Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Segurança > Já há pouca Segurança

Já há pouca Segurança

Categoria: Segurança
Visitas: 4
Comentários: 2
Já há pouca Segurança

A segurança constitui um tema cada vez mais badalado e debatido nos dias que correm. Infelizmente, as notícias vão-nos dando conta de episódios que remetem exactamente para a falta de incolumidade que se experimenta um pouco por todo o lado. Dantes, este era um problema maioritariamente dos grandes centros urbanos. Na actualidade, porém, a violência gratuita, os roubos, a malvadez, os raptos, e tantos outros males de uma sociedade que caminha alegre e pacificamente para a auto-destruição exercem-se de forma aleatória e indiscriminada.

Normalmente, os protagonistas destas acções abomináveis são indivíduos que sentem não ter nada a perder e para quem a vida se reveste de pouco ou nenhum valor. Assim sendo, para muitos deles, matar ou ser morto faz parte do “ofício”. Ainda que aos olhos de uma pessoa dita normal tais atrocidades adquiram uma dimensão monstruosa, vendo pela perspectiva daqueles que cometem estes crimes, se a vida deles não vale coisa nenhuma, o que poderá representar a de outrem? A questão é deveras complexa, e se se fala tanto de ausência de segurança, devia tentar perceber-se, mais do que as visíveis consequências, o que a origina e o que pôr em prática no sentido de colmatar algumas dessas matérias. Sim, porque mesmo nesta “classe”, cuja “profissão” é oposta à dos homens e mulheres fardados que nos habituámos a ver nas entradas e corredores de numerosos espaços, existem criaturas de bem, a quem as circunstâncias da história pessoal empurraram para a marginalidade.

Estes “inseguranças profissionais”, vigilantes de outros objectivos, não são apenas criminosos; têm um nome, um rosto, uma família e podem, em bastantes casos, ser recuperados, desde que alguém tenha coragem suficiente para lhes dar a mão.

Esta mão não precisa de estender a carteira. Basta que segure um coração minimamente sensível e um humanismo que supere o medo. Tratando-se de seres humanos, a característica distintiva, ou seja, a capacidade de amar, aliada a um certo efeito surpresa em termos de reacção, pode operar verdadeiros milagres.

A segurança de pessoas e bens pode levar-se a cabo de variadas maneiras e com recursos diversos, que vão dos alarmes às vedações especiais, à vigilância através câmaras de filmar e mesmo à contratação dos chamados capangas, que alguns apelidam de “gorilas” e outros, mais sofisticadamente, de bodyguards. Pena que ainda não se tenham lembrado de inventar um “homeguard”, só para aumentar a segurança quando o corpinho está refastelado no sofá ou na cama a realizar “meditação profunda” durante umas boas oito horas…

Maria Bijóias

Título: Já há pouca Segurança

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 4

604 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • SophiaSophia

    28-05-2014 às 18:22:45

    Realmente, nestes últimos dias não há mais segurança para nada. Por isso, que viver com o pouco é o bastante, uma vida simples é a melhor coisa que podemos desfrutar nesta vida tão passageira.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãomario

    24-03-2011 às 11:40:45

    fixe

    ¬ Responder

Comentários - Já há pouca Segurança

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como cuidar de Plantas de interior

Ler próximo texto...

Tema: Bricolage Jardim
Como cuidar de Plantas de interior\"Rua
Cada planta tem um comportamento diferente, vou colocar aqui alguns cuidados que servem para a maioria delas.

LUZ:

Os principais erros no cultivo de plantas de interior é a falta de luz.
Se elas estiverem em locais onde não há luz suficiente, isso pode ser corrigido com a instalação de luz artificial, existe no mercado lâmpada que imitam a luz natural.


TEMPERATURA:

Mudanças bruscas de temperatura retardam e até paralisa o crescimento da planta, bem como causa a queda de folhas.


UMIDADE:

A maioria das plantas necessita de uma umidade atmosférica adequada.
Normalmente notamos que a planta não está com a umidade correta quando acontece ficarem amarelas e a queda de folhas.


IRRIGAÇÃO:

Conselhos básicos:
Uma planta em fase de crescimento vai precisar de mais água que uma que está em fase de dormência, ou já atingiu o seu tamanho adulto.
Durante a floração a planta precisa de mais água que em sua fase de crescimento
Em ambientes internos mais quentes é evidente que a planta vai precisar de mais águas que em ambientes mais frios.
Para saber qual é o momento exato de molhar, enfie o dedo no substrato, se sentir ele seco, chegou a hora

FERTILIZANTE:

Para que a planta tenha um desenvolvimento harmonioso convém usar periodicamente de fertilizantes que podem ser líquido ou sólidos.
No mercado existe a venda fertilizante com fórmulas específicas para cada planta.
Após a utilização do fertilizante regue a planta.

LIMPEZA:

Faça regularmente a limpeza de folhas secas e caule, pois elas são bastante positivas não só esteticamente como para a saúde das plantas.
Se estiver acumulada muita poeira sobre as folhas, espane, e depois passe um pano húmido
Atenção: Existe algumas espécies, que tem as folhas aveludadas, tipo a Violeta Africana, Begônia Rex, etc. que não deve ser colocada água é só usar uma escovinha bem macia.

TROCA DE VASO:

De uma maneira geral após 1 ou 2 anos as plantas de interior devem ser colocadas em vasos de tamanho maior.
Isso deve ser feito porque as raízes passam a ocupar um grande espaço e também porque o substrato vai perdendo sua composição inicial.
A época mais adequada varia de planta para planta, algumas devem ser feitas na primavera e outras quando estão na fase de repouso.
Aproveite para obterem mudas, separando brotos e dividindo touceiras.

Pesquisar mais textos:

Miguel Pereira

Título:Como cuidar de Plantas de interior

Autor:Miguel Pereira(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Briana AlvesBriana

    13-10-2014 às 04:09:31

    Muito bom! É tão gratificante cuidar de plantas. A gente vê o quanto elas florescem quando são bem-cuidadas. Amei as dicas!

    ¬ Responder
  • Rua DireitaRua Direita

    18-04-2014 às 22:36:55

    Fantástico seu texto, a Rua Direita agradece!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios