Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Empresariais > Como trabalhar com um chefe complicado

Como trabalhar com um chefe complicado

Categoria: Empresariais
Visitas: 2
Comentários: 1
Como trabalhar com um chefe complicado

O mundo do trabalho é bastante exigente tanto para chefes como para funcionários.

As relações interpessoais por vezes são difíceis em especial se o chefe for complicado ou tiver mau feitio. Torna-se neste caso necessário saber de algumas regras que podem domar um chefe difícil. Há especialistas de relações profissionais que ajudam a encontrar a melhor forma para problemas laborais. Assim são possíveis os funcionários confrontarem-se com vários tipos de chefes no seu trabalho. Os mais usuais são: o controlador, o nervoso, o safado, o enrolado, o amansador de feras. Todos eles têm características diferentes, sendo necessária uma certa agilidade em lidar com eles.

É muito complicado trabalhar sem motivação, tendo um chefe mal -humorado, difícil ou um banana. No entanto sempre existe um jeito de levar numa boa convivência com um superior insuportável. Convêm que nenhum nervoso ou controlador jogue na lama o sucesso de um funcionário competente.

A grande maioria dos trabalhadores já passou por este problema e teve, eventualmente de controlar a situação. Aliás estima-se que 75% dos pedidos de demissão são devidos exactamente por dificuldades de convivência com o chefe. Mas, gostar ou não do superior, relacionar-se bem com ele é fundamental para a ascensão da carreira.

O melhor a fazer com chefes problemáticos é contra atacar, concentrar nas atitudes e nunca levar para o lado pessoal.

Dividir a culpa, achando que se tem parte da responsabilidade predispõem a favor do funcionário. Se o chefe for nervoso, tem logicamente incapacidade para manter a calma e cria tumulto. Neste caso é inseguro e pode estar sob pressão. O melhor é sair de perto nestes momentos e ajudá-lo a dividir tarefas. Provavelmente o seu problema é o peso das responsabilidades.

Se ele não consegue dar instruções claras de trabalho, deve dar-se o benefício da dúvida, descobrir suas qualidades e sugeri-lhe cooperação. Ele vai encarar isso como uma ajuda que chega em boa hora.

Se ele passa dos limites e assedia, o melhor é recorrer-se à justiça. E, para os que controlam tudo, deve dar-se os detalhes do andamento do trabalho antes que ele se chateie, ou em vez de dar informações diárias, deve dar-se uma vez por semana.

No caso de um reconhecimento que ele errou, o ideal é usar-se argumentos do porquê de haver um problema, talvez ele respeite os argumentos e passe a respeitar melhor.

Para mal entendidos é sempre bom resolver a situação e nunca deixá-la mal, pois seria usada contra o funcionário.

Quando se quer apresentar uma ideia convêm esperar-se que ele esteja livre. E, andar sempre de cabeça erguida mesmo que todos tenham medo dele.


Teresa Maria Batista Gil

Título: Como trabalhar com um chefe complicado

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 2

808 

Imagem por: World Economic Forum

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Luene ZarcoLuene

    10-07-2014 às 20:29:59

    Tem que ter muita paciência e suportar com calma essa situação. Pode-se também olhar por outro lado. Como, por exemplo, o chefe complicado ser um instrumento para moldar nosso caráter!

    ¬ Responder

Comentários - Como trabalhar com um chefe complicado

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Cecília Meireles

Ler próximo texto...

Tema: Biografias
Cecília Meireles\"Rua
Biografia, obras e estilo literário

Cecília Meireles é uma das grandes escritoras da literatura brasileira. Seus poemas encantam os leitores de todas as idades. Nasceu no dia 7 de novembro de 1901, na cidade do Rio de Janeiro e seu nome completo era Cecília Benevides de Carvalho Meireles.

Sua infância foi marcada pela dor e solidão, pois perdeu a mãe com apenas três anos de idade e o pai não chegou a conhecer (morreu antes de seu nascimento). Foi criada pela avó Dona Jacinta. Por volta dos nove anos de idade, Cecília começou a escrever suas primeiras poesias.

Formou-se professora (cursou a Escola Normal) e com apenas 18 anos de idade, no ano de 1919, publicou seu primeiro livro “Espectro” (vários poemas de caráter simbolista). Embora fosse o auge do Modernismo, a jovem poetisa foi fortemente influenciada pelo movimento literário simbolista.

No ano de 1922, Cecília casou-se com o pintor Fernando Correia Dias. Com ele, a escritora teve três filhas.

Sua formação como professora e interesse pela educação levou-a a fundar a primeira biblioteca infantil do Rio de Janeiro no ano de 1934. Escreveu várias obras na área de literatura infantil como, por exemplo, “O cavalinho branco”, “Colar de Carolina”, “Sonhos de menina”, “O menino azul”, entre outros. Estes poemas infantis são marcados pela musicalidade (uma das principais características de sua poesia).

O marido suicidou-se em 1936, após vários anos de sofrimento por depressão. O novo casamento de Cecília aconteceu somente em 1940, quando conheceu o engenheiro agrônomo Heitor Vinícius da Silveira.

No ano de 1939, Cecília publicou o livro Viagem. A beleza das poesias trouxe-lhe um grande reconhecimento dos leitores e também dos acadêmicos da área de literatura. Com este livro, ganhou o Prêmio de Poesia da Academia Brasileira de Letras.

Cecília faleceu em sua cidade natal no dia 9 de novembro de 1964.

Relação de suas obras:

Espectro - 1919
Criança, meu amor - 1923
Nunca mais... - 1923
Poema dos Poemas -1923
Baladas para El-Rei - 1925
O Espírito Vitorioso - 1935
Viagem - 1939
Vaga Música - 1942
Poetas Novos de Portugal - 1944
Mar Absoluto - 1945
Rute e Alberto - 1945
Rui — Pequena História de uma Grande Vida - 1948
Retrato Natural - 1949
Amor em Leonoreta - 1952
12 Noturnos de Holanda e o Aeronauta - 1952
Romanceiro da Inconfidência -1953
Poemas Escritos na Índia - 1953
Batuque - 1953
Pequeno Oratório de Santa Clara - 1955
Pistóia, Cemitério Militar Brasileiro - 1955
Panorama Folclórico de Açores -1955
Canções - 1956
Giroflê, Giroflá - 1956
Romance de Santa Cecília - 1957
A Rosa - 1957
Obra Poética -1958
Metal Rosicler -1960
Solombra -1963
Ou Isto ou Aquilo -1964
Escolha o Seu Sonho - 1964

Pesquisar mais textos:

Elisangela Lourenço de Oliveira

Título:Cecília Meireles

Autor:Elisangela Lourenço Oliveira(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios