Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Vidas passadas

Vidas passadas

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Vidas passadas

Hoje em dia, muito se fala sobre a reencarnação, com o aumento do movimento espírita e dos meios de comunicação, esses entendimentos tornarãm-se cada vez mais populares. Segundo a doutrina espírita, todos nós já reencarnamos milhares de vez, e voltaremos a reencarnar a quantidade de vezes que forem precisos até atingirmos a perfeição.

Eu já me lembro de ter visto diversos jogos na internet para adivinhar o que você foi na sua vida passada. Você respondia a um questionário e o site lhe respondia isso, por exemplo, você foi um pescador. É claro que isso é falso. Por exemplo, se no questionário você mostrou ser alguém rude, não significa que você terá sido um pedreiro, pode até ter sido um empresário, mas de personalidade rude. Não existe meio exato de sabermos o que fomos em nossas vidas passadas se não através da regressão espiritual, feita por alguém competente. Mas podemos estudar superficialmente nossa vida passada simplesmente analisando o que hoje somos. Se desde criança, por exemplo, você se mostra ambicioso pelo dinheiro, isso não mostra que você foi rico na sua vida passada, mas sim que há uma grande possibilidade de você ter tido essas mesmas ambições. Se você tem tendências para a física ou a matemática, por exemplo, não mostra que você foi um cientista na sua vida passada, mas sim que você provavelmente tinha essas mesmas tendências. Para isso, é preciso considerar que o você de hoje é o você da encarnação passada são as mesmas pessoas, apenas com pequenas mudanças graças a educação que você recebeu desde a sua última conceção e também a o que você aprendeu durante o período que viveu como espírito livre, entre uma encarnação e outra.




Também é preciso considerar que não existe a chamada metempsicose, ou seja, que um ser humano pode reencarnar como um animal. Seus corpos espirituais são incompatíveis. É como tentar passar um camelo no buraco da cabeça de uma agulha.

A doutrina espírita divide as reencarnações em três tipos: Provas, expiações e missões. Nas provas, é quando nós reencarnamos para nos aperfeiçoarmos através do trabalho. Por exemplo, nascer com um problema físico, dessa forma, o espírito reencarnado teria que enfrentar todas as dificuldades inerentes a essa condição, aprendendo a ser humilde, dependente do outros e etc. Nas expiações é quando o espírito tem de expiar faltas passadas. Por exemplo, o espírito de um assassino terá como expiação ser assassinado no auge de sua vida, por exemplo, na adolescência, para que aprenda a dar mais valor à vida alheia, sentindo em si a dor que deu a outrem. E nas missões, é quando geralmente um espírito de natureza superior encarna entre nós para nos ensinar. Jesus, Gandhi, Buddha, Krishna, Chico Xavier, entre muitos outros, são bons exemplos desse tipo de encarnação.

Enfim, a reencarnação não deve ser visto como uma punição, mas como uma forma de redenção, a que o espírito irá aprender novos valores, despojar-se das más tendências, e evoluir. É uma benção dada por Deus, pois onde estaria a misericórdia divina, infinitamente justa e boa, quando uma criança supostamente inocente nasce com anencefalia, com paralisia, deficiente física ou mental? Com a lei da reencarnação, tudo isso se explica.


Diego César

Título: Vidas passadas

Autor: Diego César (todos os textos)

Visitas: 0

646 

Comentários - Vidas passadas

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios