de cera de abelha e juntando a 90 g de terebintina.

Eliminar os riscos e as manchas em móveis antigos



Os riscos numa superfície polida podem ser disfarçados com uma solução fluida de goma-laca e álcool desnaturado. Aplique com um pincel até que a solução fique mais elevada que a superfície do móvel. Quando secar, alise a superfície com lixa muito fina. Dê brilho com um produto para limpar metais ou um óleo especial para móveis polidos.

As manchas provocadas pelo calor ou pela água que não penetraram na madeira podem ser retiradas com um produto de limpeza para metais aplicado com um pano macio. As manchas cinzentas que aparecem por vezes nos móveis polidos podem ser eliminadas com uma solução de uma colher de sopa de vinagre para 11 de água morna. Passe por cima das manchas um pano macio molhado nesta solução, seque e dê brilho.

As zonas queimadas podem ser tratadas pelo mesmo processo dos riscos. Comece por raspar toda a zona quei­mada até à madeira, lixe com lixa fina e, se necessário, dê novamente cor. Em seguida, trate pelo processo indicado para os riscos.

Reparação de estragos em móveis folheados



Quando o folheado de um móvel está ligeiramente empolado, esse defeito pode ser reparado exercendo pressão sobre esse ponto com um ferro de engomar quente aplicado sobre várias camadas de papel mata–borrão. Se este processo não resultar, dê um golpe na parte empolada com uma faca afiada, insira uma pequena porção de material adesivo por baixo do folheado e aplique o ferro quente. Em seguida, coloque uma pilha de livros pesados em cima do ponto reparado e deixe ficar durante 24 horas para o folheado aderir bem ao móvel.

Reparação de peças de porcelana



As peças de porcelana valiosas devem ser confiadas a um especialista, mas a loiça menos valiosa pode ser reparada por um amador com paciência e jeito.

Há várias colas próprias para colar loiça, mas a melhor é o cianoacrilato, a chamada «supercola», que cola instantaneamente. Comece por limpar muito bem com álcool desnaturado as duas superfícies a unir e verifique se se ajustam perfeitamente. Aplique uma pequena quantidade de cola só numa das superfícies, una as duas partes e aperte-as com força durante 30 segundos. Tem de unir bem as peças à primeira vez com o cianoacrilato não tem hipóteses de segunda tentativa.

Os «cabelos» da loiça tornam-se mais visíveis à medida que a sujidade e a gordura se infiltram na fenda; se puser a peça de molho durante várias horas numa solução forte de lixívia vulgar, os depósitos escuros da fenda desaparecem e esta torna-se quase invisível.

Limpeza de peças de latão, cobre, bronze, estanho e prata



O latão muito oxidado pode ser limpo com uma solução de uma colher de sopa bem cheia de sal e duas colheres de sopa de vinagre para 0,5 1 de água. O verdete, que resulta da oxidação do cobre, pode ser limpo com uma pasta de branco-de-espanha e álcool desna­turado. Limpe as peças destes dois metais com um produto de limpeza para metais ligeiramente abrasivo. Não mande envernizar as peças antigas de cobre e latão apesar de esse tratamento tornar desnecessárias as limpezas frequentes, reduz também o valor da peça.

O bronze adquire patina com a idade, apresentando tonalidades castanhas ou verde-azuladas que nunca devem ser retiradas. Não aplique produtos de limpeza nas peças de bronze, limitando-se a limpá-las de vez em quando com um pano macio.

As peças de estanho têm de ser limpas com frequência, pois de outra maneira ficam acinzentadas e baças e é difícil dar-lhes novamente brilho. Use um produto especial para estanho — e não um produto de limpeza para metais, que é mais abrasivo e esfregue vigorosamente a peça com um pano macio.

A prata e a casquinha oxidam rapidamente, e para manterem o brilho têm de ser limpas regularmente com um produto especial para pratas aplicado com um pano macio ou uma camurça. As peças de prata devem ser sempre limpas com movimentos rectilíneos, e nunca descrevendo linhas cruzadas ou movimentos rotativos com o pano. Depois de ter limpo as peças, lave-as numa solução de água morna e sabão.

Limpeza e reparação de peças de vidro



As peças de vidro facetado muito manchadas devem ser postas de molho numa solução de água e detergente líquido a que se acrescentam umas gotas de amoníaco. As peças de vidro partidas podem ser reparadas pelo mesmo processo das peças de loiça; vendem-se no comércio colas especiais para vidro que permitem obter excelentes resultados, desde que se sigam rigorosamente as instruções do fabricante.


Miguel Pereira

Título: Como Recuperar Antiguidades

Autor: Miguel Pereira (todos os textos)

Visitas: 25

569 

Comentários - Como Recuperar Antiguidades

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Dicas para decorar salas pequenas.

Ler próximo texto...

Tema: Decoração
Dicas para decorar salas pequenas.\"Rua
A realidade das grandes cidades é que a maioria das pessoas mora em espaços pequenos. É fato também que todos desejam ter um ambiente acolhedor e aconchegante para receber amigos. Em contrapartida, na medida em que os espaços encolhem, a quantidade de aparelhos eletrônicos que utilizamos aumenta cada vez mais. Há ainda quem use a sala como home-office.

Nesta busca de inspiração para organizar e incrementar sua sala, encontramos uma série de sites especializados e blogs com muitas, muitas ideias. O conceito de D.I.Y. (do it yourself) que significa "faça você mesmo” nunca esteve tão na moda. É uma alternativa para reduzir gastos com mão de obra e nada melhor do que criar um espaço com um toque todo seu. Inspirações e ideias não faltam. Hoje, de certa forma todos nos sentimos meio decoradores.

Mas planejar a decoração de uma sala pequena exige alguns cuidados para que o ambiente não fique entulhado de móveis, disfuncional ou até mesmo desagradável.

Confira algumas dicas para decorar sua sala com estilo e valorizando seu espaço:
Os espelhos, além da autocontemplação, causam efeitos interessantes. Aplicados, por exemplo, em uma parede inteira pode duplicar a amplitude do ambiente. Pode ser usado também em móveis, tetos, em diversos formatos e valorizar a luminosidade da decoração.

As cores tem poder de causar sensações. Em ambientes com pouco espaço, elas podem colaborar para que a sensação de amplitude possa tanto aumentar quanto diminuir. Para pintar as paredes de sua sala aposte em cores claras. O teto com uma cor mais clara que a das paredes, por exemplo, pode simular uma elevação do teto, já em uma cor mais escura, promoverá uma sensação de rebaixamento do teto.

A escolha e posição dos móveis são um aspecto muito importante. Opte por poucos móveis, nunca de tamanhos exagerados e posicione-os de forma que valorize o espaço. Móveis que misturam poucos materiais, baixos e com linhas retas proporcionam leveza ao ambiente.

Uma solução muito interessante para espaços pequenos é a utilização de prateleiras. Caixas para produtos horto frutícolas reformadas podem se tornar lindas prateleiras. Mas cuidado com a profundidade, para não atrapalhar na disposição de outros móveis e objetos.

Móveis multifuncionais ou móveis inteligentes são excelentes alternativas para uma sala pequena. Um bom exemplo são pufes, que podem ser usados como mesas de centro ou ficarem alojados debaixo de aparadores e quando recebemos visitas podem se transformar em assentos extras. Mesas dobráveis também são uma ótima opção.

Escolher o mesmo piso ou revestimento pode dar a impressão de área maior, de continuidade. Mudanças drásticas de um ambiente para outro pode causar a sensação de divisão e consequentemente fazer parecer menor.

Algumas outras dicas: um sofá retrátil ou reclinável garante muito mais conforto e ocupa o espaço de um sofá simples. Suporte ou painéis móveis para TV possibilitam que ela seja movida na direção desejável. Caso o ambiente tenha escadas, escolher um modelo de escadas vazadas evita divisões e pode se tornar uma peça de destaque na sala. E para as cortinas, escolha tecidos leves, lisas e sem estampas.

De qualquer forma, ouse, não tenha medo de arriscar, crie, não copie, só assim será seu!

Luciana Santos.

Outros textos do autor:
Dicas para decorar salas pequenas.

Pesquisar mais textos:

Luciana Maria dos Santos

Título:Dicas para decorar salas pequenas.

Autor:Luciana Maria Santos(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Carlos Rubens Neto 16-06-2016 às 16:20:24

    Excelente matéria! Parabéns Luciana ;)

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios