Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Biografias > Scott Fitzgerald

Scott Fitzgerald

Categoria: Biografias
Scott Fitzgerald

O Grande Gatsby

Nascido em 1986, em St. Paul, no Minnesota (EUA), Scott Fitzgerald foi um escritor de romances, foi também considerado o principal cronista da vida da alta sociedade dos EUA nos anos 20. Era o porta-voz da chamada “geração perdida”, que reclamava pela falência do sonho norte-americano.

Pode parecer estranho, mas a verdade é que em 1940, com apenas 44 anos de idade, completamente enfraquecido pelo álcool, suicida-se.

Proveniente de uma família de classe média alta, com educação católica. Estudou nas melhores escolas, mas sempre pouco dedicado. Entra na conceituada Universidade de Princeton, só que não concluiu os estudos, porque decidiu alistar-se como voluntário no Exército, em 1917. Num campo de treino no Alabama, acaba por conhecer Zelda Sayre, com que contrai casamento.

Dois anos depois parte para França e começa a levar uma vida agitada. De seguida, passa um largo período a escrever para revistas. A vida de agitação que o casal levava, com viagens e festas pela Europa e EUA, terminaram de forma não esperada. A esposa de Francis entrava num processo de debilitação mental, tendo mesmo que ser internada num hospício, em 1930, o que mudou tragicamente a vida do escritor.

Dá baixa das funções militares e segue uma carreira publicitária, até publicar em 1920 “Este Lado do Paraíso”, o seu primeiro romance, que se revela um sucesso e lhe rende muito dinheiro. Torna-se porta-voz dos jovens intelectuais que se sentiam revoltados com a sociedade. Em pouco tempo tornou-se o autor mais bem pago da sua época. Em 1922 lançou “Belos e Malditos”.

Dois anos depois parte para França e começa a levar uma vida agitada. Em 1925 escreve “O Grande Gatsby”, que é hoje considerado uma obra-prima, mas na altura foi pouco comprado.Em 1937 retorna aos Estados Unidos e começa a escrever roteiros para filmes de Hollywood. Em 1939 escreve aquele que veio a ser o seu último romance.


Bruno Jorge

Título: Scott Fitzgerald

Autor: Bruno Jorge (todos os textos)

Visitas: 0

608 

Comentários - Scott Fitzgerald

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Cães e Humanos: Amizade por interesses

Ler próximo texto...

Tema: Animais Estimação
Cães e Humanos: Amizade por interesses\"Rua
Não é de hoje que os cães são considerados nossos melhores amigos, porém como toda amizade ela não é totalmente incondicional e livre de interesses, pense bem, você pode discordar a princípio, mas analise a fundo e verá que tenho razão.

Cães convivem conosco a mais de 10mil anos, foi lá atrás na pré história que essa amizade começou, uma das mais duradouras da história. Teorias dizem que essa conexão iniciou pois ambas as espécies precisavam de algo que não possuíam e juntos se completaram.

Em plena era do gelo onde a sobrevivência estava sendo testada a todo vapor, aquele lobo considerado mais corajoso se encontrou com um homem também corajoso e resolveram unir forças, talvez não conscientemente, mas deu certo para ambos, e ali iniciava uma amizade que duraria por milênios.

Nesse estágio da nossa história, corríamos perigo de sobrevivência; faltava comida, segurança e energia ! ... E então percebemos que esses lobos simpáticos poderiam nos dar uma vantagem na corrida contra a morte, afinal eles caçavam muito bem , coisa que tínhamos dificuldade em fazer pela falta de energia naquele momento; então pensamos, eles nos ajudam a caçar, nós dividimos o alimento e em troca eles ganham segurança e afeto, e foi assim que essa amizade nos ajudou a enfrentar todos os percalços do caminho, e hoje evoluímos tanto que não precisamos mais de seus serviços e ainda sim continuam sendo nossos melhores amigos, posso dizer então que realmente é uma amizade verdadeira, que surgiu da dificuldade e interesses mas que não se deixou abalar por nada.

Então, agora quando virmos alguém maltratar esses animais, desdenhar deles dizendo que "não prestam pra nada", "não fazem nada de útil", como a galinha que põe ovos, ou a vaca que dá leite, lembremo-nos o quão útil eles foram na nossa caminhada, não só no quesito físico mas também no emocional, numa época em que as aparências não importavam e nem o QI para se fazer um amigo, bastava ser corajoso o bastante pra ultrapassar barreiras e conhecer mais o outro, do jeito que ele viesse, garanto que vantagens incríveis nascerão dessa amizade, e não pense em vantagens como algo ruim, quando digo penso em a vantagem da gente se sentir o humano mais importante do mundo quando esses seres peludos nos olham nos olhos sem pedir mais nada em troca, damos e recebemos carinho como nunca, uma retribuição silenciosa a quem sempre esteve do nosso lado, no pior e melhor momento.

O maior interesse em uma amizade é que ela dure para sempre, e acho que com os Cães conseguimos isso.

Pesquisar mais textos:

Lara Lavic

Título:Cães e Humanos: Amizade por interesses

Autor:Lara Lavic(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios