Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Seguros > Seguros de risco profissional

Seguros de risco profissional

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Seguros
Visitas: 2
Comentários: 1
Seguros de risco profissional

Certo é que muitas vezes nos queixamos das companhias de seguros. Sentimo-nos lesados, perdidos e injustiçados. A realidade é que quando contratamos um seguro através de uma companhia, temos a obrigação e o dever de o fazer num agente oficial e antes de assinar, ler tudo o que está inserido no formulário ou contrato (incluindo as letras pequeninas) e pedir esclarecimentos sobre todas as dúvidas. Por muito absurdas que possam parecer, todas as nossas dúvidas devem ser colocadas e esclarecidas. Só assim o negócio terá uma concretização segura e satisfação para ambas as partes.

Existem seguros de todas as coisas, e não só as casas e os carros que podem ser protegidos. Recheio de casas, estragos e danos que as criancinhas possam fazer também podem estar assegurados, tal como o cão, o papagaio ou o gato.

Na imensa variedade de seguros que as companhias têm para oferecer, um dos mais requisitados é o de risco profissional. Os seguros de risco profissional ou acidentes de trabalho, dirigem-se a empresas e empresários. Além de ser um seguro obrigatório, convenhamos que é dos que vale mesmo a pena subscrever.

Os seguros de risco profissional ou de acidentes de trabalho podem abranger uma quantidade de coisas, mas existem coisas básicas e obrigatórias. O percurso que faz de casa para o trabalho e vice-versa está incluído neste seguro. Se por exemplo cair dentro do escritório onde trabalha, o seguro também cobre os custos médicos e o tempo de baixa de forma obrigatória. Naturalmente se o seu trabalho for sentado na secretária e se o acidente for ao mudar uma lâmpada, o seguro poderá contestar.

Para quem conduz um carro todo o dia por motivos profissionais, o seguro do automóvel poderá não bastar. Assim, ao obrigatório seguro de trabalho, poderá incluir um seguro específico para a sua profissão.

Se é empregada de limpeza liberal, então já sabe que não será a sua patroa a tratar de subscrever um seguro. Terá de o contratar e pedir um seguro em concreto. Limpeza de vidros (e a queda dos mesmos), o risco de quedas, visto ser um trabalho muito ativo, e que a proteja de possíveis alergias a detergentes são apenas algumas ideias.

Construção civil, seguranças e outras profissões onde os riscos são alargados, são um pouco mais caros, mas segurar sempre valeu a pena.

Sabemos que os seguros custam a pagar, pois não se tratando de um objeto palpável mas sim de um serviço que não é utilizado todos os dias, temos a sensação de que é caro. No entanto, se precisar dele, acredite que vai louvar tê-lo feito.



Carla Horta

Título: Seguros de risco profissional

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 2

793 

Imagem por: Gravestone

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • SophiaSophia

    29-05-2014 às 17:11:14

    O seguro de risco profissional tornou-se muito importante nestes últimos dias. Os acidentes de trabalho tem acontecido de forma rotineira e isso garante maior preservação da vida.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Comentários - Seguros de risco profissional

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Imagem por: Gravestone

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios