Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Segurança > Pânico cabeludo: saiba o que é!

Pânico cabeludo: saiba o que é!

Categoria: Segurança
Visitas: 3
Pânico cabeludo: saiba o que é!

Quem não se lembra de ver filmes western antigos? A primeira imagem que vem à memória talvez seja a do típico cowboy, de ar austero e calejado pela vida dura, normalmente a segurar uma arma ou envolvido em alguma espécie de conflito com outros cowboys.

A paisagem circundante também não variava muito: uma cidade desolada, com casas de madeira, muita poeira a voar e, por vezes, bolas de mato seco a rolar, empurradas pelo vento da estepe árida e seca.

Ora, pois são estas mesmas bolas de mato seco (chamadas de «tumbleweeds», em inglês) que costumam assolar regiões áridas da América do Norte e Austrália. O leitor pode estranhar o facto de um arbusto seco poder causar algum tipo de problema, mas se imaginar centenas de «tumbleweeds» a rolarem na direção de casas, estradas e carros, então, já poderá compreender melhor a questão. A expressão «pânico cabeludo» deriva diretamente do inglês «hairy panic» e serve para caraterizar situações em que, por exemplo, casas e carros são literalmente engolidos por estes arbustos.

A solução, nestes casos, passa por limpar as áreas circundantes da habitação com moto-serras ou, em casos declarados de emergência, chamar as autoridades competentes, que terão de intervir com maquinaria pesada. Um dos maiores riscos associados a estes arbustos é que são altamente inflamáveis, uma vez que estão secos e o ambiente em redor é quente, seco e ventoso. Uma casa ou um carro poderiam desaparecer em pouco tempo se um incêndio ocorresse.
As origens deste arbusto não estão, como se poderia pensar, na América do Norte, mas sim na Ucrânia, quando agricultores imigrantes os trouxeram e plantaram (com objetivos agrícolas) em solo norte-americano.


A planta, por si só, não possui nenhum valor especial; contudo há pessoas que gostam de a ver rebolar pelos campos áridos. Em cidades do Arizona, Estados Unidos, há habitantes que constroem árvores de Natal a partir dos famosos «tumbleweeds». Ou seja, o seu valor parece ser unicamente decorativo.
E por que motivo a planta corre, levada pelo vento? Sendo um arbusto, quando seca, a raiz da planta desprende-se do solo e, auxiliada pelo vento, percorre longas distâncias pelo terreno seco até se depositar definitivamente em áreas húmidas, onde fica presa e, eventualmente, se desfaz.

Este processo é muito importante para a reprodução da planta, uma vez que as suas sementes vão caindo ao longo da trajetória e dando origem a novos arbustos.
Se ficou com saudades de ver um bom filme western, então preste atenção a estes arbustos cabeludos: é caso para dizer, já fazem parte da paisagem!


Isabel Rodrigues

Título: Pânico cabeludo: saiba o que é!

Autor: Isabel Rodrigues (todos os textos)

Visitas: 3

0 

Comentários - Pânico cabeludo: saiba o que é!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Pulp Fiction: 20 anos depois

Ler próximo texto...

Tema: Arte
Pulp Fiction: 20 anos depois\"Rua
Faz hoje 20 anos que estreou um dos mais importantes ícones cinematográficos americanos.

Pulp Fiction é um marco do cinema, que atirou para a ribalta Quentin Tarantino e as suas ideias controversas (ainda poucos tinham visto o brilhante “Cães Danados”).

Repleto de referências ao cinema dos anos 70 e com uma escolha de casting excepcional, Pulp Fiction conquistou o público com um discurso incisivo (os monólogos bíblicos de Samuel L. Jackson são um exemplo disso), uma violência propositadamente mordaz e uma não linearidade na sucessão dos acontecimentos, tudo isto, associado a um ritmo alucinante.

As três narrativas principais entrelaçadas de dois assassinos, um pugilista e um casal, valeram-lhe a nomeação para sete Óscares da Academia, acabando por vencer na categoria de Melhor Argumento Original, ganhando também o Globo de Ouro para Melhor Argumento e a Palma D'Ouro do Festival de Cannes para Melhor Filme.

O elenco era composto por nomes como John Travolta, Samuel L. Jackson, Bruce Willis, Uma Thurman e (porque há um português em cada canto do mundo) Maria de Medeiros.

Para muitos a sua banda sonora continua a constar na lista das melhores de sempre, e na memória cinéfila, ficam eternamente, os passos de dança de Uma Thurman e Travolta.

As personagens pareciam ser feitas à medida de cada actor.
Para John Travolta, até então conhecido pelos musicais “Grease” e “Febre de Sábado à Noite”, dar vida a Vincent Vega foi como um renascer na sua carreira.

Uma Thurman começou por recusar o papel de Mia Wallace, mas Tarantino soube ser persuasivo e leu-lhe o guião ao telefone até ela o aceitar.

Começava ali uma parceria profissional (como é habitual de Tarantino) que voltaria ao topo do sucesso com “Kill Bill”, quase 10 anos depois.

Com um humor negro afiadíssimo, Tarantino provou em 1994 que veio para revolucionar o cinema independente americano e nasceu aí uma inspirada carreira de sucesso, que ainda hoje é politicamente incorrecta, contradizendo-se da restante indústria.

Pulp Fiction é uma obra genial. Uma obra crua e simultaneamente refrescante, que sobreviveu ao tempo e se tornou um clássico.
Pulp Fiction foi uma lição de cinema!

Curiosidade Cinéfila:
pulp fiction ou revista pulp são nomes dados a revistas feitas com papel de baixa qualidade a partir do início de 1900. Essas revistas geralmente eram dedicadas às histórias de fantasia e ficção científica e o termo “pulp fiction” foi usado para descrever histórias de qualidade menor ou absurdas.

Pesquisar mais textos:

Carla Correia

Título:Pulp Fiction: 20 anos depois

Autor:Carla Correia(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios