Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Como não Morrer

Como não Morrer

Categoria: Literatura
Como não Morrer

Baseando-se no pressuposto de que há mortes perfeitamente evitáveis, Jan Garavaglia resolveu condensar nas 316 páginas do seu livro «Como não Morrer», reimpresso em 2010 pelas edições Estrela Polar, alguns segredos para uma vida mais longa. Apesar de, como diz o povo, «a morte ser a coisa mais certa da vida», também não é menos verdade que há pequenos gestos passíveis de a salvar. A autora alia a sua experiência em medicina com uma sólida base científica e a ponderação das incontáveis situações que lhe aparecem diariamente, e adianta dicas para afastar a morte prematura, que incluem a escolha do médico, a capacidade de interpretar os receituários, a averiguação de reacções adversas da medicação (mesmo da que é vendida sem necessidade de prescrição médica!), cuidados de higiene e limpeza, vacinas em dia, exactidão na descrição de sintomatologia ao profissional de saúde, verificação dos remédios quando se compram, etcétera.

Não obstante, e ao contrário do que esta introdução possa sugerir, não se trata de uma obra pesada, enfadonha ou demasiado técnica, contrabalançando, ao invés, humor com casos reais, para mostrar como funciona o corpo humano e como fazer para cuidar dele de uma maneira mais inteligente e saudável, numa perspectiva de incrementar a longevidade e a qualidade de vida. Com uma média de mil autópsias feitas por ano, esta médica legista deve conhecer realmente bem os meandros das nossas entranhas e das causas de muitíssimos males!...

Segundo Jan Garavaglia, a principal razão da morte prematura é a idiotice. Lapsos momentâneos de atenção enquanto se conduz e fala ao telemóvel ou retoca a maquilhagem em simultâneo ou insistir em fumar, comer mal e não fazer exercício, apesar de todas as recomendações, consubstanciam modelos de um quadro de motivos idiotas de falecimentos antes do tempo. Por exemplo, muita gente não sabe que, em andamento, ter as janelas do carro abertas aumenta o risco de consequências mais graves ante um acidente, pela possibilidade de a pessoa ser mais facilmente cuspida da viatura. A distracção, a velocidade e uma taxa de alcoolemia elevada engrossam, igualmente, o rol de assassinos na estrada. Nesta lista, mas noutro âmbito, encontram-se ainda a falta de controlo e/ou tratamento para a hipertensão arterial, colesterol e diabetes, assim como o desprezo por um check-up anual.

Jan Garavaglia, tanto no livro «Como não Morrer», como no seu programa de televisão «Medical Examiner» (que vai para o ar diariamente no canal Discovery Home & Health, onde é conhecida por D.ra G.), faz o relato de episódios verídicos de pessoas que perderam a vida por simples descuidos. Narra situações que habitualmente banalizamos ou às quais não atribuímos grande valor, como a de um homem a quem a escassez de fibras na alimentação (presentes nas frutas e verduras) provocou a destruição do cólon e uma inflamação fatal! Para a D.ra G., a vida é feitas de escolhas e o esforço vai no sentido de fazer compreender às pessoas a própria saúde e dar a conhecer os resultados dessas mesmas escolhas, porque só assim poderão cuidar devidamente de si e dos que têm a seu cargo. Ela defende que é preciso ouvir o corpo e não ignorar os sinais que ele envia quando algo não está bem. Efectivamente, ele constitui um registo fidedigno de como alguém viveu, morreu e de que forma a morte poderia ter sido protelada. A lição fundamental a tirar deste livro é que a vida é preciosa!

Maria Bijóias

Título: Como não Morrer

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

608 

Imagem por: _DarkGuru_

Comentários - Como não Morrer

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: _DarkGuru_

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios