Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Alimentação > Bicombustível faz aumentar o alimento

Bicombustível faz aumentar o alimento

Categoria: Alimentação
Bicombustível faz aumentar o alimento

É verdade para a nossa tristeza que o aumento da produção de bicombustíveis vai inflacionar os preços dos alimentos para o consumidor, pois o preço dos alimentos básicos como o açúcar, o óleo de soja, verduras e laticínios, isso é um desastre para a população mais carente do planeta. Mais isso nós compreendemos, é só questão de raciocínio, o bicombustível tem tudo a ver com os alimentos que compramos.

O açúcar refinado, por exemplo, é o mesmo da cana de açúcar utilizado na produção de etanol. Já no Brasil os mais utilizados para a produção de bicombustível é a cana de açúcar, soja, palma, ou seja, dendê e a mamona, e nos EUA o alimento utilizado é o milho, com uma produtividade muito maior que as matérias primas brasileiras. Agora saiba que nós temos que dividir parte destes alimentos com a indústria de bicombustíveis. A demanda por esse produto usado tanto no alimento como no bicombustível cresceu, e vai crescer ainda mais. É a lei da oferta e procura (a mais inexorável das leis do capitalismo), o preço pode subir tanto de um lado como do outro. Saiba que produzir bicombustíveis virou febre no Brasil os agricultores têm substituído a sua produção de mamão, laranja, cenoura, batata e outras, pela planta que é utilizada na produção do etanol e biodiesel. Por enquanto pequena em relação à área plantada.

Sendo assim a oferta desses alimentos, tende a diminuir, enquanto a procura continuara a mesma. Resultado é o aumento dos preços de alimentos ao consumidor. Saiba que o bovino, suíno, e aves sua alimentação é por insumos que é utilizado na produção de bicombustíveis, e com isso o alimento desses animais vai ficar mais caro, e na certeza este custo será repassado para os consumidores. E com isso a carne e laticínios ficaram mais caros. Saiba que em 2006, o preço internacional do milho (matéria prima não só da tortilha, mas do etanol nos EUA) subiu 55%. Já a soja, sua produção foi reduzida nos EUA para abrir espaço para o milho, teve alta de 13%. A economia brasileira em 2006 a 2007, alguns alimentos apresentaram grande elevação de preços acima do esperado, de acordo com estatísticas feitas. O açúcar refinado teve aumento de 15,74% no varejo neste período do pró-álcool, que foi a primeira tentativa de usar etanol nos veículos brasileiros ocorrido nos anos 80, e os usineiros, as vezes vendiam para os produtores de etanol e, as vezes, para os produtores de açúcar. Já os especialistas não ignoram mais os preços de alimentos e o aumento da demanda de bicombustíveis.

Waldiney Melo

Título: Bicombustível faz aumentar o alimento

Autor: Waldiney (todos os textos)

Visitas: 0

636 

Comentários - Bicombustível faz aumentar o alimento

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios