Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Automóveis > Um pesadelo de condutor

Um pesadelo de condutor

Categoria: Automóveis
Comentários: 1
Um pesadelo de condutor

Há quem diga que na Idade Média os tractores eram puxados por bois, porque não havia gasolina. Hoje em dia, e apesar das flutuações do preço do “ouro líquido”, o que mais se vê são “tractores”, geralmente com a capacidade de lotação bastante subaproveitada, a transportar uma única alma, ou no máximo duas, para o emprego ou outro sítio qualquer, em regime diário. Queima-se combustível e dinheiro desnecessariamente. Muitos condutores são mais burros do que bois, já que entre familiares, colegas e vizinhos, certamente alguém trilhará o mesmo trajecto, ou parte dele, e, para além da companhia, conseguia-se redução nos gastos para todos e dava-se uma “prenda” ao Ambiente. Também se pouparia imenso tempo, pois as filas de trânsito estariam circunscritas ao absolutamente indispensável. Mas pronto, cada tempo com os seus animais de eleição…

Por falar deles, há uma espécie obrigatória em todas as viaturas automóveis: o macaco. Claro que, nalguns casos, este transforma-se em gorila, mas isso são situações pontuais de relevância discutível…

O que também parece contestável é o uso do pisca-pisca. Já se ouvem, inclusive, uns zum-zuns de que vão retirar esses acessórios, perfeitamente fúteis no entender de inúmeras pessoas, que só os utilizam, quando o fazem, para dizer que já viraram! Provavelmente, comungam da opinião do aprendiz de mecânico que, animado a verificar se os piscas que o patrão acabara de arranjar estavam ou não a funcionar, declarou: «Estão… Não estão… Estão… Não estão…» Esta coisa da mecânica é mesmo complicada!

O que não aparenta manifestar qualquer intermitência é a velocidade praticada por muitos ao volante. Poderá prender-se com o facto de se possuir uma super “pata”, isto é, um pé com invulgar robustez, que aplica no acelerador uma força suigéneres e, obviamente, inadvertida. Porém, há que ter atenção pois as advertências são mais que muitas e não consta que haja descontos para os “clientes” habituais das multas…!
Paralelamente, um grande número de acidentes dá-se por excesso de pressa, e a prevenção é sempre o melhor remédio. A mecha a que alguns cedem pode ainda levar à prisão. Conduzir a uma velocidade “incombatível” (como aparece escrito em relatórios policiais de ocorrências na estrada) com determinados locais e regras, é crime punível com pena de reclusão. Estes exageros são mesmo passíveis de desencadear vicissitudes que conduzem à morte. Neste caso, os profissionais mais iluminados relatariam que «quando a polícia chegou ao local, o cadáver encontrava-se rigorosamente imóvel». Ufa, ainda bem! Era o que mais faltava, um defunto aos pulos na berma a reclamar um caixão com urgência! Não se trata de nenhuma profecia da desgraça, mas a verdade é que ninguém gostava de protagonizar a sério esse cadáver…

Maria Bijóias

Título: Um pesadelo de condutor

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

602 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    17-06-2014 às 06:08:07

    Os condutores de veículos, em vez de prestarem mais atenção no trânsito, permitem que vidas sejam atingidas de maneira infeliz. Realmente, existem uma parcela de gente que são um verdadeiro pesadelo nas avenidas e ruas da cidade.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Um pesadelo de condutor

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como fazer disfarces de Carnaval

Ler próximo texto...

Tema: Vestuário
Como fazer disfarces de Carnaval\"Rua
O ano começa e depressa chega uma data muito ansiada principalmente pelos mais jovens: o desejado Carnaval!

Esta é uma data que os pequenos adoram e deliram com as fantasias. O problema maior é a despesa que os disfarces representam e no ano seguinte já não usarão o mesmo disfarce ou, no caso dos mais pequenos, já não lhes serve.
O melhor nesta data é mesmo reciclar e aprender a fazer disfarces caseiros utilizando truques mais económicos e materiais reciclados para preparar as fantasias dos pequenitos!

Uma sugestão para os meninos é o traje de pirata que pode facilmente ser criado a partir de peças que tenha em casa. Procure uma camisa de tamanho grande e, de preferência, de cor branca com folhos. Se não tiver uma camisa com estas características facilmente encontrará um modelo destes no guarda-vestidos de alguma familiar, talvez da avó.

Precisará de um colete preto. Na falta do colete pode utilizar um casaco preto que esteja curto, rasgue as mangas pelas costuras dos ombros. As calças devem ser velhas e pretas para poderem ser cortadas na zona das pernas para envelhecer a peça. Coloque um lenço preto ou vermelho na cabeça do menino e, de seguida, com um elástico preto e um pouco de velcro tape um dos olhos.

Para as meninas não faltam ideias originais para fazer disfarces bonitos e especiais para este dia. Uma ideia original é a fantasia de Flinstone. É muito fácil e prática de fazer e fica um disfarce muito bonito. Comece por arranjar um pedaço de tecido branco. Coloque o tecido em volta do corpo como uma toalha de banho e depois amarre num dos braços fazendo uma alça. Depois corte as pontas em ziguezague mantendo um lado mais comprido que o outro. Amarre o cabelo da menina todo no cimo da cabeça, como se estivesse a fazer um rabo-de-cavalo mas alteie-o mais. Com o auxílio de um pente frise o cabelo, pegando nas pontas e passando o pente em sentido contrário até que fique todo despenteado. Numa loja de disfarces compre um osso de plástico e prenda na fita da criança.

Pegue nos materiais, puxe pela imaginação e ponha mãos ao trabalho!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Como fazer disfarces de Carnaval

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    09-06-2014 às 04:01:21

    Não em carnaval, mas em bailes de fantasia, sempre usei o TNT. Eles são ótimos para trabalhar o corte, para costurar e deixa bem bonito!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios