Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > O que são relãmpagos?

O que são relãmpagos?

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
O que são relãmpagos?

Os relâmpagos ocorrem sempre que parte de uma nuvem atinge uma carga elétrica excessiva, positiva ou negativa, que é suficientemente forte para quebrar a resistência do ar circundante.

Normalmente,este processo que leva aos relâmpagos é uma rutura preliminar no interior da nuvem entre a área superior da carga positiva e a inferior, de carga negativa.

As diferentes cargas são geradas pelo arrefecimento até temperaturas negativas, que colidem com cristais de gelo.

A polarização das cargas forma um canal de ar ionizado, em que as moléculas e átomos neutros adquirem carga elétrica, através do qual um primeiro raio se propaga até ao solo.

Quando este raio inicial atinge a terra, verifica-se uma descarga de conexão ascendente de polaridade oposta, que se cruza com ele gerando uma descarga de retorno que por sua vez volta para a nuvem através do canal , criando um clarão bem visível e assustador.

Esta sequência de descargas ocorrem três ou quatro vezes por raio, muito rápidamente.

O mais espetacular deste processo é que o raio de retorno pode conter correntes até ceca de trinta mil amperes e atingir os 30 mil graus centígrades.

O primeiro raio que aparece pode atingir o solo em apenas dez milissegundos e o raio de resposta atinge a nuvem em cem microsegundos.
Porêm, os raios, não ocorrem só entre núvens mas também no interior de uma só nuvem. Na verdade a maior parte dos raios a nível mundial são entrenuvens, com canais de descarga de carga positiva e negativa no seu interior.

A maior parte dos raios ocorre a muitos quilómetros acima da Terra, na chamada atmosfera superior.

Os raios contêm uma grande quantidade de energia em curto espaço de tempo, com as respetivas descargas a ocorrerem em escassos milissegundos.
No entanto, eles surgem esporádicamente no mesmo local e raramente este é atingido duas vezes. Isto significa que eles percorrem diferentes espaços do mundo e nem sempre aparecem nos mesmos.

Uma das particularidades dos raios é que apenas são vistos por satélites e são gerados na atmosfera superior da Terra.

Muito longe de serem uniformes, os raios são também um fenómeno imprevisível e divididos em vérios tipos.

Os mais frequentes são os raios em fita que ocorrem apenas em grandes tempestades e fortes ventos, os raios staccato, incrívelmente luminoso, os raios difusos, provocando iluminação difusa, os megarraios e os raios em bola, que se deslocam como o vento.

As hipóteses de alguém ser atingido por um raio são maiores do que se possa imaginar, sendo de uma em 3 milhões.

Os locais mais perigosos e mais atingidos por trovoadas fortes são os trópicos, em que ocorrem mais de 70% deles.

Por exemplo na Venezuela, acima do rio Catatumbo, há relâmpagos várias vezes por minuto em 160 noites do ano. Mas a povoação de Kifuka, é com efeito a mais atingida na Terra, com uma estimativa de 158 raios por quilómetro quadrado, por ano.


Pedro gil Ferreira

Título: O que são relãmpagos?

Autor: Pedro gil Ferreira (todos os textos)

Visitas: 0

608 

Comentários - O que são relãmpagos?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios