Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > Menopausa Precoce

Menopausa Precoce

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Saúde
Menopausa Precoce

Afrontamentos, calores excessivos e inexplicáveis, diminuição do líbido e mau humor são alguns dos sintomas que podem levar qualquer mulher à “loucura” na hora em que enfrenta esta mudança na sua vida. É uma alteração na vida de todas as mulheres e se em tempos as dificuldades e os mitos eram muitos, nos dias que correm muitas histórias foram desmistificadas e muitos assuntos arrumados e resolvidos no que diga respeito à menopausa.
Existem 3 tipos de menopausa e são todas distintas, apesar dos sintomas serem todos idênticos. A menopausa natural, a menopausa induzida (algumas vezes até através de histerectomia) e a menopausa precoce.

A menopausa natural pode ocorrer a partir dos 47 anos.

A menopausa induzida pode estar relacionada com tratamentos de quimioterapia, intervenções cirúrgicas ou em situações de condição médica. Também se consideram aqui as histerectomias podem ser consideradas como menopausas induzidas. A remoção de ovários pode provocar uma menopausa até 5 anos antes do tempo previsto.

No entanto, numa situação de menopausa precoce, as coisas podem ser mais complicadas. Ocorre em cerca de 10% da população feminina e a falta de menstruação ocorre antes dos 40, acontecendo este episodio mesmo no início dos 30.

Os sintomas são mais intensos que numa menopausa dita normal e tendo em conta que na fase em que a mulher deveria estar em período fértil, depara-se com um problema físico que pode trazer algumas doenças associadas como a depressão e muitas vezes o esgotamento.
Numa menopausa precoce os afrontamentos são mais intensos e existe uma significativa diminuição da libido.

Em casos que a mulher deixou a maternidade para tarde, uma menopausa precoce pode ser marcante e traumática, pois naturalmente que a menopausa coloca em risco a fertilidade.
Questões sobre a sua feminilidade e sexualidade são colocadas e os estados depressivos são muitas vezes o resultado destas alterações.

O que pode causar muitas vezes uma enorme confusão no equilíbrio emocional de uma mulher que passa por uma menopausa precoce, é que a possa confundir com uma gravides, devido à falta de menstruação. Depois de descartada a hipótese de gravides, o mais aconselhável é ir ao médico. Análises hormonais vão poder comprovar a menopausa precoce.

Terapia hormonal poderá ser o tratamento adequado, acompanhado por outra medicação e sempre, sempre ditado pelo seu médico.

No fundo, a menopausa é uma fase pela qual todas as mulheres passam. Ser-se acompanhada por um médico é fundamental nesta fase, independentemente da idade que tenha. Desmistifique o que se possa dizer por aí e viva feliz. Afinal, ser mulher é maravilhoso.


Carla Horta

Título: Menopausa Precoce

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 0

626 

Comentários - Menopausa Precoce

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios