Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Literatura > Um Passado de Tremenda Dor

Um Passado de Tremenda Dor

Categoria: Literatura
Comentários: 2
Um Passado de Tremenda Dor

Um Passado de Tremenda Dor

No dia 25 de fevereiro, uma jovem moça após um dia cansativo de trabalho vai para casa onde se refugiava todas noites de sua fobia que teimava em lhe amedrontar sempre. Quando ela abre a porta do sua sala, toma um susto com o som do telefone que ali tocava. Percebendo que ninguém atenderia o telefone, ela chama pedi à seus pais lá na parte de cima deveriam estar.

- Mãe? Pai? - Ninguém respondeu-à, então ela começou a subir as escadas calmamente sem fazer barulho, pois imaginava que seus pais estavam dormindo e, claro, que atender o telefone.
Quando ela chega para atender ele que ao atender mudo estava.
- Que estranho!
- Mãe? - Foi ao quarto deles em que a televisão deles estava ligado. Vendo que eles não se encontravam desligou a televisão.

Tentando achar alguma pista para saber onde e com quem eles saíram, ela acha um carta que no meio da cama que estava com a roupa de cama e em baixo havia um facão que cheio de sangue estava, então, já desesperada lê a carta que ao abrir estava escrito muitos códigos, no verso da carta estava escrito que foi dactilografada pelo seu pai. Ao ler a carta tenta ligar para seu namorado.

- Oi. Tudo bem, amor?
- Tudo sim, e você? Aconteceu alguma coisa? Está chorando.
- Você poderia vir aqui na minha casa? Estou[...]
- Amor, você ainda está aí? Alô. Alô! - Ele, sem obter retorno desliga.
- Filha?
- M- Mãe? Onde você está?
- Filha presta atenção no que a mamãe vai falar!
- Fala! Pode falar [...]
- Você está com alguém aí?
- Não. Estou sozinha! Mãe, meu pai está com você?
- Não acredito!
- Já falou demais com sua filha! - Tomou o telefone dela e jogou pela janela de seu apartamento.
- Mas ela também é sua filha! - Brava ao extremo desespero.
- O que você falou?
- Estou dizendo que ela [...] também é sua filha!
- Ela já sabe disso?
- Claro que não!
- Porque meu atual marido é com certeza melhor pai que você!
- Por que você acha que não sou o pai que nossa filha merece?
- Vai me dizer que não lembra de tudo que você me fez passar no passado?
- Que não resistia a minha beleza daquela época!
- Era você que eu amava!
- Ah, sério?
- Não é o que seu passado esconde!
- Por diz isso?
- Se você me amava como você me dizia naquela época, não teria continuada naquela profissão em que eu tanto odiava!
- Se você não gostava de frequentar aqueles lugares, o que fazia lá todas as noites?
- Precisava de alguém que me fazia sentir um verdadeiro homem, alguém que me satisfizesse meus desejos sexuais!
- Sua mulher?
- Não estávamos casados. Obtínhamos um relacionamento em que nenhuma das partes era se levado a sério!
- Não era o que dizia! Por que você quando soube da minha gravidez não me estendeu sua mão? Talvez eu teria contado à nossa filha que seu pai era você!
- Me concede uma chance de conquista novamente seu coração?
- Não. Eu me recuso! Muito obrigado.
- Eu amo você [...]
- Se me amava por que me fez sofrer tanto com suas agressões após nos encontrar no ponto daquela boate em que sempre encontrávamos?
- Eu precisava sentir prazer para chegar ao ato efetivado de um sexo consumado!
- Eu te odeio!
- Oi!
- Eu te odeio! Onde está meu marido?
- Onde você colocou meu marido?
- Espera!
- O quê?
Ele aos poucos foi se aproximando dela até que[...]
- Só com uma condição!
- Qual? Fala o que você quer logo! Não aguento mais essa distância entre eu e minha família.
- Ah é?
- Então, espere! Já, já terá sua família de volta.
- Esperar o quê?
- A sua família agora será eu, você e nossa filha!
- Você não é meu marido[...] O que você fez com ele?
- Já pensou em ver de camarote o fim daquele Dracula? Que sem piedade tirou de mim, a infância de nossa filha!
- Aí meu Deus!
- Relaxa não vai acontecer nada demais! E ainda faço questão de que seja devagar, bem devagar!
- O que você vai fazer com ele?
- Não sei. Veja você mesma de camarote. Se eu te contar não será mais surpresa!
Em um túmulo coberto de uma manto preto com apenas o sinal da cruz ele ali põe seu rato para que torturasse-o mas, ao deixar rato que ali urinava em cima do abdômen de seu maior inimigo e depois de um curto espaço de tempo ele, por sua vez, pega seu facão que já havia feito muitas vítimas, igual a faca que a filha encontro na cama de seus pais e quando ia ali acabar de vez com aquela família que de tão humilde era e de repente, um despertar aconteceu.
- Acorda, senhor!
- Acorda!
- Ei, deixe ele em paz quando for a hora certa despertará! - A moça que de branco estava ao lado de uma cortina.
- Aonde estou?
- A gente vai te ajudar fique tranquilo!
- Como podem ajudar uma pessoa que tão mal era?
- Ãh, você já ouviu falar no perdão e resignação?
- Onde estou? Onde está todo mundo? Por que só eu me encontro aqui nessas tão precárias condições?
- Aqui é um hospital. Todo mundo está por aqui, alguns estão no andar de cima! Você não me reconhece mais?
- Do que está falando?
- Deixa para lá. Com o tempo irá se relembrar!
- Me lembrar do quê?
- Não posso falar. Só isso posso lhe dizer!
- Acho que conheço aquele rapaz!
- De quem está falando?
- Olha ali. O rapaz com roupa de médico!
- Conhece ele?
- Não acredito!
- O quê?
- Aquele ali[...] É meu pai! - Suas sublimes lágrimas caía sobre seu rosto.
- Quer que eu à chame para vir aqui?
- Não!
- Por que não?
- Isso só deve ser loucura da minha mente!
- Mas por quê?
- Eu o matei!
- Você quer a minha tão humilde opinião?
- Pode falar!
- Agora é uma boa oportunidade de pedir perdão!
- Até queria o perdão dele mas, não sei se ele vai me reconhecer, vai aceitar meu pedido de perdão?
- À matei com tanta crueldade! Me deixei levar pela sede de poder.
- Você não prefere tentar fazer com que ele te escute e aceite de braços abertos do coração o seu perdão?

Acho que ele está esperando isso de você, assim como eu e todas as outras pessoas e famílias que você fez tanto sofrer!

- Quer falar com ele?
- E se ele não quiser me ouvir?
- Ele vai te ouvir.
- Como pode ter tanta certeza?
- Após o desencarne do corpo a alma é purificada e todo o machucado que havia em sua já foi cicatrizado. Não custa tentar!
- Está bem! Posso chamá-lo?
- Claro que pode!
- Pai[...]
O pai ao se virar tenta olhar aquele seu filho que tanto lhe baniu de viver e não consegue pois, em seu coração ainda há uma certa mágoa.
- Filho [...] O que faz aqui?
- Ele após seus atos de tanta crueldade desencarnou linchado pelos outros prisioneiros!
- Ainda, mesmo depois do meu desencarne filho, tento entender porquê, por qual motivo de tudo aqui, meu amor!
- Amo você, pai [...]
- Não queria que você, infelizmente, se fosse! Queria tanto voltar no tempo para poder fazer tudo diferente. Tudo de novo, queria poder ganhar, verdadeiramente [...] Todo o seu amor! Queria poder te amado mais, quem sabe assim a nossa tão sublime fim mas, eu me deixava ser levado por uma sede de poder, eu era tão ganancioso e tão sufocado por um ciúmes, queria seu amor, sua admiração mas [...] Para isso tive que tomar atitudes drásticas e [...]
- Não precisa mais continuar! E como você me matou?
- Foi naquela noite em que você descobriu todas as minhas falcatruas. Nesse dia eu fiquei com tanta raiva, ódio. Foi que deixei a minha sub-consciência fora da minha consciência que já era tomada pela minha ganância, eu com toda a minha vontade de fazer vingança! Lhes ofereci um conhaque e misturado com o conhaque, eu coloquei muitas doses de tranqüilizantes, depois de ver que estava totalmente adormecido, peguei e coloquei você no carro, levei você até a mata que ali perto era localizado e ali em meio de tantos entulhos te joguei, acendi o fósforo e[...]
- Melhor não continuar, por favor! Filho quero que saiba de uma coisa[...]
- Fala, pai!
- Por mais que você por ganância por qualquer outro motivo, quero que saiba que sempre vou te amar por toda a eternidade da vida de nossa solene alma! Quero que você saiba que pelo fato ocorrido, consumado pelos seus atos que tão cruéis condenaram-me, vou te amar e com esse amor que consumadamente consome a minha alma que tão judiada mas, já cicatrizada pelo seu tão jeitoso ato de trazer à você o tão belo caráter que doei à ti. Te amo, meu filho! Não a nada melhor do que a busca por um perdão por conta de seu ato, para sanar a dívida de uma amor pela qual você nunca à valorizou.


Kaique Barros

Título: Um Passado de Tremenda Dor

Autor: Kaique Barros (todos os textos)

Visitas: 0

603 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • Kaique BarrosKaique Barros Moraes

    30-04-2014 às 23:09:39

    Eu devia ter posto no começo uma introdução sobre a relação conjugal dos dois personagens e explicado mais sobre o que aconteceu.

    O texto de hoje estará mais completo. Desculpe-me nobre leitora e boa noite.

    ¬ Responder
  • Patricia SantosPatricia Santos

    30-04-2014 às 19:20:08

    Esta muito confuso seu texto Kaique e eu não entendi direito..mesmo assim parabéns..

    ¬ Responder

Comentários - Um Passado de Tremenda Dor

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Ex-Machina e a máxima: cuidado ao mexer com os robôs.

Ler próximo texto...

Tema: DVD Filmes
Ex-Machina e a máxima: cuidado ao mexer com os robôs.\"Rua
Este texto irá falar sobre o filme Ex_Machina, nele podem e vão ocorrer Spoillers, então se ainda não viram o filme, vejam e voltem depois para lê-lo.

Impressões iniciais:

Ponto para o filme. Já que pela sinopse baixei a expectativa ao imaginar que era apenas mais um filme de robôs com complexo de Pinóquio, mas evidentemente que é muito mais que isso.

Desde as primeiras cenas é possível perceber que o filme tem algo de especial, pois não vemos uma cena de abertura com nenhuma perseguição, explosão ou ação sem propósito, típica em filmes hollywoodianos.
Mais um ponto, pois no geral o filme prende mais nos diálogos cerebrais do que na história em si, e isso é impressionante para o primeiro filme, como diretor, de Alex Garland (também roteirista do filme). O filme se mostrou eficiente em criar um ambiente de suspense, em um enredo, aparentemente sem vilões ou perigos, que prende o espectador.

Entrando um pouco no enredo, não é difícil imaginar que tem alguma coisa errada com Nathan Bateman (Oscar Isaac), que é o criador do android Ava (Alicia Vikander), pois ele vive isolado, está trabalhando num projeto de Inteligência Artificial secreto e quando o personagem orelha, Caleb Smith (Domhnall Gleeson), é introduzido no seu ambiente, o espectador fica esperando que em algum momento ele (Nathan) se mostrará como vilão. No entanto isso ocorre de uma forma bastante interessante no filme, logo chegaremos nela.

Falando um pouco da estética do filme, ponto para ele de novo, pois evita a grande cidade (comum nos filmes de FC) como foco e se concentra mais na casa de Nathan, que fica nas montanhas cercadas de florestas e bastante isolado. Logo de cara já é possível perceber que a estética foi pensada para ser lembrada, e não apenas um detalhe no filme. A pesar do ambiente ser isolado era preciso demonstras que os personagens estão em um mundo modernizado, por isso o cineasta opta por ousar na arquitetura da casa de Nathan.

A casa é nesses moldes novos onde a construção se mistura com o ambiente envolta. Usando artifícios como espelhos, muitas paredes de vidro, estruturas de madeira e rochas, dando a impressão de camuflagem para a mesma, coisa que os ambientalistas julgam favorável à natureza. Por dentro se pode ver de forma realista como podem ser as smart-house, não tenho certeza se o termo existe, mas cabe nesse exemplo. As paredes internas são cobertas com fibra ótica e trocam de cor, um efeito que além de estético ajuda a criar climas de suspense, pois há momentos onde ocorrem quedas de energia, então fica tudo vermelho e trancado.

O papel de Caleb á ajudar Nathan a testar a IA de AVA, mas com o desenrolar da história Nathan revela que o verdadeiro teste está em saber se Ava é capaz de “usar”, ou “se aproveitar” de Caleb, que se demonstra ser uma pessoa boa.

Caleb é o típico nerd introvertido, programador, sem amigos, sem família e sem namorada. Nathan também representa a evolução do nerd. O nerd nos dias de hoje. Por fora o cara é careca, barbudão com uns traços orientais (traços indianos, pois a Índia também fica no Oriente), bebê bastante e ao mesmo tempo malha e mantém uma dieta saudável pra compensar. E por dentro é um gênio da programação que criou, o google, o BlueBook, que é um sistema de busca muito eficiente.

Destaque para um diálogo sobre o BlueBook, onde Nathan fala para Caleb:
“Sabe, meus concorrentes estavam tão obcecados em sugar e ganhar dinheiro por meio de compras e mídia social. Achavam que ferramenta de pesquisa mapeava O QUE as pessoas pensavam. Mas na verdade eles eram um mapa de COMO as pessoas pensavam”.

Impulso. Resposta. Fluido. Imperfeição. Padronização. Caótico.

A questão filosófica vai além disso esbarrando no conceito de “vontade de potência”, de Nietzche, mas sobre isso não irei falar aqui, pois já há textos muito bons por aí.

Tem outra coisa que o filme me lembrou, que eu não sei se é referência ou se foi ocasional, mas o local onde Ava está presa e a forma como ela fica deitada num divã, e questiona se Caleb a observa por detrás das câmeras, lembra o filme “A pele que habito” de Almodóvar, um outro filme excelente que algum dia falarei por aqui.

Talvez seja uma versão “O endoesqueleto de metal e silicone que habito”, ou “O cérebro positrônico azul que habito”, mesmo assim não podia deixar de citar a cena por que é muito interessante.

Pesquisar mais textos:

Jhon Erik Voese

Título:Ex-Machina e a máxima: cuidado ao mexer com os robôs.

Autor:Jhon Erik Voese(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Suassuna 11-09-2015 às 02:03:47

    Gostei do texto, irei conferir o filme.

    ¬ Responder
  • Jhon Erik VoeseJhon Erik Voese

    15-09-2015 às 15:51:02

    Que bom, obrigado! Espero que goste do filme também!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios