Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Como escolher o piso ideal para cada ambiente

Como escolher o piso ideal para cada ambiente

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Como escolher o piso ideal para cada ambiente

No momento de escolher uma bela decoração para cada ambiente, é importante saber definir a cor das paredes e o tipo de piso que será utilizado, pois estes elementos ajudarão a dar o toque final na composição. Pensando nisso, confira dicas e veja como escolher o piso ideal para cada ambiente.

Para escolher o piso ideal para cada cômodo da casa, o primeiro passo é dividir a casa em três áreas: íntima, social e molhadas (cozinha, banheiro, lavanderia). A partir daí, fica mais fácil observar as características próprias de cada local, considerando fatores como maior ou menor movimentação de pessoas, interferência dos fenômenos naturais (sol, chuva), o risco de gordura e o uso de materiais de limpeza específicos, etc.

Primeiro, defina um objetivo para cada ambiente. No geral, áreas íntimas recebem pisos mais aconchegantes, já a cozinha, por exemplo, recebe pisos mais fáceis de limpar. Confira mais dicas sobre como escolher o piso ideal para cada ambiente:

Pisos frios - São todos aqueles que recebem revestimento de cerâmica, porcelanato ou de pastilhas. Portanto, seu uso é mais indicado para áreas molhadas, pois sua limpeza é mais prática e não requer muitos cuidados. Além disso, este tipo de piso tem maior durabilidade.
Para escolher um belo piso, dê preferência à cores neutras e texturas suaves. Também é importante considerar o clima do local onde está a residência. Climas mais quentes “pedem” pisos frios também nas demais áreas da casa. Neste caso, escolha pisos laminados.

Para a cozinha, cuidado para não escolher um tipo de piso que absorva a gordura. Assim, você evitará o aparecimento de manchas, que deixam o piso com aparência de velho ou encardido. Na região externa da casa, você pode escolher o tipo de piso de preferir, como os vários tipos de pedra, e outros materiais mais resistentes e antiderrapantes.

Pisos quentes - São os do tipo mais confortáveis, e por isso são indicados para área íntima e social. Um exemplo de piso atemporal é a madeira, que pode ser aplicada em forma de tábuas ou tacos menores. E para garantir sua durabilidade, é preciso lixar e passar verniz após sua instalação. Além disso, a madeira também requer alguns cuidados a mais, quando comparada com os pisos frios.

Outro tipo de piso quente são os carpetes. Este piso possui uma instalação rápida e garante melhores resultados quando o assunto é aconchego. O único ponto negativo do carpete é que ele acumula muita poeira e sujeira, por isso, sua limpeza requer alguns cuidados especiais.
Por fim, nunca se esqueça de que o piso é o responsável por grande parte do visual de um ambiente. Por isso, sempre analise as alternativas e escolha o que melhor se adapta às suas necessidades. As combinações são inúmeras.

Rua Direita

Título: Como escolher o piso ideal para cada ambiente

Autor: Rua Direita (todos os textos)

Visitas: 0

783 

Comentários - Como escolher o piso ideal para cada ambiente

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios