Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Saúde > O tabaco e a adolescência

O tabaco e a adolescência

Categoria: Saúde
Comentários: 4
O tabaco e a adolescência

Em cada dez adulto que são fumante, você pergunta quando iniciou este vicio? Eles dizem que deu inicio antes dos dezoito anos. O que você pode ajudar para que seu filho não caia nessa. Pois os dados do ministério da saúde são de deixar os pais de cabelos em pé. Segundo o ministério da saúde em cada dez crianças, seis já deram suas tragadas, tudo na faixa etária entre 10 e 14 anos. E o que devemos fazer com nossos filhos, para que não caia nessa? Saiba que tanto os pais quanto os educadores enfrentam este dilema.

Na adolescência sabemos que é um período da vida que o indivíduo inicia um processo de busca da sua identidade, e que alguns hábitos da vida deles são formados, os quais podem persistir na vida adulta, dentre elas os hábitos relacionados ao uso de álcool e o tabaco e outras drogas. Durante este período ocorrem modificações somáticas, psicológicas e sociais importantes no indivíduo. Segundo a organização mundial de saúde os limites cronológicos de adolescentes entre 10 e 20 anos de idade.

Todo o processo de transformação física do adolescente é normalmente acompanhado de um processo de evolução psicológica e de um acompanhamento típico desta fase de desenvolvimento denominada de síndrome da adolescência normal. Também faz parte desta síndrome à busca de si mesmo e da identidade adulta. Isso é quando o adolescente procura o conhecimento de sua individualidade biológica e social no mundo que nos rodeia, tentando acompanhar e entender as transformações rápidas que ocorrem em seu corpo, e ao mesmo tempo em que procura evoluir, da identidade dependente de infantil para a independência adulta. E é nessa busca de identidade que o adolescente se une aos seus iguais, na mesma situação que ele e, é assim que são formados os grupos, onde todos se identificam com cada um e cada um com todos, sempre adotando hábito e regras do grupo e não mais da família.

Como demonstra em alguns estudos, ter amigo que fuma é um fator importante para que o adolescente experimente ou inicie o hábito de fumar, isso só reforça a importância das relações de a proximidade em relação ao álcool, estudos revelam o primeiro lugar do consumo, dentre outras substâncias psicoativas, são entre adolescentes nas ultimas décadas. Pois para os jovens eles são motivados pelo imediatismo, ou seja, o que conta é o agora, e o amanhã é uma data muito distante para ser pensada. E assim é o prejuízo produzido pelas drogas no longo prazo, e é difícil de ser entendido. Mais é possível ser desviado destas amizades que não somam e sim divide como divide dentro de casa, e divide os sonhos. Saiba conversar e alertar seu filho procure as amizades dele, e sempre esteja por perto, saiba que o mundo já não é mais o mesmo.

Waldiney Melo

Título: O tabaco e a adolescência

Autor: Waldiney (todos os textos)

Visitas: 0

780 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 4 )    recentes

  • Luene ZarcoLuene

    22-07-2014 às 19:53:37

    A adolescência é uma fase muito conturbada. É nessa fase que somos mais influenciados pelas amizades, com aquela sensação de ser aceito pelo grupo e daí acabam aceitando o cigarro. O pior é que se torna um vício. O tabaco é uma das doenças que mais tem matado as pessoas.

    ¬ Responder
  • Alvaro Oliveiraadriana

    23-04-2011 às 18:09:01

    ola pessoal fumantes. vou dar um conselho de uma vellha apaixonada pare de fumaren pq isso nao tem graça se quizer sequir jesus vai ter que morre!!!

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de Climatizaçãoanónimo

    18-02-2010 às 16:31:45

    ajudoume imenso o vosso texto

    ¬ Responder
  • lara silvalara silva

    27-01-2010 às 12:22:17

    acho que os adolescentes e os adultos deviam pensar mais na sua saude porque ao fumarem podem morrer. por isso deixem de fumar! se quiserem ser felizes sem problemas de saude nao fumem!

    ¬ Responder

Comentários - O tabaco e a adolescência

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios