Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Alimentação > A Família Burger

A Família Burger

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Alimentação
Visitas: 6
Comentários: 1
A Família Burger

Ao que consta, o hambúrguer descobriu a América na segunda metade do século XIX. A sua primeira denominação foi “Hamburg steak”, que é como quem diz “bife de Hamburgo”, cidade alemã de onde eram provenientes os imigrantes que introduziram no continente americano esta comida, então, rústica. A incorporação dos hambúrgueres nas cadeias de fast food não se fez esperar e a disseminação destas pelos quatro cantos do mundo (embora ele seja redondo!) dispensa comentários.

Quem é que não conhece a Família Burger? Simpática, atrai com a máxima facilidade crianças, adolescentes e adultos. O X-Burger é o grande sucesso desta família. Na verdade, deixa água na boca… e alguns apertos no estômago! O X vem de cheese, queijo em inglês. O X-Burger (ou cheeseburger) é um pão de trigo, geralmente polvilhado com sementes de sésamo, recheado com um naco de carne picada, sobre a qual repousam uma fatia de queijo e quantidades industriais de sal refinado e maionese ou um molho à base dela (para dar sabor). Trata-se de uma autêntica bomba para a saúde, sobretudo quando atravessa o aparelho digestivo a “surfar” nas ondas de refrigerantes gelados, super açucarados e repletos de corantes.

O X-Burger, à semelhança dos respetivos homólogos, embora tenha entrado no quotidiano de muita gente, nem por isso se tornou menos nocivo e consubstancia uma opção alimentar bastante errada. Mas, ingrediente a ingrediente é que se determina o X desta questão.

Nesta perspetiva, a carne moída e temperada com cebola, salsa e mostarda e amassada com ovo para formar uma massa consistente, é de baixa qualidade e rica em toxinas e gorduras animais. Submetida a um tratamento químico à base de produtos prejudiciais à saúde, ela mantém uma aparência apetitosa. O seu abuso pode provocar o aumento do colesterol e das doenças cardiovasculares.

O queijo, que nem chega a ser parente próximo do queijo caseiro, feito com leite fresco de cabra, vaca ou ovelha, é pobre em nutrientes, porque o leite que lhe dá origem é industrializado e enriquecido com químicos que lhe emprestam volume, aspeto e sabor. O organismo não é capaz de transformar esta gordura “plástica”, pelo que não a aproveita. Por outro lado, a obesidade é uma consequência inegável; os americanos que o digam…

O tomate, a alface, as batatas, os vegetais são, indubitavelmente, elementos de extrema importância na nossa nutrição. Representam uma importante fonte de vitaminas e sais minerais. Porém, cultivados com grandes quantidades de tóxicos agrícolas para se manterem frescos, grandes e bonitos e enlatados à mistura com aditivos químicos que devem garantir a sua conservação, eles entopem o nosso organismo de substâncias perigosas que apenas abreviam a nossa estadia no mundo dos vivos.

Para além dos danos ao organismo humano, a Família Burger é uma das principais responsáveis pela destruição ambiental das Américas, na medida em que os hambúrgueres são de carne, que provém de gado, que precisa de pastar, e para ter pastagens em abundância são abatidas enormes áreas florestais tropicais (cerca de mil quilómetros quadrados por ano). Calcula-se que mais de 90 por cento da carne produzida nas fazendas de El Salvador, Guatemala e Honduras abastece as grandes redes de snack-bar norte-americanas. Transformada em pastagens, a terra é explorada segundo critérios que visam o lucro imediato. As consequências são desastrosas: o deserto começa a substituir a floresta.

E agora, vai um X-Burguer? Para mim não, obrigada! Prefiro uma sopa de legumes, natural, saborosa e sadia!


Maria Bijóias

Título: A Família Burger

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 6

687 

Imagem por: Rafael Kage

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoClaudia

    15-08-2011 às 21:53:51

    Você conhece a Família Burger? Se não conhece, deveria porque os lanches são maravilhosos e sem nenhum condimento. Quem prefere sopa com legumes, ótimo então vá a um restaurante vegetariano. Bom apetite!

    ¬ Responder

Comentários - A Família Burger

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

A história da fotografia

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Fotografia
A história da fotografia\"Rua
A história e princípios básicos da fotografia e da câmara fotográfica remontam à Grécia Antiga, quando Aristóteles verificou que os raios de luz solar e com o uso de substâncias químicas, ao atravessarem um pequeno orifício, projetavam na parede de um quarto escuro a imagem do exterior. Este método recebeu o nome de câmara escura.

A primeira fotografia reconhecida foi uma imagem produzida em 1826 por Niepce. Esta fotografia foi feita com uma câmara e assente numa placa de estanho coberta com um derivado de petróleo, tendo estado exposta à luz solar por oito horas, esta encontra-se ainda hoje preservada.

Niepce e Louis –Jacques Mandé Daguerre inciaram em 1829 as suas pesquisas, sendo que dez anos depois foi oficializado o processo fotográfico o nome de daguerreótipo. Este processo consistia na utilização de duas placas, uma dourada e outra prateada, que uma vez expostas a vapores de iodo, formando uma pelicula de iodeto de prata sobre a mesma, ai era a luz que entrava na camara escura e o calor gerado pela luz que gravava a imagem/fotografia na placa, sendo usado vapor de mercúrio para fazer a revelação da imagem. Foi graças á investigação realizada por Friedrich Voigtlander e John F. Goddard em 1840, que os tempos de exposição e revelação foram encurtados.




Podemos dizer que o grande passo (não descurando muitas outras mentes brilhantes) foi dado por Richard Leach Maddox, que em 1871 fabricou as primeiras placas secas com gelatina, substituindo o colódio. Três anos depois, as emulsões começaram a ser lavadas com água corrente para eliminar resíduos.

A fotografia digital


Com o boom das novas tecnologias e com a capacidade de converter quase tudo que era analógico em digital, sendo a fotografia uma dessas mesmas áreas, podemos ver no início dos anos 90, um rápido crescimento de um novo mercado, a fotografia digital. Esta é o ideal para as mais diversas áreas do nosso dia a dia, seja a nível profissional ou pessoal.

As máquinas tornaram-se mais pequenas, mais leves e mais práticas, ideais para quem não teve formação na área e que não tem tempo para realizar a revelação de um rolo fotográfico, sem necessidade de impressão. Os melhores momentos da nossa vida podem agora ser partilhados rapidamente com os nossos amigos e familiares rapidamente usando a internet e sites sociais como o Facebook e o Twitter .

A primeira câmara digital começou a ser comercializada em 1990, pela Kodak. Num instante dominou o mercado e hoje tornou-se produto de consumo, substituindo quase por completo as tradicionais máquinas fotográficas.

Sendo que presentemente com o aparecimento do FullHD, já consegue comprar uma máquina com sensores digitais que lhe permitem, além de fazer fotografia, fazer vídeo em Alta-Definição, criando assim não só fotografias quase que perfeitas em quase todas as condições de luz bem como vídeo com uma qualidade até agora impossível no mercado do vídeo amador.

Tirar fotografias já é acessível a todos e como já não existe o limite que era imposto pelos rolos, “dispara-se” por tudo e por nada. Ter uma máquina fotográfica não é mais um luxo, até já existem máquinas disponíveis para as crianças. Muitas vezes uma fotografia vale mais que mil palavras e afinal marca um momento para mais tarde recordar.

Pesquisar mais textos:

Bruno Jorge

Título:A história da fotografia

Autor:Bruno Jorge(todos os textos)

Imagem por: Rafael Kage

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    05-05-2014 às 03:48:18

    Como é bom viver o hoje e saber da história da fotografia. Isso nos dá a ideia de como tudo evoluiu e como o mundo está melhor a cada dia produzindo fotos mais bonitas e com qualidade!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios