Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Automóveis > O carro que vive do ar

O carro que vive do ar

Categoria: Automóveis
Visitas: 2
Comentários: 1
O carro que vive do ar

Ter automóvel próprio e utilizá-lo nas deslocações diárias, não só é prático como bastante cómodo. O pior, é a dolorosa conta a pagar cada vez que se abastece o depósito. Quer seja movido a gasóleo ou a gasolina, nos dias de hoje, ter carro é quase considerado um luxo! Já para não falar em termos ecológicos e da degradação que vamos provocando no nosso planeta pelo recurso constante às fontes energéticas naturais. O ideal era possuir um carro que poluísse pouco, que fosse igualmente prático e bastante económico!

O AirCar está muito próximo dessa utopia! É pequeno, não polui e, principalmente, não utiliza qualquer derivado do petróleo… espante-se, apenas utiliza Ar comprimido! O AirCar é produzido pela Tata Motors e o seu funcionamento nada tem de especial. Na realidade, é bastante simples: continua a utilizar pistons, como os actuais carros a explosão.

O projecto prevê a produção de apenas 10 000 unidades anuais, estimando-se que o seu preço ronde os 17 800 doláres americanos. O abastecimento de 340L de ar comprimido custará dois dólares, permitindo percorrer 1000Km a uma média de 100Km/h.

São diversas as vantagens que apresenta face a um carro comum:
- os custos envolvidos na produção de ar comprimindo são inferiores aos praticados pela actual indústria de combustíveis;
- o ar é abundante, económico, transportável, armazenável e, acima de tudo, não poluente;
- a tecnologia envolvida na utilização de ar comprimido reduz os custos da produção de veículos em 20%, por não ser necessário a instalação de um tanque de combustível, sistema de refrigeração e silenciadores;
- o ar não é inflamável;
- o design mecânico do motor é simples e robusto;
- os carros não vão desenvolver danos de corrosão resultantes do envelhecimento da bateria;
- menores custos de manutenção e mão-de-obra;
- os tanques utilizados num motor a ar comprimido são descartáveis, reutilizáveis, menos contaminantes e mais douradouros que as baterias.

Bastantes vantagens, não é? Conseguir ter um veículo em tudo semelhante ao nosso actual, mas mais económico e menos poluente? Dá imensa vontade de adquirir um, depois de conhecer tantas e tão boas vantagens.

Os avanços tecnológicos prosseguem, cada vez mais céleres e sempre mais económicos e ecológicos. Só temos de estar atentos e mentalizados que o futuro está próximo e rapidamente será presente!



Cláudia Bandeira

Título: O carro que vive do ar

Autor: Cláudia Bandeira (todos os textos)

Visitas: 2

639 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    17-06-2014 às 06:06:33

    Genial! O carro que vive no ar...bárbaro!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - O carro que vive do ar

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O que é uma Open House?

Ler próximo texto...

Tema: Imóveis Venda
O que é uma Open House?\"Rua
Este é um tema que vem pôr muito a lindo o trabalho de alguns mediadores imobiliários e do seu trabalho.

Quando temos um imóvel para vender, muitos são os métodos a utilizar e os meios que nos levam até eles para termos o nosso objetivo cumprido – A venda da Casa.
Quando entregamos o nosso imóvel para que uma mediadora o comercialize, alguns aspetos têm de ser tidos em conta, como a legalidade da empresa e quem será a pessoa responsável pela divulgação da sua casa, mas a ansia de vermos o negócio concretizado é tanta, que muitas vezes nos escapa a forma como fazem a referida divulgação e publicidade do imóvel.

Entre anúncios na internet e as conhecidas folhas nas montras dos estabelecimentos autorizados, muitas mediadoras optam por fazer uma ação que está agora muito em voga que é uma Open House. Mas afinal, o que é isto de nome estrangeiro que tanto se vê pelas ruas e em folhetos de anúncio?

Ora bem, a designação em Português é muito simples – Casa Aberta. E na realidade, uma Open House é isso mesmo. Abrir uma Casa para que todos a possam ver. NO entanto, requerem-se alguns aspetos que as mediadoras normalmente preveem, mas que é fundamental que o proprietário do imóvel também tenha consciência e conhecimento.

Por norma as imobiliárias só fazem este tipo de intervenção e ação em imóveis que têm como exclusivo, isto é, quando é uma só determinada mediadora, a autorizada a poder comercializar o imóvel.

Em segundo lugar, este tipo de ação de destaque requer à mediadora custos com tempo, recursos humanos e financeiros.
A mediadora começa por marcar um dia próprio que por norma é datado para um feriado ou fim de semana. Faz então publicidade local através de folhetos e flyres anunciando a Open House, o dia e a hora, tal como o local. Muito provavelmente serão tiradas fotografias ao seu imóvel.

Através de redes sociais também poderão ser divulgadas as ações.
No dia da Open House, o local será indicado com publicidade da sua casa e da imobiliária e começarão a aparecer visitas ao imóvel.

Sugiro que não tenha mobiliário e muito menos valores em casa. O ideal será o imóvel estar desocupado de todos e quaisquer bens, por uma questão de segurança, mas também porque as áreas parecerão maiores e isso com toda a certeza ajuda à venda.

A imobiliária será responsável pela limpeza e trato do imóvel, pelo que se ocorrerem danos, serão eles os responsáveis.
Neste tipo de ações, é normal que a concorrência das imobiliárias apareça e faça parcerias que para si só trará vantagens.

Uma Open House pode não ser uma ação de destaque em Portugal, mas por exemplo nos Estados Unidos, é o normal e mais agradável. Os clientes não se sentem pressionados como numa visita normal e os negócios concretizam-se com muito mais rapidez e naturalidade.

Pesquisar mais textos:

Carla Horta

Título:O que é uma Open House?

Autor:Carla Horta(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios