Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Restaurantes > Sabores tipicamente Portugueses

Sabores tipicamente Portugueses

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Restaurantes
Visitas: 6
Comentários: 1
Sabores tipicamente Portugueses

Quando se trata de gastronomia Portuguesa, existe tanto para se falar. Os Portugueses são bom garfo e os sabores trazidos dos quatro cantos do mundo, são hoje sinónimo de iguarias sem igual. Já experimentou perguntar a um turista se gosta da comida Portuguesa? Mesmo que saiba que ele vai responder de forma positiva, vai ficar espantado com a alegria e agrado com que lhe responde.

Como nem só de pão vive o homem, os Portugueses criaram e inventaram, mesmo que com algumas influências alguns partos especiais. Prova disso são os restaurantes típicos que por esse Portugal fora se podem encontrar.

Se pegarmos no carro e decidirmos descobrir as gastronomias mais típicas nos mais famosos sítios tipicamente Portugueses, vamos encontrar gostos únicos e memoráveis que jamais conseguiremos esquecer. Será um gosto lembrá-los, aconselhá-los e repeti-los. Aqui vão umas ideias.

Na zona de Sarilhos Grandes – Montijo, podemos encontrar a melhor casa das enguias. Encontram-se também em zonas como o Algarve e o Alentejo, mas se quer desfrutar de um ensopado acompanhado por pão torrado ou frito, viaje até á zona da Lançada. É um prato de comer e chorar por mais.

Na zona da Mealhada, encontramos o famoso leitão à Bairrada. Acompanhado por umas batatinhas fritas e de pickles envinagrados, este pequeno porquinho faz as delicias de quem o prova. A pele estaladiça engorda um bocadinho, mas é super saborosa.

Os rojões à minhota, não precisam de apresentações nem de indicações de onde se pode comer. Peça que seja servido com coentros frescos picadinhos por cima da travessa. O bacalhau á minhota também é especial por aqui.

Se for ao Porto, apesar de muitas outras coisas apetitosas, não saia de lá sem comer um Francesinha. Deliciosas, mas calóricas. Aposto que não vai ter fome nas próximas horas.

No Alentejo não perca o chouriço assado e o pão regional, e na zona da Serra da Estrela, prove o Cozido à Portuguesa com alimentos acabados de sair da terra. Se for ao Algarve, uma sardinhada vão fazê-lo recordar o melhor que pode existir da gastronomia Portuguesa.

Outras tantas zonas muito têm para oferecer, e era de todo impossível falar de todos eles. O ideal será começar no Algarve e subir por esse Portugal fora. Vai engordar no mínimo 20 quilos e precisar de pelo menos um mês para comer de tudo, mas aposto que será uma temporada inesquecível.


Carla Horta

Título: Sabores tipicamente Portugueses

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 6

705 

Imagem por: iwona_kellie

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Yuri SilvaYuri

    16-09-2014 às 05:06:47

    Amo muito o bacalhau! Hum, já me dá até água na boca! Estes sabores tipicamente portugueses são excelentes e nos faz pensar o quão bom é a variedade da culinária no mundo inteiro.

    ¬ Responder

Comentários - Sabores tipicamente Portugueses

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Imagem por: iwona_kellie

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios