Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Automóveis > Carros usados: Cuidado com a documentação

Carros usados: Cuidado com a documentação

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Automóveis
Visitas: 2
Comentários: 1
Carros usados: Cuidado com a documentação

Comprar um carro usado ou trocar de veículo é uma tarefa que deve ser feita com bastante cautela e atenção. Na realidade, qualquer negociação deveria ser feita dessa maneira, verificando se toda a documentação está em dia. Se isso não for feito, é possível que problemas possam surgir ao novo proprietário, pois há vários casos de documentações falsas ou com fraudes. Por isso, uma analise detalhada da “papelada” pode ser chato, mas ajudará a prevenir grandes dores de cabeça.

A primeira coisa a ser avaliada quando for ver algum carro é a documentação. Muitos se preocupam demasiadamente com o valor do veículo, sendo que se os papeis não estiverem em ordem, toda a negociação feita antes de verificar esse ponto não adiantou nada. Porém, se você quiser assumir o risco de comprar um automóvel com irregularidades só por causa do preço, fica a dica que as chances de problemas aparecerem são de quase 100%.

Um ponto interessante que pode gerar dúvidas é sobre o preenchimento do CRV (certificado de Registro do Veículo). O vendedor do veículo deve preencher esse documento corretamente e com reconhecimento da firma de sua assinatura. Claro que isso deve ser feito após o pagamento ou a negociação do carro. Depois disso, ainda é preciso guardar o documento muito bem guardado, sem ficar transportando-o para todo lado para não perdê-lo.

No ato da venda, passe o CRV para o novo dono. Isso o livrará de receber multas e notificações em seu nome, mesmo após a venda ou troca do veículo. Além disso, independente do novo dono fazer a transferência para o nome dele ou não, devido à documentação que você preencheu e reconheceu firma, nenhum problema que ocorrer com o carro virá em seu nome.

Ainda há um ponto muito importante que deve ser verificado em casos de compra de carros usados: o estado da documentação junto ao DETRAN (ou o órgão responsável por legislação de trânsito em sua cidade); como o IPVA, seguro obrigatório, multas e outros. Todos devem estar em dia e de acordo com a lei. Vale ressaltar que a transferência do veículo deve ser feita em, no máximo, 30 dias a partir da data da compra ou venda.

Na realidade, o quanto antes for feito a transferência do veículo para o nome do novo dono melhor, pois isso evitará problemas para ambos, vendedor e comprador.

E aí, o que achou das dicas? Se você tem mais algum ponto relevante a essa questão, comente e compartilhe isso com todos!


Lucas Souza

Título: Carros usados: Cuidado com a documentação

Autor: Lucas Souza (todos os textos)

Visitas: 2

646 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Daiany Nascimento

    18-09-2012 às 11:58:54

    Obrigada pelas ótimas dicas que você tem disponibilizado por meio do site ruadireita.com, pois elas estão sendo ótimas para eu saber mais sobre quais são os cuidados necessários que eu deverei ter no momento de adquirir o meu carro novo. Eu ainda não sabia quais eram os cuidados com a documentação de um carro usado, mas agora você esclareceu todas as minhas dúvidas. Gostaria de agradecer novamente e espero que você posta muitas outras dicas.

    ¬ Responder

Comentários - Carros usados: Cuidado com a documentação

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios