Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Outros > Amor Vence Depressão

Amor Vence Depressão

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Outros
Visitas: 2
Amor Vence Depressão

Os estados depressivos são cada vez mais frequentes e afetam muita gente, de todas as idades e locais do mundo. Contudo, eles podem ser minorizados e combatidos, apelando a bons hábitos de saúde e higiene de vida.

A depressão pode com efeito ser atenuada, fazendo uma vida equilibrada, em que entre o carinho e amor ao próximo.

Com efeito é possível aliar a vida profissional com a pessoal, onde o carinho e amizade estejam presentes.

Não se deve cair em extremos, trabalhando em excesso ou descuidando a vida pessoal, familiar e a amizade.

Um dos problemas que está associado à depressão é a falta de sol e de comunicação, quer seja com a família ou amigos e vizinhos.

A falta de alguns elementos, dentro deste contexto pode involuntáriamente levar a estados de fadiga e desânimo ou mesmo doença psicológica ou depressiva.

Na realidade , hoje a vida social está muito degradada, em virtude dos problemas económicos e conflitos sociais. Mas estes são devidos essencialmente ao egoísmo e individualismo das pessoas, que não se preocupam com o próximo. Este é por consequência, um dos valores que foram retirados da sociedade maquinal e consumista, a que assistimos desde há muitos anos.

E, foi isto que fez emergir uma sociedade mais deprimida, triste e ausente, levando muitas vezes ao suicídio.

Deste modo, há hoje um grande desrespeito pela vida humana e seus valores mais prementes, tais como o amor e amizade ao próximo.

Este é sem dúvida alguma o maior e mais importante para o equilíbrio emocional e mental das pessoas.

Apesar da melhoria das condições de vida verificadas nas décadas anteriores , houve um aumento das doenças mentais e das depressões, originadas provávelmente pelas mudanças nos comportamentos sociais e seus excessos ligados ao álcool, drogas,sida , vírus e infeções de toda a ordem.

Se fosse possível combater o isolamento social, com suas consequências nefastas, uma grande parte das doenças seria reduzida ou mesmo iliminada.

Assim, cabe a cada um, ter hábitos que contribuam para a saúde e cura do planeta. Em especial, gestos solidários e menos egoístas. Deste modo, sim o amor curaria as depressões e outros males que afligem a humanidade.

Este seria, sem dúvida alguma, o antídoto principal das depressões.


Teresa Maria Batista Gil

Título: Amor Vence Depressão

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 2

663 

Comentários - Amor Vence Depressão

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios