Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Fartura E Seca: Cada Uma Cumpre O Seu Papel

Fartura E Seca: Cada Uma Cumpre O Seu Papel

Categoria: Outros
Comentários: 1
Fartura E Seca: Cada Uma Cumpre O Seu Papel

Não a descrevo como a melhor e a pior. Na verdade, essa descrição é irrelevante, inexistente. Quando olhamos para esses dois lados extremos percebemos que elas devem e precisam fazer parte de nossa vida.

Mesmo que não gostemos da seca, ela nos ensina muito mais que quando estamos na fartura. Mesmo que queiramos sempre, a vida toda, estar na fartura, a seca cumpre um papel importantíssimo na nossa vida. Ou seja, ambas são imprescindíveis. Elas são oportunidades fantásticas, distintas que moldam nosso caráter e você pode fazer bom uso no momento que elas surgirem.

Saber aproveitar a vivência mesmo quando se está na seca e muito mais, quando se está na fartura é nobre. Ambas cumprem seu papel pelo qual foram objetivadas. Não podemos sempre estar na fartura e nem na seca. Há para cada uma, um aprendizado.

Tendemos a ficar tristes quando a seca surge. É natural! Mas, pense positivamente que esse período logo irá passar e busque refúgio na certeza de que seu coração está sendo transformado. Aceite de bom grado, logo vai passar! Apegue-se em Deus.

Tendemos a explorar a fartura como se ela fosse permanecer eternamente na nossa vida. Muitas vezes, a fartura faz com que (eu e você) aproveitemos de forma egoísta, sem repartir com o próximo. Usufruímos da fartura sozinhos, nos limitamos muito. Isso é mediocridade. Ela nos faz enxergar quão bom é ter as coisas para usufruir, mas devemos fazer bom uso, sem desperdícios. Um dia, essa fartura poderá acabar e o que você fará se gastou tudo o que tinha? Guarde para a fase da seca!

Existem pessoas que gostariam muito de permanecer na fartura, mas é essencial na vida do ser humano passar pela seca. Enfatizo: passar pela seca. Não é permanência. Porque a seca é onde mais desenvolvemos nosso interior e aprendemos a valorizar quando estamos (estivermos) na fartura. E, quando for a vez em que a fartura chegar, lembre-se de usufruir da melhor forma e aproveite para se planejar também quando a seca surgir! A seca pode vir quando menos esperamos!

Ambas cumprem seu papel na história, do meu e do seu coração(vida)!

Prepara no verão o seu pão; na sega ajunta o seu mantimento.
Provérbios 6:8


Rafaela Coronel

Título: Fartura E Seca: Cada Uma Cumpre O Seu Papel

Autor: Rafaela Coronel (todos os textos)

Visitas: 0

469 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãorenata

    30-08-2014 às 23:18:21

    Rafaela, amei teu artigo!!!

    ¬ Responder

Comentários - Fartura E Seca: Cada Uma Cumpre O Seu Papel

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios