Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Como escolher um colchão

Como escolher um colchão

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Comentários: 1
Como escolher um colchão

Você sabia que uma boa noite de sono estimula vários processos metabólicos no organismo? Mas, esses efeitos não podem ser obtidos se a cama não for confortável. Atualmente, já é possível encontrar vários tipos de colchões e travesseiros. E, em meio a tantas novidades, basta escolher o que melhor se adapta ao seu corpo, ou seja, aquele que deixa a coluna mais alinhada. Confira dicas e saiba como escolher um colchão.

Fique atento às características de cada colchão:
Espessura: 15 cm já é o suficiente para proporcionar uma noite confortável.
Altura da cama: ela deve ficar, no mínimo, a 30 cm do chão. Essa distância garante uma ventilação adequada.
Estrado ou box? O estrado traz mais vantagens no quesito circulação de ar, o que ajuda a prevenir irritações na pele provocadas pelo excesso de suor.
Tamanho: o colchão pequeno restringe os movimentos durante a noite.

Tipos de colchão:
Mola: a armação é composta por fios de aço inox com formato cilíndrico, cônico ou bicônico. Pode durar até 3 anos.
Espuma: existem diversos modelos, desde os mais duros até os extramacios. É preciso mantê-los sempre secos e só podem ser utilizados por, no máximo, 5 anos.
Látex: este são compostos por borracha derivada da seringueira, se molda facilmente ao corpo e volta ao formato inicial sem resistência. Deve ser trocado a cada 10 anos.
Alternativos: podem ser de ar ou de água, mas que não são recomendados para o uso diário, salvo em casos de indicação médica.

Glossário:
Bonnel: sistema de molas mais antigo e tradicional, com fios de aço.
Compensado: tipo de madeira mais comum na fabricação de camas, inclusive da box.
Densidade: definição técnica para o peso que a espuma pode suportar.
Double side: o famoso colchão dupla face. Os dois lados podem ser usados sem preocupação.
Dupla densidade: colchões com faces distintas. Normalmente, um lado é firme e o outro é extrafirme.
Jacquard: tecido empregado para forrar travesseiros, fronhas e lençóis.
Pocket: molas ensacadas de forma individual.
Poliframe: armação de espuma utilizada como suporte, principalmente para colchões de mola.

Como cuidar?
- O colchão precisa ser trocado de acordo com o tipo de material utilizado em sua fabricação. Podem durar de 3 a 10 anos.
- é aconselhável substituir os travesseiros a cada 2 anos para evitar a proliferação de bichos como ácaros, que causam problemas respiratórios.
- Caso o colchão ou travesseiro molhe, deixe secar ao sol. Não os deixe úmidos para evitar a proliferação de micro-organismos.
- Se possível, aquira uma capa antiácaro. Coloque-a sob a fronha e os lençóis para proteger contra alergias. Lave-as toda semana.


Rua Direita

Título: Como escolher um colchão

Autor: Rua Direita (todos os textos)

Visitas: 0

805 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Colchão Certo

    16-03-2013 às 11:34:20

    Adorei esta matéria. Parabéns.

    ¬ Responder

Comentários - Como escolher um colchão

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios