Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Automóveis > Não se fie na “inteligência artificial”!...

Não se fie na “inteligência artificial”!...

Categoria: Automóveis
Comentários: 1
Não se fie na “inteligência artificial”!...

Uma crise generalizada como a que se vive actualmente tem afectações sobre todos os sectores e o automóvel não é excepção. Dizem os arautos da desgraça que as vendas terão caído cerca de 50 por cento, o que motiva já previsões de redução nos custos de produção. O que quererá isto dizer: que os automóveis passarão a ter menos rodas, parafusos, material de esteio, ou o quê? É que alguém deve ter estudado todas estas componentes e constatado que isto tudo faz muita falta. Há ainda a possibilidade de substituição de peças por similares em plástico, mas que não oferecem, nem de perto nem de longe, o mesmo grau de segurança.

Se a indústria automobilística apresentasse uma evolução tecnológica semelhante à informática, este problema estaria, certamente, solucionado, uma vez que se conduziriam carros a custar 25 dólares e em que um litro de combustível daria para percorrer à volta de 420 quilómetros, segundo Bill Gates. A General Motors rebateu imediatamente, apresentando várias alegações, que chegam ao cúmulo de ter de aceitar que o carro se desligasse por realizar operações “ilegais”, como, numa descida pronunciada, em que se tem de pisar o travão, ligar o ar condicionado, o rádio e as luzes ao mesmo tempo, ou reinstalar o motor por se ter executado uma qualquer manobra que motivasse a paragem e falha da viatura. Por outro lado, os novos assentos obrigariam a um tamanho standard de traseiro, e, na iminência de um acidente, o airbag perguntaria: «Tem a certeza que quer usar o airbag?» Afinal, parece que o fabrico destes automóveis, potencialmente cinco vezes mais rápidos e dez vezes mais fáceis de conduzir, teriam como única vantagem o facto de os netos saberem guiar muito melhor do que os avós…

A condução talvez se tornasse mais suave, mas nem por isso simples para a maioria dos encartados. Adormecer ao volante, confiando que a “inteligência” artificial” resolveria qualquer eventualidade, poderia constituir um risco acrescido. A propósito, enquanto vamos tendo automóveis “normais”, e perante a dificuldade de manter a pestana aberta ao volante, dizem os especialistas que odores fortes a especiarias ajudam o cérebro a manter-se alerta durante a viagem, pois despertam-nos em mais de 25 por cento, e que os rebuçados de menta produzem o mesmo efeito.

Quem parece que anda a “dormir na forma” é o craque de futebol, Cristiano Ronaldo. Deviam ter-lhe providenciado uma viatura mais pequena, de acordo com a tenra idade mental do jogador, no intuito de evitar que ande para aí a estampar-se. Brincar com os popós a sério como se brinca com a bola é perigoso… E marcar golos contra as barreiras de protecção lateral não origina aplausos nem lucro… Dá, na melhor das hipóteses, direito a umas dores durante algum tempo e um carro para a sucata!

Maria Bijóias

Título: Não se fie na “inteligência artificial”!...

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

656 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    17-06-2014 às 06:04:16

    Com certeza! Ela nos engana e muuuitoooo!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Não se fie na “inteligência artificial”!...

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como fazer disfarces de Carnaval

Ler próximo texto...

Tema: Vestuário
Como fazer disfarces de Carnaval\"Rua
O ano começa e depressa chega uma data muito ansiada principalmente pelos mais jovens: o desejado Carnaval!

Esta é uma data que os pequenos adoram e deliram com as fantasias. O problema maior é a despesa que os disfarces representam e no ano seguinte já não usarão o mesmo disfarce ou, no caso dos mais pequenos, já não lhes serve.
O melhor nesta data é mesmo reciclar e aprender a fazer disfarces caseiros utilizando truques mais económicos e materiais reciclados para preparar as fantasias dos pequenitos!

Uma sugestão para os meninos é o traje de pirata que pode facilmente ser criado a partir de peças que tenha em casa. Procure uma camisa de tamanho grande e, de preferência, de cor branca com folhos. Se não tiver uma camisa com estas características facilmente encontrará um modelo destes no guarda-vestidos de alguma familiar, talvez da avó.

Precisará de um colete preto. Na falta do colete pode utilizar um casaco preto que esteja curto, rasgue as mangas pelas costuras dos ombros. As calças devem ser velhas e pretas para poderem ser cortadas na zona das pernas para envelhecer a peça. Coloque um lenço preto ou vermelho na cabeça do menino e, de seguida, com um elástico preto e um pouco de velcro tape um dos olhos.

Para as meninas não faltam ideias originais para fazer disfarces bonitos e especiais para este dia. Uma ideia original é a fantasia de Flinstone. É muito fácil e prática de fazer e fica um disfarce muito bonito. Comece por arranjar um pedaço de tecido branco. Coloque o tecido em volta do corpo como uma toalha de banho e depois amarre num dos braços fazendo uma alça. Depois corte as pontas em ziguezague mantendo um lado mais comprido que o outro. Amarre o cabelo da menina todo no cimo da cabeça, como se estivesse a fazer um rabo-de-cavalo mas alteie-o mais. Com o auxílio de um pente frise o cabelo, pegando nas pontas e passando o pente em sentido contrário até que fique todo despenteado. Numa loja de disfarces compre um osso de plástico e prenda na fita da criança.

Pegue nos materiais, puxe pela imaginação e ponha mãos ao trabalho!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Como fazer disfarces de Carnaval

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    09-06-2014 às 04:01:21

    Não em carnaval, mas em bailes de fantasia, sempre usei o TNT. Eles são ótimos para trabalhar o corte, para costurar e deixa bem bonito!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios