Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > O fantasma da rede

O fantasma da rede

Categoria: Outros
Comentários: 7
O fantasma da rede

Tudo começou quando um homem cujo nome era Santiago que morava no interior do Maranhão chamado de Pontal foi passar o dia na casa de um amigo, os dois passaram o dia trabalhando, à noite como não tinha cama sobrando Santiago deitou-se em uma rede que ficava bem perto do lugar onde todos passavam, muitos diziam ouvir coisas estranhas à noite perto daquele lugar onde Santiago iria passar a noite, uma velha senhora que morava na casa alertou a Santiago dizendo para ele não dormir com sua rede armada naquele lugar, pois muitas coisas sobrenaturais que ali aconteceram intrigaram a todos da casa, a história de que alguém ou alguma coisa sabe lá como diziam um espírito que assombrava quem dormia naquele lugar.

A velha senhora disse a Santiago:
_ Se eu fosse você não dormiria aí, pois é passagem de muitas coisas assustadoras.
Santiago sem temer nada, muito corajoso que era, disse á velha senhora:
_Ora senhora, já passei por muitos lugares mais assustadores que esse e não tive medo.
E com um tom irônico disse novamente:
_ Além disso, tenho vontade de me encontrar com um fantasma, pois dizem que essas pessoas que morrem quando voltam é porque em vida deixaram alguma riqueza e querem entregá-la para alguém, estou querendo mesmo é ficar rico.

Desobedecendo ao aviso Santiago resolveu passar á noite nesse mesmo lugar.

A noite estava calma, o relógio já marcava 11:00 hs, Santiago então enrolou-se em seu lençol e resolveu dormir, tudo estava escuro nenhuma lâmpada havia sido deixada ligada, foi quando ele deitado na rede ouviu chegar alguém que chamava a atenção pelo barulho das botas ao bater no chão, logo pensou que seria o irmão de seu amigo chamado de Pedro, que chegara mais tarde pois o mesmo tinha mania de usar um par de botas bem barulhentas, tudo estava escuro e os passos foram se aproximando cada vez mais.

Foi quando Santiago sentiu algo ou alguém encostar a barriga na sua rede, ele então ficou bem quietinho aguardando a pessoa falar, mas ninguém falou nada, pelo contrário, um silêncio amedrontador tomara conta da cena. Quem estava empurrando a rede de Santiago com a barriga de repente começou a empurrar cada vez mais, querendo levá-lo na frente.

A rede de Santiago já estava na altura dos ombros daquele que o empurrava, foi então que ele falou:
_ Você está ficando louco? Não vê que desse jeito você nunca vai passar por aqui?
Santiago ao falar essas palavras cessou o empurrar da rede, voltando ao normal, e ele pensou:
_ Será que os fantasmas que assombram este lugar queriam pregar-me alguma peça?
A velha senhora ouvindo todo o barulho falou lá de dentro:
_ Eu não te avisei que aí era passagem? Pois eu estava escutando tudo e Pedro já está dormindo desde cedo com seu par de botas embaixo de sua cama, e acho que o fantasma te achou covarde demais para te presentear com um pote de ouro.


Wanderson Tiago

Título: O fantasma da rede

Autor: Wanderson Tiago (todos os textos)

Visitas: 0

603 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 7 )    recentes

  • SophiaSophia

    30-04-2014 às 20:10:58

    Que história interessante, Wanderson. Adorei e me contive para não ir logo para o fim, bem engraçada e adoro histórias desse tipo. A Rua Direita espera mais histórias como essa e outras até melhores. A gente acaba aprendendo, né???hehhe

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoSaul

    26-04-2014 às 12:16:43

    Muito legal, mas podia escrever mais histórias?

    ¬ Responder
  • Wanderson Tiagowanderson

    26-04-2014 às 17:53:37

    Sim, mais histórias estarão prontas em breve, abraço!!!

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãotelma

    21-04-2014 às 23:01:23

    esta historia foi verdade?

    ¬ Responder
  • Wanderson Tiagowanderson

    22-04-2014 às 00:55:41

    Sim, meu avô garante que é verdade, escrevo a maioria das histórias contadas por ele...Obrigado por ler meu texto. Aguarde que mais histórias vem por aí. ;)

    ¬ Responder
  • tiago

    21-04-2014 às 22:28:31

    muito legal essa história!!

    ¬ Responder
  • Wanderson TiagoWanderson Tiago

    21-04-2014 às 21:59:57

    legal!!!

    ¬ Responder

Comentários - O fantasma da rede

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Fine and Mellow

Ler próximo texto...

Tema: Música
Fine and Mellow\"Rua
"O amor é como uma torneira
Que você abre e fecha
Às vezes quando você pensa que ela está aberta, querido
Ela se fechou e se foi"
(Fine and Melow by Billie Holiday)

Ao assistir a Bio de Billie Holiday, ocorreu-me a questão Bluesingers x feminismo, pois quem ouve Blues, especialmente as mais antigas, as damas dos anos 10, 20, 30, 40, 50, há de pensar que eram mulheres submissas ao machismo e maldade de seus homens. Mas, as cantoras de Blues, eram mulheres extremamente independentes; embora cantassem seus problemas, elas não eram submissas a ponto de serem ultrajadas, espancadas... Eram submissas, sim, ao amor, ao bom trato... Essas mulheres, durante muito tempo, tiveram de se virar sozinhas e sempre que era necessário, ficavam sós ou mudavam de parceiros ou assumiam sua bissexualidade ou homossexualidade efetiva. Estas senhoras, muitas trabalharam como prostitutas, eram viciadas em drogas ou viviam boa parte entregues ao álcool, merecem todo nosso respeito. Além de serem precursoras do feminismo, pois romperam barreiras em tempos bem difíceis, amargavam sua solidão motivadas pelo preconceito em relação a cor de sua pele, como aconteceu a Lady Day quê, quando tocava com Artie Shaw, teve que esperar muitas vezes dentro do ônibus, enquanto uma cantora branca cantava os arranjos que haviam sido feitos especialmente para ela, Bilie Holiday. Foram humilhadas, mas, nunca servis; lutaram com garra e competência, eram mulheres de fibra e cheias de muito amor. Ouvir Billie cantar Strange Fruit, uma das primeiras canções de protestos, sem medo, apenas com dor na alma, é demais para quem tem sentimentos. O brilho nos olhos de Billie, fosse quando cantava sobre dor de amor ou sobre dor da dor, é insubstituível. Viva elas, nossas Divas do Blues, viva Billie Holiday, aquela que quando canta parte o coração da gente; linda, magnifica, incomparável, Lady Day.

O amor vai fazer você beber e cair
Vai fazer você ficar a noite toda se repetindo

O amor vai fazer você fazer coisas
Que você sabe que são erradas

Mas, se você me tratar bem, querido
Eu estarei em casa todos os dias

Mas, se você continuar a ser tão mau pra mim, querido
Eu sei que você vai acabar comigo

Pesquisar mais textos:

Sayonara Melo

Título:Fine and Mellow

Autor:Sayonara Melo(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios