Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Sinto Muito – Ler para Muito Sentir

Sinto Muito – Ler para Muito Sentir

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Literatura
Comentários: 1
Sinto Muito – Ler para Muito Sentir

Podem falar-se de todos os livros do mundo. De todas as fábulas, histórias de encantar, de romances que nos fazem apaixonar. Podem falar-se de obras literárias, de livros com descrições soberbas e paisagens que imaginamos de forma inconsciente e imediata.

Podem falar-se de todos os livros no mundo, mas se quer ler sobre sentimentos, não pode deixar de ler o livro de que lhe vou falar.

“Sinto Muito” de Nuno Lobo Antunes.

O nome é capaz de lhe soar a familiar, e é obrigatório dizer que a escrita está no sangue deste autor, pois é irmão de António Lobo Antunes. Apesar de irmãos, a escrita é totalmente diferente. Nuno Lobo Antunes, fala-nos neste “Sinto Muito”, a sua própria vida e o que encara e enfrenta com bravura todos os seus dias.

O autor é neuro-oncologista pediátrico e escreve sobre o seu mais profundo sentimento.
“Sinto Muito” choca-nos para uma realidade absoluta, de crianças que sofrem de cancro neurológico e cuja sina está bem vincada no rosto. O sofrimento das mães e o seu acreditar constante e infindável de que vai existir uma cura. Afinal, ama tanto o seu pequeno que nada de mal lhe acontecerá. Pergunta-se inclusive o autor a determinada altura, se não pensarão aquelas mães que possam não ter amado o suficiente.

Se com os sentimentos destas mães nos sentimos a sobressaltar, vamos com este livro perceber que também os médicos sofrem. No seu silêncio em que não lhes é politicamente correto demonstrar. Deontologicamente são ensinados que a ligação com o doente pode causar marcas profundas, mas torna-se inevitável. São humanos e Deus sabe como sentem.

Porque um médico não esquece, e se ao longo da sua carreira marcou a vida de alguém, muitos são aqueles que marcam a vida de um médico. Um olhar, um pedido, uma simples palavra, um ai… e um médico, nunca mais se esquece.

Único, o autor desabafa sentimentos e soluços quando no seu dia a dia salva e lamenta a vida de outros. De tantos outros.

A não perder:

“Há no médico o desejo de ser santo, de ser maior. Mas na sua memória transporta, como um fardo, olhares, sons, cheiros e tudo o que o lembra de ser menor e imperfeito.

Este é um livro de confissões. Uma peregrinação interior em que a bailarina torce o pé, o saltador derruba a barra, o arquiteto se senta debaixo da abobada, e no fim, ela desaba.

O médico e o seu doente são um só, face dupla da mesma moeda.

O médico provoca o Criador, não lhe vai na finta, evita o engodo. Mas no cais despede-se, e pede perdão por não ter sido parceiro para tal desafio.” O autor

Enfim, extraordinário. Sinto muito se ainda não o leu!


Carla Horta

Título: Sinto Muito – Ler para Muito Sentir

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 0

637 

Imagem por: stephmcg

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDaniela Vicente

    10-09-2012 às 15:24:40

    Não conhecia este livro, mas parece um óptimo livro. Eu nunca fui muito adepta deste tipo de livros, prefiro os romances históricos, mas se me dessem este livro para ler, não recusava com toda a certeza. O seu texto conta com grande humanidade um livro que retrata o cancro na cara de crianças e pais. É preciso grande sensibilidade para abordar um tema destes. O realce dos médicos é adequado neste caso de doenças prolongadas.

    ¬ Responder

Comentários - Sinto Muito – Ler para Muito Sentir

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como cuidar de Plantas de interior

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Bricolage Jardim
Como cuidar de Plantas de interior\"Rua
Cada planta tem um comportamento diferente, vou colocar aqui alguns cuidados que servem para a maioria delas.

LUZ:

Os principais erros no cultivo de plantas de interior é a falta de luz.
Se elas estiverem em locais onde não há luz suficiente, isso pode ser corrigido com a instalação de luz artificial, existe no mercado lâmpada que imitam a luz natural.


TEMPERATURA:

Mudanças bruscas de temperatura retardam e até paralisa o crescimento da planta, bem como causa a queda de folhas.


UMIDADE:

A maioria das plantas necessita de uma umidade atmosférica adequada.
Normalmente notamos que a planta não está com a umidade correta quando acontece ficarem amarelas e a queda de folhas.


IRRIGAÇÃO:

Conselhos básicos:
Uma planta em fase de crescimento vai precisar de mais água que uma que está em fase de dormência, ou já atingiu o seu tamanho adulto.
Durante a floração a planta precisa de mais água que em sua fase de crescimento
Em ambientes internos mais quentes é evidente que a planta vai precisar de mais águas que em ambientes mais frios.
Para saber qual é o momento exato de molhar, enfie o dedo no substrato, se sentir ele seco, chegou a hora

FERTILIZANTE:

Para que a planta tenha um desenvolvimento harmonioso convém usar periodicamente de fertilizantes que podem ser líquido ou sólidos.
No mercado existe a venda fertilizante com fórmulas específicas para cada planta.
Após a utilização do fertilizante regue a planta.

LIMPEZA:

Faça regularmente a limpeza de folhas secas e caule, pois elas são bastante positivas não só esteticamente como para a saúde das plantas.
Se estiver acumulada muita poeira sobre as folhas, espane, e depois passe um pano húmido
Atenção: Existe algumas espécies, que tem as folhas aveludadas, tipo a Violeta Africana, Begônia Rex, etc. que não deve ser colocada água é só usar uma escovinha bem macia.

TROCA DE VASO:

De uma maneira geral após 1 ou 2 anos as plantas de interior devem ser colocadas em vasos de tamanho maior.
Isso deve ser feito porque as raízes passam a ocupar um grande espaço e também porque o substrato vai perdendo sua composição inicial.
A época mais adequada varia de planta para planta, algumas devem ser feitas na primavera e outras quando estão na fase de repouso.
Aproveite para obterem mudas, separando brotos e dividindo touceiras.

Pesquisar mais textos:

Miguel Pereira

Título:Como cuidar de Plantas de interior

Autor:Miguel Pereira(todos os textos)

Imagem por: stephmcg

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Briana AlvesBriana

    13-10-2014 às 04:09:31

    Muito bom! É tão gratificante cuidar de plantas. A gente vê o quanto elas florescem quando são bem-cuidadas. Amei as dicas!

    ¬ Responder
  • Rua DireitaRua Direita

    18-04-2014 às 22:36:55

    Fantástico seu texto, a Rua Direita agradece!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios