Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Segurança > Uma gravidez com segurança

Uma gravidez com segurança

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Segurança
Comentários: 1
Uma gravidez com segurança

A segurança é um tema que interessa a todos e em todos os níveis. A segurança no trabalho quer se trabalhe à secretária de um escritório ou no topo de um andaime, a segurança em casa quer se more nas alturas ou no rés do chão. A segurança acima de tudo. Um acidente pode causar-nos danos físicos e psicológicos, e muitas vezes passamos por perigos que nem damos por eles. Mas não é só desta segurança que devemos falar. Podemos falar na segurança pela nossa saúde, por exemplo. O que bebemos, as horas de sono, o stress e a alimentação cada vez mais absurda que fazemos. Em suma, os cuidados de cada um de nós devem ser cada vez maiores. No entanto, existem camadas que devem ser mais vigiados. Velhotes, crianças e grávidas.

As grávidas são mulheres mais especiais do que qualquer outra mulher. Uma grávida é sempre bonita, doce, ternurenta e erradia uma felicidade extra. Brilha! Mas, para se ser uma grávida brilhante, são necessárias medidas importantes para que a felicidade se prolongue até ao fim da gravidez e quando o bebé nascer.

Que o tabaco é prejudicial à saúde de qualquer um, numa mulher grávida, apresenta problemas acrescidos. O tabaco aumenta os riscos de aborto ou parto prematuro. Também pode fazer com que o bebé nasça com lábio luperíno. Segure-se sem fumar nenhum cigarro. Pode ser difícil, mas compensa.

Também o consumo de bebidas alcoólicas é prejudicial para o bebé. Sabia que dois copos de bebidas alcoólicas por dia farão com que o bebé nasça com total dependência do álcool? Claro que molhar os lábios num cálice de vinho do porto numa noite de festa não lhe farão mal nenhum.

Auto-medicação e falta de acompanhamento médico deveriam constituir crime nos dias que correm. Nenhuma grávida pode deixar de ser aconselhada por um médico durante todo o seu período de gestação. Qualquer mulher em Portugal tem esse direito. O estado oferece-lhe um Serviço Nacional de Saúde, que embora apresente falhas (como será normal em grandes instituições), protege as suas grávidas.

Segurança no carro! Se está grávida e conduz, saiba que só o vai poder fazer até certo ponto. Claro que ninguém duvida que o espaço que a barriga vai ocupar no final do tempo, lhe vai retirar capacidades, mas por uma questão de segurança não o faça. Um pequeno embate ou travagem pode provocar uma batidela na sua barriguinha.

Se trabalha e a sua decisão é fazê-lo até ir a corre para a maternidade, está no seu direito. A escolha é sempre sua! No entanto, terá de verificar a forma como o faz e onde o faz. Se o seu trabalho a obriga a ficar longos períodos de tempo, fale com o seu patrão para mudar provisoriamente de posto.

Nunca se esqueça que tem direitos enquanto grávida. Mantenha-se feliz e em segurança, afinal, a sua hora está a chegar.


Carla Horta

Título: Uma gravidez com segurança

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 0

615 

Imagem por: Ed Yourdon

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    29-05-2014 às 06:01:14

    Uma vez grávida, a mãe precisa não mais pensar em si mesma, mas num ser que está dentro dela. Para isso, precisa cuidar da alimentação, das suas emoções, do que se faz, enfim, tudo será refletido no bebê.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Uma gravidez com segurança

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Imagem por: Ed Yourdon

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios