Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Desmistifique a hemofilia!

Desmistifique a hemofilia!

Categoria: Saúde
Visitas: 2
Comentários: 4
Desmistifique a hemofilia!

A hemofilia constitui, para muita gente, um “palavrão” assustador, do qual pouco se sabe. Trata-se de uma patologia relacionada com a falta ou insuficiência de um dos factores de coagulação do sangue. A lacuna deste factor conduz à formação de um coágulo defeituoso, frágil ou mesmo incapaz de parar a hemorragia. A hemofilia é, na esmagadora maioria dos casos, uma doença hereditária, causada por uma imperfeição num dos genes que determina o modo como o organismo produz os factores de coagulação, genes que se situam no cromossoma X, razão pela qual é apelidada de doença do cromossoma X.

Existem dois tipos essenciais de hemofilia: a A (que corresponde a sensivelmente 80 por cento dos casos) e a B, consoante a pouca ou nenhuma actividade se constate no factor de coagulação VIII ou no IX. Há também diferentes graus da doença: considera-se que a hemofilia é ligeira quando se verifica cinco por cento, ou mais, de actividade num destes factores; moderada, de um a cinco por cento; e severa ante a total ausência de acção.

As mulheres são portadoras do gene, embora muito raramente desenvolvam a enfermidade. Todavia, transmitem-no aos filhos varões. Pode ocorrer que rapazes nascidos de mães não portadoras sejam hemofílicos, mas tal facto deve-se a uma mutação genética espontânea.

Os sintomas mais notórios têm a ver com hemorragias desmesuradas, internas ou externas, espontâneas ou em consequência de um acidente ou intervenção médico-cirúrgica. As externas são mais patentes e decorrem de um corte,tratamento dentário, ou, simplesmente, não se encontra um motivo plausível. Os hemofílicos sangram muito facilmente do nariz e uma pequena ferida é susceptível de constituir o mote para um imenso jorro de sangue. Este pode, inclusivamente, regressar a uma incisão onde já estava estancado.

As hemorragias internas podem acontecer em órgãos (como os rins e a bexiga – em que o sangue é expelido pela urina -, o estômago e os intestinos – com presença de sangue nas fezes), ou nas articulações (como por exemplo nos joelhos e cotovelos), provocando, numa primeira fase, rigidez, depois inchaço, quentura ao toque e dor ao mais pequeno movimento. Se a hemorragia alastrar, aumenta a inflamação e é possível que se perca temporariamente o movimento nessa articulação. A hipotética afectação do cérebro, decorrente de uma simples pancada na cabeça, é uma das complicações mais gravosas da hemofilia.

Esta patologia não interfere com o campo intelectual, e mesmo a nível físico não impede o desempenho das actividades escolares nem o convívio social, dentro, é claro, de certos limites. Exercício físico que não pressuponha contacto (ténis, ciclismo, natação) é aconselhado, a fim de fortalecer músculos e articulações, e ajudar a reduzir os episódios hemorrágicos. Perante uma pequena lesão, estanca-se o sangue como numa pessoa não hemofílica: pressionando um penso rápido com firmeza e aplicando gelo. Aspirinas e derivados são interditos: prolongam o tempo de hemorragia.

A 17 de Abril celebra-se o Dia Mundial da Hemofilia. Apesar desta vulnerabilidade específica, é possível con(viver) com a doença e ter uma vida activa e independente.



Maria Bijóias

Título: Desmistifique a hemofilia!

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 2

808 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 4 )    recentes

  • Rafaela CoronelRafaela

    22-07-2014 às 21:02:42

    Uma patologia bem conhecida atualmente, a hemofilia, pode ser facilmente tratada.

    ¬ Responder
  • VivianeViviane

    11-03-2010 às 01:17:36

    Gostaria de saber mais sobre essa patologia, pois acabo de ter noticia de que meu sobrinho mais novo de 4 anos de idade a possui e isso está abalando muito minha família, estou fazendo algumas buscas na net para tentar acalma-los.Mas creio que um dia haverá cura...em nome de Jesus!!! Se puder mandar mais informações para meu e-mail, fico muito grata desde já.

    ¬ Responder
  • jason jair frutuosojason jair frutuoso

    25-10-2009 às 13:49:57

    Gostaria de saber mais sobre os recursos para tratamento da hemofilia nos anos 60, uma vez que assistí o drama de uma mulher que teve 5 filhos hemofílicos e uma filha sadia. Estou escrevendo um livro para homenagear aquela senhora que para mim foi mais que uma heroina: Mesmo com pouca experiancia de vida e sem nenhum conhecimeno sobre a doença, aos 23 anos de idade iniciou sua saga em busca de tratamentos para filhos e naquele tempo ia com enorme frequencia para o RJ, onde havia tratamento mais aficaz para debelar os constanetes problemas dos meninos. Quero citar este dado para provar que ela era de fato uma grande heroina.
    Obrigado, jason jair frutuoso

    ¬ Responder
  • Zeudi Oliveira da SilvaZeudi Oliveira da Silva

    26-05-2009 às 01:58:23

    Gostaria,de dizer que este trabalho de vcs e de muita importançia pois para nos estudantes de enfermagem e muito bom.estao de parsbenes.

    ¬ Responder

Comentários - Desmistifique a hemofilia!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Dicas para decorar salas pequenas.

Ler próximo texto...

Tema: Decoração
Dicas para decorar salas pequenas.\"Rua
A realidade das grandes cidades é que a maioria das pessoas mora em espaços pequenos. É fato também que todos desejam ter um ambiente acolhedor e aconchegante para receber amigos. Em contrapartida, na medida em que os espaços encolhem, a quantidade de aparelhos eletrônicos que utilizamos aumenta cada vez mais. Há ainda quem use a sala como home-office.

Nesta busca de inspiração para organizar e incrementar sua sala, encontramos uma série de sites especializados e blogs com muitas, muitas ideias. O conceito de D.I.Y. (do it yourself) que significa "faça você mesmo” nunca esteve tão na moda. É uma alternativa para reduzir gastos com mão de obra e nada melhor do que criar um espaço com um toque todo seu. Inspirações e ideias não faltam. Hoje, de certa forma todos nos sentimos meio decoradores.

Mas planejar a decoração de uma sala pequena exige alguns cuidados para que o ambiente não fique entulhado de móveis, disfuncional ou até mesmo desagradável.

Confira algumas dicas para decorar sua sala com estilo e valorizando seu espaço:
Os espelhos, além da autocontemplação, causam efeitos interessantes. Aplicados, por exemplo, em uma parede inteira pode duplicar a amplitude do ambiente. Pode ser usado também em móveis, tetos, em diversos formatos e valorizar a luminosidade da decoração.

As cores tem poder de causar sensações. Em ambientes com pouco espaço, elas podem colaborar para que a sensação de amplitude possa tanto aumentar quanto diminuir. Para pintar as paredes de sua sala aposte em cores claras. O teto com uma cor mais clara que a das paredes, por exemplo, pode simular uma elevação do teto, já em uma cor mais escura, promoverá uma sensação de rebaixamento do teto.

A escolha e posição dos móveis são um aspecto muito importante. Opte por poucos móveis, nunca de tamanhos exagerados e posicione-os de forma que valorize o espaço. Móveis que misturam poucos materiais, baixos e com linhas retas proporcionam leveza ao ambiente.

Uma solução muito interessante para espaços pequenos é a utilização de prateleiras. Caixas para produtos horto frutícolas reformadas podem se tornar lindas prateleiras. Mas cuidado com a profundidade, para não atrapalhar na disposição de outros móveis e objetos.

Móveis multifuncionais ou móveis inteligentes são excelentes alternativas para uma sala pequena. Um bom exemplo são pufes, que podem ser usados como mesas de centro ou ficarem alojados debaixo de aparadores e quando recebemos visitas podem se transformar em assentos extras. Mesas dobráveis também são uma ótima opção.

Escolher o mesmo piso ou revestimento pode dar a impressão de área maior, de continuidade. Mudanças drásticas de um ambiente para outro pode causar a sensação de divisão e consequentemente fazer parecer menor.

Algumas outras dicas: um sofá retrátil ou reclinável garante muito mais conforto e ocupa o espaço de um sofá simples. Suporte ou painéis móveis para TV possibilitam que ela seja movida na direção desejável. Caso o ambiente tenha escadas, escolher um modelo de escadas vazadas evita divisões e pode se tornar uma peça de destaque na sala. E para as cortinas, escolha tecidos leves, lisas e sem estampas.

De qualquer forma, ouse, não tenha medo de arriscar, crie, não copie, só assim será seu!

Luciana Santos.

Outros textos do autor:
Dicas para decorar salas pequenas.

Pesquisar mais textos:

Luciana Maria dos Santos

Título:Dicas para decorar salas pequenas.

Autor:Luciana Maria Santos(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Carlos Rubens Neto 16-06-2016 às 16:20:24

    Excelente matéria! Parabéns Luciana ;)

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios