Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > A verdadeira dama

A verdadeira dama

Categoria: Outros
Visitas: 4
Comentários: 1
A verdadeira dama

As maneiras, atitudes e modas mudam ao longo do tempo, por isso se compreende que há outros aspetos que não mudam, como este de ser uma verdadeira dama. Embora o termo ‘dama’ possa parecer ultrapassado, há certos aspetos do comportamento de uma senhora que são eternos: Elegância, cortesia e um senso de respeito para consigo mesma e para com os outros. Veja se corresponde ao perfil de uma verdadeira senhora moderna ou então transforme-se numa autêntica ‘lady’.

Faça apresentações. Se você está falando com uma pessoa e outra pessoa se aproxima, apresente a pessoa que estava inicialmente falando à pessoa que acaba de chegar.

No mundo dos negócios, a ordem em que são feitas as apresentações depende do nível de ‘importância’ da pessoa. Por outras palavras, depende do nível de antiguidade na empresa. Nesse exemplo, você deve primeiro apresentar a pessoa de maior importância para a pessoa de menor importância, e depois vice-versa. Lembre-se de que o cliente está sempre no topo da lista, independentemente do seu título.

Adicione um detalhe simpático sobre a pessoa que você está apresentando, sempre que possível. Ao invés de apenas dizer o nome da pessoa, também apresente o seu título, ou como você conhece esta pessoa.

Diga sempre ‘por favor’ e ‘obrigado’. Embora essas expressões possam parecer um clichê de etiqueta, esquecer-se delas, ainda que por acidente ou involuntariamente, não vai passar despercebido, e pode ser considerado comportamento rude. Agradeça sempre que alguém lhe faz algum favor ou tem um gesto de gentileza. Dizer ‘obrigado’ prova que apreciou o gesto e que o sabe fazer educadamente.

Agradeça sempre ao anfitrião da festa ou de qualquer outra ocasião especial. Caso não o consiga fazer pessoalmente, envie um cartão ou utilize o telefone ou o e-mail. Retribua com um agradecimento simpático e educado sempre que alguém lhe oferece presentes.

Por outro lado, não use e abuse dessas expressões. Se as usar indiferentemente e por qualquer pequena coisa, retirar-lhes-á o seu significado e faz com que sua sinceridade ao agradecer pareça menos credível.

Peça desculpas se você cometeu algum erro. As desculpas são um sinal de humildade e de nobreza de caráter. Somos todos falíveis. O erro maior está em quem erra e não tem a capacidade nem o discernimento de saber pedir desculpa.

Seja uma verdadeira dama no seu caráter. Isso se irá notar na sua elegância e beleza. A primeira etiqueta é a da educação. Depois, tudo o resto completa a sua imagem segura, educada e nobre. Como uma legítima 'lady’ é.


Rua Direita

Título: A verdadeira dama

Autor: Rua Direita (todos os textos)

Visitas: 4

605 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    16-04-2014 às 19:05:58

    Belíssimo texto, Carina. Parabéns!!!

    A equipa da Rua Direita

    ¬ Responder

Comentários - A verdadeira dama

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios