Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > O que leva um adolescente a ser criminoso

O que leva um adolescente a ser criminoso

Categoria: Outros
Visitas: 48
Comentários: 9
O que leva um adolescente a ser criminoso

A psicologia sabe-se bem qual é o mecanismo psicológico que leva os adolescentes a integrar-se em um tipo de grupo. Os membros de uma gangue juvenil costumam ter uma personalidade imatura, especialmente quanto ao aspecto emocionais. Quando em uma situação da "infância afetiva", se manifesta com autênticas regressões das idades anteriores, como por exemplo, o egocêntrico e o capricho. Essa imaturidade emocional favorece na falta de estabilidade e de confiança em si mesmos e é também a causa dos impulsos agressivos e destrutivos. E esses adolescentes são seres que está sempre insatisfeito. Estão tão descontentes consigo mesmos como com tudo o que os rodeia.

A insegurança de que sofrem leva-os a reagir negativamente perante o mundo dos adultos, e com uma rebeldia elementar e primária, e é sempre carente de reflexão e de verdadeiro sentido crítico. Este tipo de turma juvenil proporciona-lhes sempre o que estão buscando. E oferece-lhes segurança física e moral. Em uma gangue, existe uma organização que os defende de todos os perigos. Muitos se sentem pela primeira vez aceita pelos outros e aprendem a confiar em si mesmos, embora por ocasião de atividades responsáveis. Esta turma vem ser assim para diversas saída e frustrações pessoais, identificando com o grupo e os seus ideais, os membros, que se encontram inferiorizados e inseguros, podem ter a impressão de ser alguém e de pertencer a algo. Essas gangues satisfazem também a necessidade que esses adolescentes têm de opor-se por princípio ao modo de vida dos mais velhos.

Nestas Ganges, cultiva-se a desconfiança para com os adultos e surgem muitas oportunidades para se rebelarem de forma concreta contra as normas e valores que aqueles estabeleceram. E essa rebeldia acaba por tornar-se agressiva. Outra função da gangue juvenil é a de canalizar e justificar as suas agressividades que cada um dos seus membros experimenta. "Uma pessoa só se acostuma a reprimir a sua agressividade por covardia, por indecisão, ou por medo à sociedade ou por "preconceitos" e morais. Já o bando tem a capacidade de eliminar todos estes inconvenientes, com as ações agressivas é determinada pelo grupo (que possui a sua moral particular) e deixa de ser má; cada membro vê-se obrigado a atuar por fidelidade ao grupo e não tem nada a que temer, já que este lhe apóia e o acoberta; os sentimentos pessoais de culpa ficam dissolvidos nos ideais do grupo que são substituídos por estes.

Muitos destes jovens não cometem sozinhos os crimes que se atrevem a praticar com o grupo. Pois este é o "código moral" que o grupo sempre proporciona para uma justificativa moral, e para a sua conduta brutal e incorreta. Esse código, porém, não é está composto somente por valores deformados ou adaptados à sua conveniência, mais sim a do grupo; eles também costumam conter valores morais e autênticos, e ainda se acha semelhantes aos dos grupos normais de crianças e adolescentes, como por exemplo, a lealdade e solidariedade para com os companheiros.

Por que, então, esses valores autênticos não servem para neutralizar a conduta agressiva e criminosa do grupo? Porque não ultrapassam o círculo estreito do grupo; fora deste, já não têm vigência. E, na medida em que se estreitam os laços no interior do grupo é que reforçam a sua unidade, ou seja, contribui ainda mais, para isolá-lo do mundo que o rodeia, o qual eles perdem a clareza, tal é como se esfumam na noite, então o acesso é sempre a um local violentamente iluminado pelos seus amigos. Não se deve ignorar, no entanto, que o "código de honra" da gangue juvenil é muitas vezes o primeiro a ter o ideal e a moral de que muitos adolescentes encontram, e que isso os move a superar-se a si mesmo em algum aspecto e a valorizar-se positivamente como pessoas.

Se a gangue juvenil satisfaz tantas as necessidades pessoais, não nos deve estranhar que exerça um autêntico fascínio sobre os seus membros. A gangue os seduz porque lhes dá uma oportunidade de se sentirem importantes. O simples fato de fazerem parte dela é o sentimento de "pertencer", é muito gratificante para os jovens que emocionalmente ainda são crianças, mas desejam aparecer diante dos outros como homens. Essa força embriagante do grupo é o que converte as suas atividades em algo tão perigoso. E tão preocupante, ou mais que a agressividade e a violência destas gangues é a substituição que nelas ocorre dos "bons amigos" pelos "maus amigos". É muito grave aceitar uma "amizade" que não se baseia no desejo mútuo do bem, mais na melhora pessoal do amigo, e, além disso, e não ter que sequer, a plena consciência dessa realidade. E é também muito grave substituir a moral e o objetivo por uma moral subjetiva elaborada pelo próprio grupo, sobretudo se esta em seguida de forma completamente cega.



Waldiney Melo

Título: O que leva um adolescente a ser criminoso

Autor: Waldiney (todos os textos)

Visitas: 48

795 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 9 )    recentes

  • SophiaSophia

    26-05-2014 às 03:39:36

    O adolescente vive uma fase de grande turbulência emocional. Os cientistas já descobriram que até os 25 anos, os jovens utilizam uma parte do cérebro que está relacionado em viver de emoções fortes. O que tem que ocorrer é o controle por parte dos pais e tirar algumas coisas deles, pois poderão influenciar para o crime. Isso não quer dizer sobre em ser rico ou pobre, todos estão suscetíveis ao crime.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • jose lopes de sousa

    03-02-2013 às 19:51:41

    As leis já temos basta se botar em pratica e fiscalizar as ações publica como as praticas educativas que muitas das vezes não funcionam.

    ¬ Responder
  • Carla HortaCarla Horta

    16-09-2012 às 18:49:35

    Em muitos casos a própria sociedade é culpada. Quantas vezes acontece catalogarmos um jovem só por saber que ele habita em determinado bairro ou por sabermos de quem é filho ou irmão? Isto acontece inconscientemente, sem muitas vezes darmos por isso. A sociedade deve educar pois também é a sua função. Para além disto existem milhares de respostas que podem ser dadas, pois existem tantos, tantos outros motivos que é impossível numerar...

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDaniela Vicente

    10-09-2012 às 21:57:58

    porque que os adolescentes têm uma tendência tão forte para fazer coisas erradas? sim, eu sei a resposta, tem tudo a ver com a parte frontal do cérebro que é a última a desenvolver-se e não permite medir as consequências. contudo, porquê alguns são violentos e outros passam pela adolescência como grande normalidade (só com uma borbulha ou outra). Acho que o apoio dos pais deve fundamental para passarem esta fase com sucesso.

    ¬ Responder
  • orlando

    23-05-2012 às 15:13:31

    oi tudo bem a que orlando estudante do 4 ano da falculdade de direito em mocambique

    ¬ Responder
  • guilherme brabosaguilherme brabosa

    14-12-2010 às 16:27:18

    falta o estado da mais condição de vida para estes adolecntes, propor trabalho, mais escola e moradia, um trabalho social mais dinamico com determinado grupo de pessoas.... nos tmbem cotribuimos com isto pois a educação vem de casa e deichamos nossos filhos muito avontade quando eles sai nao sabemos o que estao fazendo, procura imteragir mais com os jovem e com a sociedade em se...

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoVlademir

    12-03-2010 às 17:06:02

    @GERINALDO MONTEIRO
    Não podemos esquecer que muitas destas crianças que cometem crimes e se tornam adultos perigosos nem tem uma base de apoio, muitas delas são crianças de rua, sem pais.
    O governo é que tem de arranjar soluções para ajudar estas crianças que muitas das vezes tem de roubar para comer.

    ¬ Responder
  • GERINALDO MONTEIROGERINALDO MONTEIRO

    12-03-2010 às 16:08:51

    ENQUANTO O ADOLESCENTE COMETER CRIMES E FICAR IMPUNE,O BRASIL
    FICARA SENDO O Nº1 EM IMPUNIDADES NO CRIME !

    ¬ Responder
  • MARIA LUCIA DA ROSA PAGANUCCIMARIA LUCIA DA ROSA PAGANUCCI

    15-02-2010 às 23:46:22

    GOSTARIA QUE OS PAIS SE PREOCUPEM MAIS COM SEUS FILHOS DANDO-LHES SEGURANÇA E ATENÇÃO.

    ¬ Responder

Comentários - O que leva um adolescente a ser criminoso

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

A história da fotografia

Ler próximo texto...

Tema: Fotografia
A história da fotografia\"Rua
A história e princípios básicos da fotografia e da câmara fotográfica remontam à Grécia Antiga, quando Aristóteles verificou que os raios de luz solar e com o uso de substâncias químicas, ao atravessarem um pequeno orifício, projetavam na parede de um quarto escuro a imagem do exterior. Este método recebeu o nome de câmara escura.

A primeira fotografia reconhecida foi uma imagem produzida em 1826 por Niepce. Esta fotografia foi feita com uma câmara e assente numa placa de estanho coberta com um derivado de petróleo, tendo estado exposta à luz solar por oito horas, esta encontra-se ainda hoje preservada.

Niepce e Louis –Jacques Mandé Daguerre inciaram em 1829 as suas pesquisas, sendo que dez anos depois foi oficializado o processo fotográfico o nome de daguerreótipo. Este processo consistia na utilização de duas placas, uma dourada e outra prateada, que uma vez expostas a vapores de iodo, formando uma pelicula de iodeto de prata sobre a mesma, ai era a luz que entrava na camara escura e o calor gerado pela luz que gravava a imagem/fotografia na placa, sendo usado vapor de mercúrio para fazer a revelação da imagem. Foi graças á investigação realizada por Friedrich Voigtlander e John F. Goddard em 1840, que os tempos de exposição e revelação foram encurtados.




Podemos dizer que o grande passo (não descurando muitas outras mentes brilhantes) foi dado por Richard Leach Maddox, que em 1871 fabricou as primeiras placas secas com gelatina, substituindo o colódio. Três anos depois, as emulsões começaram a ser lavadas com água corrente para eliminar resíduos.

A fotografia digital


Com o boom das novas tecnologias e com a capacidade de converter quase tudo que era analógico em digital, sendo a fotografia uma dessas mesmas áreas, podemos ver no início dos anos 90, um rápido crescimento de um novo mercado, a fotografia digital. Esta é o ideal para as mais diversas áreas do nosso dia a dia, seja a nível profissional ou pessoal.

As máquinas tornaram-se mais pequenas, mais leves e mais práticas, ideais para quem não teve formação na área e que não tem tempo para realizar a revelação de um rolo fotográfico, sem necessidade de impressão. Os melhores momentos da nossa vida podem agora ser partilhados rapidamente com os nossos amigos e familiares rapidamente usando a internet e sites sociais como o Facebook e o Twitter .

A primeira câmara digital começou a ser comercializada em 1990, pela Kodak. Num instante dominou o mercado e hoje tornou-se produto de consumo, substituindo quase por completo as tradicionais máquinas fotográficas.

Sendo que presentemente com o aparecimento do FullHD, já consegue comprar uma máquina com sensores digitais que lhe permitem, além de fazer fotografia, fazer vídeo em Alta-Definição, criando assim não só fotografias quase que perfeitas em quase todas as condições de luz bem como vídeo com uma qualidade até agora impossível no mercado do vídeo amador.

Tirar fotografias já é acessível a todos e como já não existe o limite que era imposto pelos rolos, “dispara-se” por tudo e por nada. Ter uma máquina fotográfica não é mais um luxo, até já existem máquinas disponíveis para as crianças. Muitas vezes uma fotografia vale mais que mil palavras e afinal marca um momento para mais tarde recordar.

Pesquisar mais textos:

Bruno Jorge

Título:A história da fotografia

Autor:Bruno Jorge(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    05-05-2014 às 03:48:18

    Como é bom viver o hoje e saber da história da fotografia. Isso nos dá a ideia de como tudo evoluiu e como o mundo está melhor a cada dia produzindo fotos mais bonitas e com qualidade!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios