Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Beleza > Cera fria: vantagens e desvantagens

Cera fria: vantagens e desvantagens

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Beleza
Visitas: 32
Comentários: 4
Cera fria: vantagens e desvantagens

No verão, e não só, as mulheres gostam de exibir umas pernas bonitas e bem depiladas, durante dias a fio, se possível. Mas tal nem sempre é possível e os inestéticos pelinhos acabam por dar um ar da sua graça no espaço de alguns dias ou semanas, dependendo do método depilatório utilizado. Os mais comuns são a lâmina, o creme depilatório e as ceras, quente ou fria.

Esta última tem vindo a ganhar peso nos últimos anos, pois constitui uma alternativa fácil e menos agressiva para a pele e vasos sanguíneos. De facto, para quem apresenta derrames sanguíneos, varizes e má circulação nas pernas, o ideal é a cera fria (em contraponto à cera quente), pois, tal como o nome indica, esta cera, não sendo aquecida, atua à temperatura ambiente e arranca o pelo pela raiz, garantindo um resultado perfeito durante 20 a 30 dias. Paralelamente, é um método bastante higiénico e descartável e não provoca irritações.




Para fazer a aplicação da cera, espalhe-se a mesma num papel celofane (próprio para o efeito) ou adquiram-se bandas já preparadas e utilização imediata. Antes de se aplicar a banda na pele, deve-se desinfetar com um algodão empapado em álcool toda a área que vai ser sujeita à depilação, para evitar possíveis riscos de infeção. Previna-se também em relação à humidade presente na sua pele, pois uma pele molhada ou húmida (com água, óleos ou cremes hidratantes) não permitirá, de todo, a depilação, já que a cera não aderirá à pele.

Posto isto, aplique a banda na pele e puxe, com um gesto seco, no sentido oposto ao do crescimento dos pelos. Pode optar, ainda, por aplicar diretamente a cera na pele, espalhando-a com uma espátula ou com os dedos e, posteriormente, aplicando o papel por cima. Após concluir a depilação, deve desinfetar novamente a área considerada.

A cera fria apresenta, todavia, algumas desvantagens, que deverão ser conhecidas antes de se experimentar o processo. Assim, saiba que esta forma de depilação é das mais dolorosas que existem e que apenas é recomendada, tal como se referiu anteriormente, a quem possua problemas circulatórios, pois a cera quente dilata os poros – tornando-se muito menos dolorosa – e também os vasos sanguíneos. Logo, a cera fria aparece como substituto automático, uma vez que não dilata nem os vasos nem os poros. Em caso de pelo muito espesso, o resultado pode não ser perfeito e existe o risco de alguns pelos ficarem encravados (que deverão ser retirados com uma pinça).

Agora que conhece melhor o método, decida se o mesmo é o mais indicado para si


Isabel Rodrigues

Título: Cera fria: vantagens e desvantagens

Autor: Isabel Rodrigues (todos os textos)

Visitas: 32

785 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 4 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoSofia Nunes

    13-09-2012 às 12:03:18

    A cera fria é de facto uma inovação recente. Uma vez que nunca usei cera quente é-me difícil fazer qualquer comparação, exceptuando a óbvia de que a cera fria é muito mais prática. Em comparação com os cremes e sprays depilatórios, a cera fria tem a vantagem de ser mais “limpa” e mais rápida (enquanto os cremes necessitam de fazer efeito), sem ser excessivamente dolorosa. Os seus resultados têm também uma duração mais longa.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDaniela Vicente

    11-09-2012 às 18:39:43

    já experimentei a cera fria e nunca mais, embora já tenha ouvida dizer que é melhor por causa das varizes. com a cera quente também é verdade que apanhei vários escaldões. e no calor não apetece nada fazer depilação com cera quente. todavia, a cera fria é um drama, pois não se apanha os pêlos todos com a mesma precisão. a sua explicação sobre como usar a cera fria é muito precisa. parabéns.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDavy

    30-10-2010 às 10:26:38

    Olá, gostaria de fazer outra observação nunca se desinfecta a pele com alcool pois este vai agredir a pele deixando-a mais sensibilizada e vai fazer com que a epilação seja mais dolorosa!A pele desinfecta-se com fugicida que e o producto indicado para esse efeito, e depois de uma epilação coloca-se um oleo, emulsão, creme pós depilatorio para hidratar e acalmar a pele, e em zonas mais sensiveis como axilas e virilhas ainda se pode colocar halibut ou biafine para ajudar a pele a acalmar mais rapidamente.

    ¬ Responder
  • wladyawladya

    18-09-2010 às 03:10:31

    olá, gostaria de fazer uma observação: os metodos de cera fria e quente são um processo de epilação e não depilação. A epilação consiste na remoção dos pêlos com parte do bulbo piloso, ou seja,é retirada a "raiz". Na depilação o pêlo quebra tangendo a pele, ou seja, superficialmente como depilação com lâminas(gilete), aparelhos eletricos e cremes depilatorios. ok ai vai a dica.

    ¬ Responder

Comentários - Cera fria: vantagens e desvantagens

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios