Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Gotas de Emoção

Gotas de Emoção

Categoria: Literatura
Gotas de Emoção

Deixar
Deixar que o sol faça de
Minha alma brilhar no mundo
Para que o mundo pudesse me enxergar,
Para que quem esteja aqui não me
Veja como um ser superior a eles,
Mas que um como eles ou
Como mantenedor de dom as quais
Eles têm dentro do peito,
Dentro dos corações que são os encantadores
E sublimes esconderijos de emoções,
De sentimentos e
Sensações puras as que trancafiamos
A ilusão em seu próprio mundo,
Repleto de desolação.

No Frio
No calor abro voo para alcançar
Sua alma repleta de amor,
Para não pegar a chegada do frio
Que congelaria minha alma ou o meu coração
Como maior recinto da paixão,
Morada do amor
Que abriga a nossa compaixão
Para quem fez do meu amor
De seu brinquedinho ou
Ou de seu fantoche a qual com os dedos
E a mão interferisse aos meus sentimentos e
Emoções.

Para Sempre
Para sempre vou te amar
Tão quão como se o amor nunca houvesse fim,
Sendo tão infinito quanto ao tamanho do universo
A qual nosso mundo reside,
A qual todas as pessoas de raças,
Cores e religiões vivem se divergindo
Sem levar em conta o dom de amar a quem não
Conhecemos para conhecer quem em uma só
Piscada de olhar sublime atraindo
Corações de quem nunca se viu para um dia dizer
Amar a quem um dia,
Simplesmente conheceu com a ajuda
Das plenitudes do amor a
Magia da paixão.

O certo que se escreve não é semelhante ao que pensamos ser.

Sobrou
Sobrou de meu avião
As carcaças do meu amor deglutinado por seu coração
Que despreza esse amor que aqui dentro lhe guardava
Com todo o amor do mundo,
Com toda a paixão do universo que chega
A ser como uma agulha dentro dessa imensidão
Que é até impossível pensar em um dia
Viver com consigo,
Ou sem quem acolha os destroços
De um coração derrotado
Pela ilusão que sem a formosura
De sua compaixão,
Até que dentre os seus dedos subissem
Subissem o zumbido de meus gritos.

Grito
Grito o amor
Expressando a paixão
Para desperdiçar a ilusão.

Desperdício
O desperdício de amor
É como o desperdício disprósio
Da água a qual usamos ou
Que alguém use por aí se o mínimo
De consciência a qual custamos conquistar
Através de nossos atos de tanta inconsciência
Domadora de nossas intenções,
Nossos desejos e
Insanas sensações embora sejam
Momentos de nostalgia por quem amamos,
Como a água que do mundo há cada instante se vai
Ao nosso desuso desprovido de tanto e,
Tamanha sabedoria.

Tamanha
Tamanha é essa paixão que
Tão quão aos outros me amedronta
De tal forma e maneira
Que nem sei com que palavras
Explicar-me e
Expressar-me de tal forma
A qual seu coração saiba como é a
Forma mais prática de explorar toda a mata
Deslumbrada e fortalecida
Por uma escuridão.


Kaique Barros

Título: Gotas de Emoção

Autor: Kaique Barros (todos os textos)

Visitas: 0

0 

Comentários - Gotas de Emoção

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Fine and Mellow

Ler próximo texto...

Tema: Música
Fine and Mellow\"Rua
"O amor é como uma torneira
Que você abre e fecha
Às vezes quando você pensa que ela está aberta, querido
Ela se fechou e se foi"
(Fine and Melow by Billie Holiday)

Ao assistir a Bio de Billie Holiday, ocorreu-me a questão Bluesingers x feminismo, pois quem ouve Blues, especialmente as mais antigas, as damas dos anos 10, 20, 30, 40, 50, há de pensar que eram mulheres submissas ao machismo e maldade de seus homens. Mas, as cantoras de Blues, eram mulheres extremamente independentes; embora cantassem seus problemas, elas não eram submissas a ponto de serem ultrajadas, espancadas... Eram submissas, sim, ao amor, ao bom trato... Essas mulheres, durante muito tempo, tiveram de se virar sozinhas e sempre que era necessário, ficavam sós ou mudavam de parceiros ou assumiam sua bissexualidade ou homossexualidade efetiva. Estas senhoras, muitas trabalharam como prostitutas, eram viciadas em drogas ou viviam boa parte entregues ao álcool, merecem todo nosso respeito. Além de serem precursoras do feminismo, pois romperam barreiras em tempos bem difíceis, amargavam sua solidão motivadas pelo preconceito em relação a cor de sua pele, como aconteceu a Lady Day quê, quando tocava com Artie Shaw, teve que esperar muitas vezes dentro do ônibus, enquanto uma cantora branca cantava os arranjos que haviam sido feitos especialmente para ela, Bilie Holiday. Foram humilhadas, mas, nunca servis; lutaram com garra e competência, eram mulheres de fibra e cheias de muito amor. Ouvir Billie cantar Strange Fruit, uma das primeiras canções de protestos, sem medo, apenas com dor na alma, é demais para quem tem sentimentos. O brilho nos olhos de Billie, fosse quando cantava sobre dor de amor ou sobre dor da dor, é insubstituível. Viva elas, nossas Divas do Blues, viva Billie Holiday, aquela que quando canta parte o coração da gente; linda, magnifica, incomparável, Lady Day.

O amor vai fazer você beber e cair
Vai fazer você ficar a noite toda se repetindo

O amor vai fazer você fazer coisas
Que você sabe que são erradas

Mas, se você me tratar bem, querido
Eu estarei em casa todos os dias

Mas, se você continuar a ser tão mau pra mim, querido
Eu sei que você vai acabar comigo

Pesquisar mais textos:

Sayonara Melo

Título:Fine and Mellow

Autor:Sayonara Melo(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios