Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Materiais Construção > Tipos de vidro

Tipos de vidro

Visitas: 12
Comentários: 1
Tipos de vidro

Recurso milenar, o vidro continua presente em nossos dias, com sua versatilidade de cores, formas e aplicabilidades.

Encontrado abundantemente na natureza, reúne uma série de atributos que o fazem inigualável: é transparente, isolante dielétrico, baixo condutor térmico, 100% reciclável, duro, durável, e não-absorvente.

Num vasto campo de empregabilidade é possível reconhecê-lo em recipientes maciços ou ocos. Em quadros, portas e janelas, em sua forma plana, ou na construção civil e na indústria automobilística, quando curvo. Ainda é usado em lâmpadas, materiais de laboratório e eletroeletrônicos.

O curioso processo de fabricação é ancestral. Como substância inorgânica é aquecida até 800 graus Celsius, quando vira pasta e pode ser manipulada e formatada. No ponto de fusão a 1.000 graus Celsius, assume sua forma final, num súbito resfriamento.

Owens, Pittsburg, Libbey e Fourcoult são processos tradicionais de produção. Atualmente, o Floot Gass tem sido preferencial, pois obtém um resultado sem deformações.

Variando nas cores verde, bronze, fumê, incolor e cristal, também conta diversos tipos, com aplicações específicas.

O vidro comum é facilmente cortado, quebra sem qualquer resistência e gera estilhaços cortantes. É o de custo mais baixo.

O plano é utilizado em estado puro para fabricação de móveis e em edificações. O reflexivo é metalizado quimicamente, e capaz de refletir a luz do sol, barrando a passagem do calor para garantir maior conforto ao ambiente e reduzir o consumo de arcondicionados. O espelhado recebe tratamento na superfície para reflexão de imagens sendo, invariavelmente, emoldurado.

Utilizado para manter o ambiente aquecido, o vidro Low-E rebate o calor para a fonte geradora e, embora permita a passagem da luz solar, impede a entrada das radiações.

O vidro composto em camada dupla serve para isolar o ambiente, térmica e acusticamente, e é conhecido como insulado. Também chamado de impresso, por receber desenhos padrões ou ornamentais em uma das faces, o vidro fantasia é bastante versátil, e pode ser encontrado temperado, laminado, espelhado, curvado ou monolítico.

Para envidraçamento de vãos extensos, indica-se o U-glass ou estrutural, por ser rígido e permitir seu assentamento em ambientes externos ou internos.

Cinco vezes mais resistente que o comum, o vidro temperado suporta pesos e pancadas. O laminado, ainda mais forte, resiste a grandes impactos, como ataques de vândalos, choque de objetos ou de pessoas, servindo à blindagem de automóveis e entradas de ambientes.

O vidro insinua-se em cada recanto, ora pondo beleza e sofisticação, ora oferecendo conforto e segurança.


Hediene

Título: Tipos de vidro

Autor: Hediene Hediene (todos os textos)

Visitas: 12

772 

Imagem por: pareeerica

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    12-05-2014 às 14:41:17

    O melhor que o vidro pode ser usado em diversos objetivos a fim de ter o maior proveito seja em casa ou escritório. É preciso mesmo conhecer seus tipos para poder tomar uma decisão mais concisa!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Tipos de vidro

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: pareeerica

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios