Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > O casamento e a família na Idade Média

O casamento e a família na Idade Média

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 437
Comentários: 3
O casamento e a família na Idade Média

Na Europa, nem sempre o casamento constituíu uma união de amor ou resultou da vontade e escolha de duas pessoas, como acontece na atualidade.

Originalmente, nesta época, entre as famílias nobres, o casamento era combinado e negociado.
Este era sim, o resultado de interesses políticos e económicos comuns, funcionando como uma aliança para assegurar a condição social e económica,à semelhança do que ainda acontece em muitas partes do mundo.

O clima de guerra da Idade Média, bem como a insegurança, favoreceu a solidariedade e proteção entre a família alargada, que era formada por pais, avós, tios, sobrinhos e primos paternos e maternos.

De tal modo que o casamento entre primos ou parentes próximos, sobrinhos ou outros ,era muito frequente.

Os casamentos eram um meio de conservar os bens no seio dos mesmos.

A partir do século IX, este comportamento sofreu algumas alterações, evoluindo para outro modelo, assente na linhagem, ou seja, no predomínio claro de um ramo familiar principal.
A herança passou a ser reservada para o filho varão, o mais velho.

Fica deste modo, proibido o casamento entre parentes próximos, ficando sucessor o filho mais velho.

A mulher perdeu o estatuto económico e político que tinha anteriormenter e o filho mais velho deveria entrar numa ordem religiosa, ou no clero secular, ou ainda casar com uma herdeira, ou simplesmente, aventurarem-se na carreira das armas.

Quanto às filhas era obrigatório a entrada num mosteiro ou um um casamento rico.
Estas leis e regras eram controladas pela igreja, a fim de controlar os comportamentos sexuais da sociedade.

Assim, constituíu o casamento, como ato sagrado e indissolúvel, expresso na fómula: "o que Deus uniu, não se pode separar".

O casamento cristão tornou-se muito comum nesta época, realizando-se numa cerimónia dirigida por um sacerdote.

Instituíu-se assim, o casamento monogâmico e condenou-se o adultério, a homossexualidade, a prostituição e os casamentos entre a família e o clero.

A igreja ainda impõs o celibato para os clérigos e reservou para si o poder de anular os casamentos.

Os monarcas têm então o papel de regular os casamentos, juntamente com a igreja, assim como toda a sociedade.

Proibia também a barregania, ou seja, ter amantes, definindo penas, para quem as tinha. Neste caso podiam ser açoitados publicamente e expulsos de onde residiam. Os homens podiam ser condenados à morte.

Esta era a fórmula encontrada para controlar a sociedade em tudo. Uma questão de amor?.
Com efeito, ainda hoje se verifica, nas nossas sociedades.


Teresa Maria Batista Gil

Título: O casamento e a família na Idade Média

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 437

802 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • Briana AlvesBriana

    18-08-2014 às 04:57:34

    Interessante a abordagem dessa questão do casamento e a família na Idade Média. Como as coisas mudaram de uma forma bem brusca...srsrsr

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãoluciana

    14-04-2013 às 15:13:09

    de epoca é a imagem e o artista que pintou

    ¬ Responder
  • Teresa Maria Batista GilTeresa Maria Batista Gil

    17-09-2012 às 16:56:07

    O casamento na Idade Média era muito importante. Ele servia para vincular os laços familiares e o chefe da familia devia proteger a mesma.À mulher cabia o papel de cuidar da casa e da educação dos filhos e ao homem sustentar a família. e trabalhar nos campos.

    ¬ Responder

Comentários - O casamento e a família na Idade Média

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Os primeiros brinquedos

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Brinquedos
Os primeiros brinquedos\"Rua
O brinquedo é mais do que um objecto para a criança se divertir e distrair, é também uma forma de conhecer o mundo que tem ao seu redor e para dar asas à sua imaginação. Desta forma, os brinquedos sempre estiveram presentes na sociedade.

Os primeiros brinquedos datam de 6500 anos atrás, no Japão, em que as crianças brincavam com bolas de fibra de bambu. Entretanto há 3000 anos surgiram os piões feitos de argila e decorados, na Babilónia.

No século XIII apareceram os soldadinhos de chumbo, porém só eram acessíveis às famílias nobres. Cinco séculos mais tarde, apareceram as caixas de música, criadas por relojoeiros suíços.

As bonecas são muito antigas, surgiram enquanto figuras adoradas como deusas, há 40 mil anos, mas a primeira fábrica abriu apenas em 1413 na Alemanha. Barbie, a boneca mais famosa do mundo, foi criada em 1959, mas ainda hoje é das mais apetecíveis pelas crianças.

O grande boom dos brinquedos aconteceu quando se descobriu o plástico para o fabrico. Mesmo assim, muitas famílias não podiam comprar brinquedos aos filhos, como tal, estes utilizavam diversos tipos de materiais e construíam os seus próprios brinquedos.

Actualmente, as crianças têm acesso a uma enorme variedade de brinquedos, desde bonecas, a carros telecomandados, a videojogos… Educativos ou apenas lúdicos, há de tudo e para todos os gostos e preços.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Os primeiros brinquedos

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • umdolitoys 23-01-2013 às 05:46:38

    Adorei a reportagem! e tenho algo para vocês verem!!

    Espero que gostem!!!

    ¬ Responder
  • sofia 22-07-2012 às 21:56:29

    Achei muito interecante e muito legal saber que ano foi fabricadoas bonecas

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios